(Esse é um relato verídico)

“A forte fé no Salvador aceita com submissão a vontade e o tempo Dele em nossa vida — mesmo que o resultado não seja o que esperávamos ou desejávamos”. [1]

O ano de 2017, estava excelente para mim. Em Maio, eu já havia concluído boa parte do que havia me proposto para aquele ano, parecia que nada me impediria de chegar perfeitamente até o final.

Durante uma madrugada de Julho, comecei a sentir fortes dores na barriga. Não sabia bem explicar aquela dor, nunca havia sentido nada parecido antes. Levantei-me, tomei um remédio para cólicas e voltei para a cama. A dor persistiu por mais algum tempo, até que cai no sono e quando o relógio despertou às 06:00 acordei mal, por uma noite mal dormida, mas já estava sem dor alguma.

De volta ao hospital

Os dias passaram e aquela dor voltou mais forte. Dessa vez, chorei de dor. Às pressas, meu pai levou-me para o hospital. Fui rapidamente atendida e o médico plantonista disse-me que com 90% de chance, aquilo era cálculo biliar ou simplesmente pedras na vesícula. Ele me passou um remédio via injetável juntamente com um soro. Fui para outra sala e fiquei lá por um bom tempo. A dor desapareceu como um passe de mágica poucos minutos depois.

Durante mais alguns dias, nada aconteceu e eu estava bem. No entanto, outro dia enquanto me preparava para dormir, a dor voltou e cada vez parecia mais forte. E assim foram mais duas vezes indo ao Pronto Socorro 24 horas. Na última vez, a dor era tamanha, que o ar parecia faltar e a visão estava falhando.

Na manhã seguinte da última ida ao Pronto Socorro, decidi procurar por um gastroenterologista. Marcada a consulta, após as primeiras impressões, o médico disse que não poderia afirmar, mas por sua experiência aquilo era realmente cálculo biliar. Após isso, uma ultrassonografia foi feita e confirmada a suspeita – múltiplos cálculos na vesícula. Eu mal podia acreditar no que ouvia!

O médico responsável pela ultrassonografia, havia dito que majoritariamente, esse problema era acometido em pessoas acima do peso e/ou com colesterol alto e pessoas acima de 40 anos. Não me encaixa em nada.

Ao retornar ao médico gastroenterologista, mais exames. Os resultados? Bom, tudo estava perfeito comigo! Meu colesterol estava sem alteração alguma, meu peso ideal, nada no sangue. Nesse momento veio-me duas grandes perguntas:

“Onde estão as bênçãos Senhor? Tenho vivido a Palavra de Sabedoria desde que tomei conhecimento e é isso que ganho?”

Meu nível de fé e esperança era baixíssimo. Depois daquela última consulta, fiquei pensando no que o médico havia dito, sobre a cirurgia que precisava ser feita com urgência. Eu chorei sozinha, por várias vezes. Eu não podia entender. Tudo que nos é ensinado na Palavra de Sabedoria, eu tenho vivido. Guardo com exatidão tudo e onde estavam as promessas: “receberão saúde para o seu umbigo e medula para os seus ossos” e correrão e não se cansarão, caminharão e não desfalecerão”? (D&C 89: 18, 20). Eu estava ali, prestes a fazer a primeira cirurgia da minha vida e não podia entender o porquê estava a acontecer comigo.

Milagres

Sempre acreditei que milagres fossem reais e acreditei que eu pudesse viver também esse milagre e não ter que passar pela cirurgia. Mas a dor vinha às vezes, a alimentação foi modificada e nada parecia indicar a cura que eu esperava. Acreditava que Ele pudesse me curar, Ele não é o médico dos médicos?

No relato descrito em João 5: 1-14 lemos que Jesus curou o enfermo no tanque de Bethesda e assim como aquele enfermo, eu também desejava ser curada.

Contudo, nesse ínterim a cura não veio e descobri que é necessário fé para ser curado e ainda mais fé para não ser curado.

O tempo passou e a cirurgia veio. Em 02 de Outubro de 2017, me vi entrando em um bloco cirúrgico pela primeira vez. 4 horas depois, sai de lá sem a vesícula, mas com a certeza de que não deve ser feita a minha vontade, mas a Dele.

O final daquele dia foi muito estranho. Sentia desconforto e também dor. Ainda não podia comer. Recebi a visita de bons colegas de trabalho e de minha família que sempre esteve ali. No momento que sai do bloco cirúrgico e vi minha irmã parada a porta do quarto, senti alívio e grande amor por estar de volta, mesmo que com um órgão a menos.

O exemplo do Profeta

A noite foi mal dormida e fiquei pensando em uma mensagem que havia visto muito tempo atrás, proferida pelo presidente Nelson – O coração dos homens falhará.

Ele conta que certa vez “estava em um avião pequeno quando de repente o motor da asa pegou fogo e explodiu. Havia óleo e chamas por todo o lado direito do avião e começamos a mergulhar em direção ao solo. Estávamos prestes a morrer. Senti muita pena de uma mulher que estava do outro lado do corredor incontrolavelmente estérica. E eu estava calmo. Estava totalmente calmo, mesmo que soubesse que estava prestes a morrer. Estava pronto para encontrar o meu Criador”.

E essas palavras do Presidente Nelson, estiveram comigo durante todo o tempo – antes e depois da cirurgia. Mesmo sabendo que os riscos de morte eram pequenos, eles não eram inexistentes. Porém, eu estava calma, totalmente calma. Eu não tinha (e ainda não tenho) uma vida perfeita, mas eu estava pronta para encontrar o meu Criador. Tal calma foi um processo de arrependimento e fé.

Arrepender-me por pensar que o simples fato de eu viver uma lei me isentaria de dores e provações. E fé por saber que tudo e em todas as coisas a vontade Dele é a que deve prevalecer.

Naquele período, eu não tinha esse entendimento, mas hoje, 3 meses após esse episódio de dor e crescimento sei que “todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28). Entendi que se viver um mandamento nos isentasse de todas as provações, seria muito fácil e todos viveriam pela razão e não pela fé. Tenho um testemunho real de que a Palavra de Sabedoria é verdadeira.

“A Palavra de Sabedoria não nos promete saúde perfeita, mas ensina a manter o corpo com o qual nascemos nas melhores condições possíveis, e nossa mente alerta para os delicados sussurros do espírito” [2]

Ao nos defrontarmos com o grande desafio de termos fé para não sermos curados, espero que possamos todos compreender que a grande fé no Salvador aceita com submissão a vontade e o tempo Dele em nossa vida — mesmo se o resultado não for o que esperávamos ou queríamos.

Referências

[1] Aceitar a Vontade e o Tempo do Senhor

[2] A Palavra de Sabedoria: O Princípio e as Promessas 

Relacionado:

Como podemos ser felizes apesar do sofrimento em nossa vida