Como segurar na imutável barra de ferro e seguir as diferentes orientações da Liahona

Numa recente conferência de estaca em que participei, um dos oradores fez um breve comentário sobre a forma como podemos agarrar-nos a barra de ferro, ao mesmo tempo em que somos flexíveis para seguir as orientações da Liahona.

Embora fosse para ser um pensamento passageiro, esta ideia ficou na minha mente durante todo o resto da reunião.

Quero dizer, é interessante que dentro da história de uma família das escrituras, temos dois exemplos aparentemente opostos de obediência.

A imutável barra de ferro

Por um lado, temos a solidez simbólica da barra de ferro. Profetas e apóstolos deram várias interpretações significativas sobre a barra de ferro.

O Presidente Boyd K. Packer compartilhou que ele pode representar a influência do Espírito Santo.

O Élder David A. Bednar afirmou que as escrituras são o que nos guiam até a árvore da vida.

O Élder Neil L. Andersen comparou a barra de ferro com as palavras dos profetas vivos. Em todas as três interpretações, a barra de ferro é imóvel; é firme, segura, estável, forte, fixa, sólida e firme.

As diferentes orientações da Liahona

Por outro lado, há as diferentes orientações da Liahona, “uma bola curiosa” que Leí e sua família receberam para guiá-los através do deserto.

De acordo com 1 Néfi 16, a Liahona era uma esfera de bronze que tinha a bússola como eixos que mudavam e apontavam para onde deveriam ir e também deu o “entendimento sobre os caminhos do Senhor” de forma escrita para Leí e sua família (ver 1 Néfi 16:10, 26 e 29).

O Presidente Thomas S. Monson comparou a Liahona às nossas bênçãos patriarcais pessoais.

O Élder David A. Bednar afirmou que os sussurros do Espírito Santo atuam como Liahonas modernas para nós. E o Presidente Spencer W. Kimball disse em 1976:

“Você deve perceber que você tem algo como a bússola, como a Liahona, em seu próprio sistema. Todas as crianças recebem… Mas se recordarmos que cada um de nós tem algo que irá nos direcionar, nosso navio não vai entrar no caminho errado e o sofrimento não vai acontecer e os arcos não vão quebrar e as famílias não vão chorar por comida, se ouvirmos os ditames de nossa própria Liahona, que chamamos de consciência”.

Pode ser interessante: 6 Razões para confiar nas impressões do Espírito

“E funcionava para eles segundo a fé que tinham em Deus”

Agora, não consigo imaginar que os eixos da Liahona de Leí ficavam parados, não é assim que as bússolas funcionam, ou que a escrita na bola aconteceu apenas uma vez, apenas uma declaração feita pelo Senhor.

Um estudioso de BYU especula que a Liahona poderia ter uma área de superfície externa suficiente para cerca de uma única página de um livro, o que dificilmente parece ser orientação espiritual suficiente para duas grandes famílias e sua longa jornada no deserto.

Então acredito ser provável que a direção mudava de dia para dia ou de hora em hora, dependendo de sua fé ou dependendo da geografia ao seu redor.

Em Alma 37:40 diz:

“E funcionava para eles segundo a fé que tinham em Deus; portanto, se tinham fé para acreditar que Deus poderia fazer com que aquelas agulhas lhes indicassem o caminho, eis que assim sucedia; portanto, eles conseguiram esse milagre, assim como muitos outros milagres realizados pelo poder de Deus, dia após dia”.

 A barra de ferro e a Liahona

O que Deus poderia estar tentando nos ensinar sobre a obediência, ao fornecer dois exemplos bíblicos muito diferentes de obediência, um que enfatiza a estabilidade e outro que enfatiza a adaptabilidade?

Como podemos estar ancorados o suficiente para nos agarrarmos à imutável barra de ferro enquanto somos flexíveis o suficiente para seguir a orientação constante da Liahona?

Enquanto crio o meu filho de 1 ano, estou descobrindo este princípio de flexibilidade dentro da estabilidade em mais do que uma maneira.

