Precisamos parar de julgar as pessoas por não serem “santos o suficiente”

as pessoas

Conheça Ben. Ele tem 15 anos de idade.

Ben tem cabelos compridos.

Ben escuta música inapropriada.

Ben é rebelde, rancoroso e não tem respeito por autoridade.

Ben fuma atrás do celeiro e tem um vocabulário inapropriado.

Talvez isso seja verdade. Talvez esse meu grande amigo da igreja – um adolescente – seja tudo isso.

Ou talvez ele tenha apenas cabelos longos.

Vamos confessar. A maioria de nós já fez julgamentos rápidos sobre as pessoas que não se encaixam na nossa imagem mental de um discípulo moderno de Cristo. Muitas vezes queremos dentes brancos, cabelos curtos, camisas brancas, maquiagem leve e carros familiares.

amar sem julgar

Anos atrás, escutei a alguém perguntar a uma visitante pela primeira vez por que ela usava calças de moletom para as reuniões do domingo. (Eu tinha conhecimento que naquele momento de sua vida, aquelas calças eram a melhor opção que ela tinha.).

Outro membro reclamou que alguém veio à igreja com tatuagens expostas. Minha nossa, que horror!

Outra preocupada, comentando em voz alta sobre um jovem que usava um brinco.

De volta a Ben. Meu jovem amigo sabe que as opiniões podem machucar como se fossem socos. Ele ouviu os sussurros, percebeu os olhares e sentiu o julgamento.

Irônico, não é? Os cristãos julgando os cristãos por não serem suficientemente cristãos?

Talvez Ben e todos os outros cristãos de cabelos longos, tatuados e ou sem roupas de domingo precisem de uma camiseta que diz:

“Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o rejeitei, porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.” (Samuel 16: 7)

O que veríamos se olhássemos para o coração de Ben? O que acharíamos se não ficássemos tão concentrados em seus cabelos longos?

Ben é mais cristão do que a maioria entre as pessoas que conheço. Ele é atencioso, de fala suave, respeitoso e de bom coração. Ele é talentoso, consciente de si e misericordioso. Ele tem uma longa lista de qualidades de liderança e possui um tipo de personalidade calorosa que faz você querer estar ao seu redor.

Ben não é perfeito, é claro, e ele tem momentos de adolescência como qualquer outro garoto, mas ele começa todo dia desejando ser um pouco melhor do que no dia anterior. Ele quer ser ainda mais amável, mais paciente e mais disposto a servir. Ele está trabalhando para se tornar um melhor filho, irmão e amigo.

Não é esta a definição de um discípulo de Cristo?

Meu querido amigo sabe que o dia virá em que ele precisará se barbear e cortar o cabelo. Na verdade, ele está planejando doar seus cabelos para a organização Locks of Love, que doa perucas e extensões para pacientes que lutam contra câncer e outras doenças. Parece algo que Cristo faria, não é?

Ele e todos os outros que não se encaixam perfeitamente na nossa definição de cristianismo demonstram que os cabelos longos e a barba não o desqualificam como um discípulo de Cristo. E isso vale para aquele que usa calças de moletom no domingo ou com tatuagem nos braços.

Conheça Ben.

Ele é um adolescente que sabe que ele não é definido por seus cabelos, mas por seu coração.

E é provável que você também conheça um Ben.

Fonte: Jason F. Wright

Relacionado:

Veja o que acontece quando amamos as pessoas sem julgar

 

| Para refletir, Popular

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *