“Alguns dos antigos santos dos últimos dias eram maçons. Heber C. Kimball, Hyrum Smith e outros pertenciam a lojas maçônicas na década de 1820, e Joseph Smith se filiou à fraternidade em março de 1842, em Nauvoo, Illinois”, afirma um verbete dos Tópicos da História da Igreja no site LDS.org. “Pouco depois de se tornar maçom, Joseph apresentou a investidura do templo. Há algumas semelhanças entre as cerimônias maçônicas e a investidura, mas há também diferenças marcantes em seu conteúdo e sua intenção.”

O artigo fornece contexto sobre a ordem fraterna da Maçonaria e sua conexão com a história da igreja primitiva. “Os maçons livres (ou maçons) se reuniam em lojas, nas quais reencenavam ritualmente uma história baseada no relato bíblico de um homem chamado Hirão, a quem Salomão encarregou de trabalhar no templo de Jerusalém”,  o artigo explica. “Durante a reencenação, os maçons avançam em graus, usando apertos de mão, palavras-chave e roupas especiais. Nos rituais maçônicos, os maçons se comprometem a ser dignos de confiança e leais a seus irmãos maçônicos.”

Muitos dos primeiros líderes revolucionários dos Estados Unidos, como George Washington e Benjamin Franklin, eram maçons, e a sociedade secreta floresceu nos Estados Unidos durante o tempo de Joseph Smith.

Muitos santos dos últimos dias foram maçons, e um grupo de 18 membros da Igreja organizou uma loja maçônica em Nauvoo em dezembro de 1841. “Joseph Smith e 40 outros pediram para se tornar membros no dia seguinte”, o artigo explica. Em março o Profeta Joseph e outros líderes da Igreja chegaram ao grau de “mestre maçom”. A loja de Nauvoo logo se tornou a maior do estado.

Sobre as semelhanças e diferenças entre a investidura do templo e os rituais maçônicos, o Tópico do evangelho explica:

“Em 3 de maio de 1842, Joseph Smith convocou alguns homens a prepararem o salão de sua loja de tijolos vermelhos onde se reuniam os maçons de Nauvoo, ‘em preparação para dar a investidura a alguns élderes’. No dia seguinte, Joseph apresentou a investidura do templo pela primeira vez a nove homens, todos eles eram também maçons. Um deles, Heber C. Kimball, escreveu a respeito dessa experiência pessoal a seu colega apóstolo Parley P. Pratt, que estava em missão na Inglaterra. ‘Recebemos algumas coisas preciosas por meio do profeta a respeito do sacerdócio’, escreveu Kimball sobre a investidura, comentando que ‘há algo semelhante ao sacerdócio na maçonaria’. Ele contou a Pratt que Joseph acreditava que a maçonaria fora ‘tirada do sacerdócio, mas se tornara degenerada’. Joseph Fielding, outro santo dos últimos dias e maçom, observou de modo semelhante em seu diário que a maçonaria ‘parecia ter sido um degrau ou uma preparação para outra coisa’, referindo-se à investidura.

Os mórmons de Nauvoo que vivenciaram tanto os ritos maçônicos quanto a investidura reconheceram haver semelhanças entre alguns elementos das duas cerimônias, mas também testificaram que a investidura era fruto de revelação. Willard Richards, ao escrever a história de Joseph Smith, ensinou que a apresentação da investidura em Nauvoo foi ‘governada pelo princípio de revelação’. Joseph e seus associados entendiam a maçonaria como uma instituição que preservara vestígios de antigas verdades. Reconheciam haver paralelos entre os rituais maçônicos e a investidura, mas concluíram, com base na experiência que tiveram com as duas coisas, que a ordenança tinha sido restaurada por Deus.

A ênfase nas semelhanças entre os estilos de ensino e a forma externa da maçonaria e da investidura do templo obscurece diferenças significativas em sua substância. As cerimônias maçônicas promovem o aprimoramento pessoal, a irmandade, a caridade e a fidelidade à verdade para o propósito de melhorar os homens, que por sua vez tornam a sociedade melhor. Durante as ordenanças do templo, homens e mulheres fazem convênio com Deus de obedecer a Suas leis para o propósito de ganhar a exaltação por meio da Expiação de Jesus Cristo. Os rituais maçônicos transmitem instruções estágio por estágio, usando dramatização, gestos e roupas simbólicas, com o conteúdo baseado em lendas maçônicas. A investidura emprega dispositivos didáticos semelhantes, mas se baseia principalmente nas revelações e traduções inspiradas dadas a Joseph Smith para seu conteúdo.”

O artigo também observa que, enquanto os maçons regulavam estritamente quem poderiam aderir à sociedade e dava acesso restrito a apenas homens, Joseph Smith e profetas posteriores esperavam que a investidura abençoasse todos os santos que estavam preparados para fazer convênios eternos com Deus.

“Há diferentes maneiras de entender o relacionamento entre a maçonaria e o templo. Alguns santos dos últimos dias apontam as semelhanças entre o formato e os símbolos tanto da investidura quanto dos rituais maçônicos e os de muitas cerimônias religiosas antigas como evidência de que a investidura foi uma restauração de uma antiga ordenança. Outros observam que as ideias e as instituições da cultura que rodeava Joseph Smith frequentemente contribuíram para o processo pelo qual ele obtinha revelações. De qualquer modo, a investidura não imitou simplesmente os rituais da maçonaria. Em vez disso, o encontro de Joseph com a maçonaria evidentemente serviu como catalizador para revelação. O Senhor restaurou as ordenanças do templo por intermédio de Joseph Smith para ensinar verdades profundas sobre o plano de salvação e apresentar convênios que permitiriam que os filhos de Deus entrassem em Sua presença.”

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

[Vídeo] O que é a Investidura do Templo?