Quando criança, eu sempre olhava pela janela depois da chuva analisando o céu cinza. Eu esperava pacientemente, na esperança de vislumbrar o que meu cérebro com idade de Primária pensava que era um fenômeno mágico — um arco-íris.

Não me lembro quando, mas desde a tenra idade, aprendi que os arco-íris eram um sinal de Deus que a terra nunca mais seria inundada novamente.

Para mim, isso só era mais uma característica misteriosa. Isso deixou-me ainda mais ansioso para procurar esse sinal colorido no céu.

Quando fiquei mais velho, aprendi que o arco-íris, ou da falta dele, era outro sinal — um sinal da Segunda Vinda.

Joseph Smith

Quando Joseph Smith perguntou ao Senhor sobre Sua Segunda Vinda e os sinais de a precederiam, ele recebeu esta resposta:

“Inquiri o Senhor sobre Sua Vinda; e ao fazê-lo, Ele deu um sinal e disse: ‘Nos dias de Noé coloquei um arco nos céus como sinal e símbolo de que no ano em que o arco for visto o Senhor não viria; Mas haverá tempo de semear e colher durante esse ano. Mas quando o arco estiver ausente, será um sinal de que haverá fome, peste e grande angústia entre as nações, e que a vinda do Messias não está muito distante’” (Joseph Fielding Smith, “Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, seção seis, 1843-1844, pág. 341).

Bruce R. McConckie

Embora haja algumas discussões sobre se a presença ou ausência do arco-íris no céu é literal ou figurativa, Bruce R. McConkie achava que era um sinal literal da Segunda Vinda. Em seu livro, O Messias Milenar, McConkie também afirma que a ausência do arco-íris é um sinal da Segunda Vinda e relaciona-o com outros eventos visuais.

“E os sinais acima nos céus não serão como nada que o homem já viu. Haverá sangue por toda parte; fogo e vapores de fumaça encherão as camadas atmosféricas. Homem nenhum verá um arco-íris naquele ano” (Bruce R. McConkie, “The Millennial Messiah”, capítulo 2: A Eternidade e as Sete Eras).

Mais palavras de Joseph Smith sobre o arco-íris

Joseph Smith também disse:

“O Senhor definiu o arco na nuvem como sinal que enquanto ele for visto, a semeadura e a colheita, o verão e inverno não falharão; Mas quando ele desaparecer, ai daquela geração, pois eis que o fim rapidamente se aproxima” (Joseph Fielding Smith, “Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, seção seis 1843-1844).

Contudo, por sentir a ansiedade dos santos sobre a proximidade da Segunda Vinda naquela época, Joseph Smith posteriormente profetizou que a Segunda Vinda não aconteceria naquele ano, em 1844, ou mesmo em 40 anos a partir daquele momento. Além disso, ele disse:

“Jesus Cristo nunca revelou a homem nenhum a hora precisa em que Ele viria. Leiam as escrituras e não encontrarão nada que especifique a hora exata em que Ele virá; e todos os que afirmarem essa hora são falsos pregadores” (Joseph Fielding Smith, “Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, seção seis 1843-1844).

Conclusão

Logo, não sabemos a data exata em que Cristo virá. Há alguns indícios que sugerem que a ausência de arco-íris poderia nos dar uma dica de que a Segunda Vinda poderia ocorrer muito em breve.

Escrito por Katie Lambert e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: www.ldsliving.com

Relacionado:

3 Considerações sobre o Arco-Íris nas escrituras