Conhecemos muitas pessoas que saíram da Igreja. Eita, talvez você seja uma delas. Os motivos pelos quais as pessoas saem variam muito. Mas ouso dizer que a maioria deles pode estar ligada a um princípio do evangelho: Profetas modernos. Alguns membros ficam inativos porque discordam com decisões tomadas pelos profetas mórmons no passado. Alguns podem ter se ofendido por algo que um dos profetas mórmons disse ou por uma política definida.

Sair da igreja é, naturalmente, uma decisão muito pessoal, mas ter expectativas irreais sobre nossos profetas podem tornar essa decisão muito mais difícil do que precisa ser. Às vezes esperamos que os profetas sejam algo que eles nunca deveriam ser.

Portanto, aqui estão três coisas que os profetas mórmons não são e uma coisa que eles são.

1. Os profetas não são oniscientes

Eles não sabem tudo e não devemos esperar que eles saibam tudo. O Élder Ballard recentemente ilustrou esta questão em um discurso que ele fez na Brigham Young University:

 … é importante lembrar que eu sou uma Autoridade Geral, mas isso não faz de mim uma autoridade em geral!

Minhas experiências de vida e meu chamado me permitem responder a certos tipos de perguntas. Existem outros tipos de perguntas que exigem um especialista em um assunto específico. Isto é exatamente o que eu faço quando eu preciso de uma resposta para essas perguntas: Busco ajuda de outras pessoas, inclusive as que têm graduações e especializações nesses campos.

Eu me preocupo que os membros às vezes esperam muito de seus líderes e professores, esperando que eles sejam especialistas [em áreas e tópicos] muito além de seus conhecimentos. O Senhor chamou os apóstolos e profetas para convidar outras pessoas a virem a Cristo — não para obter graduações avançadas em outros campos que possam ser úteis em responder todas as perguntas que temos sobre escrituras, história e a Igreja. Nosso dever é edificar a Igreja, ensinar a doutrina de Cristo e ajudar aqueles que precisam de ajuda.

2. Os profetas não são infalíveis

Não chover no molhado, porque você já ouviu isto antes. Até mesmo os profetas erram. Apenas lembre-se das palavras do Presidente Uchtdorf em 2013:

…para ser perfeitamente honesto, houve ocasiões em que membros ou líderes da Igreja simplesmente cometeram erros. Talvez tenha havido algo que foi dito ou feito e que não estava em harmonia com nossos valores, princípios, ou nossa doutrina.

Suponho que a Igreja seria perfeita apenas se ela fosse guiada por seres perfeitos. Deus é perfeito e Sua doutrina é pura. Mas Ele trabalha por nosso intermédio — Seus filhos imperfeitos — e pessoas imperfeitas que cometem erros.

Profeta pregando

Gospel Art Picture, lds.org: “Alma preaching to the people”

3. Os profetas não são políticos, nem obrigados a ser politicamente corretos

O Presidente Oaks pode ter sido juiz e o Élder Christofferson pode ter sido advogado, mas o papel de um profeta é muito diferente do papel de um político. Os profetas não têm eleitores. Eles não tomam decisões com base no voto popular. Seu objetivo não é satisfazer os desejos das massas ou tentar a reeleição.

Os profetas não são obrigados a ser politicamente corretos ou tomar decisões politicamente populares. Abinádi não era politicamente correto. Moisés não era politicamente correto. Jesus definitivamente não era politicamente correto. Os antigos tinham dificuldade em aceitar isso e não mudou muito (nem vai mudar).

Vejamos outra citação do Élder Ballard:

Quando fazemos convênio nas águas do batismo de “servir de testemunhas de Deus em todos os momentos, em todas as coisas e em todos os lugares” nós não estamos falando apenas das reuniões de jejum e testemunho. Nem sempre é sempre fácil, conveniente ou politicamente correto defender a verdade e o que é certo, mas é sempre a coisa certa a fazer. Sempre.

Sentimentos e estilos de vida podem se mudar, e isso é uma pena, mas no final das contas, os profetas estão aqui para declarar a vontade de Deus e edificar a Igreja, não para atender às nossas sensibilidades políticas (ou até mesmo pessoais).

Uma coisa que os profetas são

Eles são servos mortais de Deus que estão fazendo seu melhor. Se fizerem ou decidirem algo com o que que não concordamos, vamos dar-lhes o benefício da dúvida. Que eles estão fazendo o que podem com a luz e o conhecimento que lhes foi dado. Eles são homens que poderiam ter se aposentado há décadas, mas em vez disso, decidiram dedicar-se “até o último suspiro” para o serviço do seu Deus. Isso tem que servir para alguma coisa.

Escrito por David Snell e publicado originalmente no site Mormonhub.com.

Relacionado:

Como Lidar Com Erros de Profetas ou Apóstolos?