Por exemplo, sou a pessoa mais Tipo A que conheço. Gosto de regras, de planejar, de trabalhar com agendas. E crianças de 1 ano não são muito boas nisso. Na verdade, elas são muito ruins nisso.

Durante os primeiros meses da sua vida, além de estar fisicamente exausta, eu também estava mentalmente exausta por tentar fazer um bebê muito independente encaixar-se na minha agenda imaginária.

Então agora, temos algumas regras em nossa casa, como almoçar e tirar uma soneca.

Mas também estou aprendendo que precisamos de alguma flexibilidade como a Liahona para que ele possa tomar algumas de suas próprias decisões.

Também precisamos levar em conta quando ele não está se sentindo bem ou quando oportunidades não planejadas surgem.

Temos o nosso próprio caminho

Para expor a metáfora do sonho de Leí, acredito que cada um de nós tem o seu próprio caminho, e temos a nossa própria barra de ferro pessoal no meio dele.

A barra de ferro no caminho de todos é a mesma. Metaforicamente, é feita do mesmo minério de ferro, tem a mesma sensação de frio ao toque e a mesma circunferência.

A palavra de Deus, os ensinamentos dos profetas vivos, as escrituras, as bênçãos de seguir o Espírito Santo, é sempre a mesma, não importa quem somos ou quais desvios nossos caminhos possam ter.

E cada caminho, se seguirmos a barra de ferro, acabará nos levando à vida eterna com nossos Pais Celestiais e Jesus Cristo.

Mas o caminho que nos leva à árvore da vida, o plano distinto e exclusivo que Deus tem para cada um de nós, requer a orientação e a direção da Liahona.

A jornada mortal de ninguém é exatamente a mesma, e não há dois caminhos iguais para a salvação.

Assim como nenhum dia como pai, mãe ou família é exatamente o mesmo. Todos nós temos lutas individuais, provações, desafios e tentações para superar.

Então, os eixos da nossa Liahona pessoal são apenas isso: pessoal.

Podem ser coisas como revelação pessoal, sussurros pessoais do Espírito Santo, e respostas inspiradas a orações pessoais.

Veja também: Élder Uchtdorf: “Tenham o objetivo de seguir o Salvador. Ele conhece o caminho.”

Ele sabe de tudo

All His Majesty – Arte: Youngsung Kim

Há dois anos, o Presidente Nelson disse:

“Nos dias que estão por vir, não será possível sobreviver espiritualmente sem a orientação, a direção, o consolo e a influência constante do Espírito Santo”.

Além da barra de ferro que serve como os mandamentos e princípios imutáveis do evangelho, precisamos da Liahona, da revelação pessoal através do Espírito Santo para aconselhamento individual e orientação para nos ajudar a ter sucesso em nossa jornada mortal.

Apesar da palavra imutável de Deus, sua jornada através da mortalidade inevitavelmente terá algumas reviravoltas inesperada.

Seu caminho estreito e apertado pode ser diferente de outra pessoa, mas o evangelho, as escrituras, e o amor de Deus não mudam.

O caminho da sua vida pode diferir das expectativas culturais ou dos seus planos pessoais.

Seus desvios podem envolver desafios de saúde, pecados graves, crises de fé, problemas familiares inexplicáveis, ou sonhos que não dão certo.

Mas é importante lembrar que Deus sabe tudo. Ele conhece a jornada da nossa vida do princípio ao fim, as escolhas que faremos e as provações que teremos. O Senhor sabe que o seu caminho será único.

Para ajudar a alcançar o seu potencial como filho ou filha Dele, Ele nos deu a barra de ferro, os mandamentos, as escrituras, os profetas, para nos manter firmemente enraizados no evangelho.

Porém, Ele também nos deu Liahonas pessoais, as bênçãos patriarcais, a revelação pessoal, a inspiração do Espírito Santo para nos ajudar a navegar em nossos caminhos únicos de volta a Ele.

Ambas as ferramentas trabalham juntas, não em oposição, mas para nos ajudar a encontrar fé, perspectiva, direção e consolo enquanto caminhamos pelas nossas estradas individuais através da vida.

Fonte: LDS Living

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *