A passagem da morte para o mundo espiritual pode não ser uma porta pesada e fechada como parece. Ela pode ser um véu fino com uma cortina ondulante ou um pano delicado. O Profeta Joseph Smith se refere a esse véu como o “véu da morte”. Certamente a comunicação entre deste mundo e o próximo não está fechada. Os profetas e apóstolos tratam a passagem como uma transferência de inteligência de modo muito sagrado e raramente falam abertamente sobre isso. Algumas divulgações foram feitas, contudo elas servem para ilustrar que estamos bem perto daqueles que partiram.

O Presidente Brigham Young honrou seu antecessor, Joseph Smith, em muitos aspectos. Talvez a capacidade de Joseph de misturar o céu e a terra é a mais importante. O Presidente Young escreveu:

“Nunca tinha visto ninguém, até que conheci  Joseph Smith, que poderia me dizer algo sobre o caráter, a personalidade e a morada de Deus, ou nada satisfatório sobre anjos ou a relação do homem com seu Criador. Busquei diligentemente como qualquer homem precisa buscar para tentar descobrir essas coisas.

Qual é a natureza e a beleza da missão de Joseph? Você sabe que eu sou um dos seus apóstolos. Quando eu o ouvi pregar pela primeira vez, ele uniu o céu e a terra; nenhum pregador da época conseguia dizer-me algo correto sobre o céu, o inferno, Deus, anjos ou demônios. Eles eram tão cegos quanto a escuridão egípcia. Quando eu vi Joseph Smith, ele figurativamente falando, trouxe o céu para a terra e explicou com clareza e simplicidade as coisas de Deus. Essa é a beleza de sua missão. Obtive um testemunho, muito antes disso, de que ele era um profeta do Senhor, e isso me consolava. Joseph não fez o mesmo com seu entendimento? Ele não tomava as escrituras e tornava-as tão puras e simples para que todo mundo pudesse entender? As pessoas dizem: ‘Sim, é admirável; ele une os céus e a terra’, e o tempo não é nada, apenas nos ensina como viver na eternidade.”

Brigham Young não foi o único líder a ficar profundamente impressionados com a vidência do profeta. Outro contemporâneo escreveu esta declaração: “[Wilford Woodruff] mencionando um ditado de Joseph Smith (…) Se as pessoas soubessem o que há por trás do véu, elas tentariam por todos os meios (…) passar para lá, mas o Senhor em sua sabedoria implantou o medo da morte em nós para que que nos agarrássemos à vida e realizássemos os desígnios de nosso Criador.”

A Visita do Presidente Heber J. Grant ao Mundo Espiritual

No funeral do Presidente Jedediah M. Grant, o Presidente Heber C. Kimball compartilhou muitas informações sobre a visita do Presidente Grant ao mundo espiritual. (Tanto o Presidente Grant quanto o Presidente Kimball serviram como conselheiros do Presidente Brigham Young.) O registro das palavras do Presidente Kimball:

“[O irmão Grant] me contou: ‘Irmão Heber, estive no mundo espiritual duas noites seguidas e, de todos os medos que já senti na vida, o pior foi o de precisar voltar para meu corpo, embora fosse preciso fazê-lo. Ó, disse ele, ‘como eram belos o governo e a ordem que lá reinavam! Quando eu estava no mundo espiritual, vi a ordem de homens e mulheres justos, vi-os organizados em seus vários graus, e parecia não haver obstrução alguma a minha visão, eu conseguia enxergar cada homem e mulher em seu devido grau e sua ordem. Tentei ver alguma desordem lá, mas não havia, nem eu conseguia ver nenhum tipo de morte nem de trevas, desorganização ou confusão’. Ele disse que as pessoas que viu lá estavam organizadas por família e, ao olhar para elas, via grau após grau, e tudo estava organizado e todos viviam em perfeita harmonia. Ele mencionou uma coisa atrás da outra e disse: ‘Poxa, é exatamente como irmão Brigham diz que é; é como ele disse-nos muitas vezes.’

É um testemunho sobre a veracidade do que o irmão Brigham nos ensina, e sei que é verdade, pela pouca luz que tenho.

Ele viu os justos reunidos no mundo espiritual e não havia espíritos iníquos entre eles. Ele viu sua esposa. Ela foi a primeira pessoa que veio até ele. Ele viu muitos conhecidos, mas não conversou com ninguém, apenas com sua esposa, Caroline. Ela foi até ele, e ele disse que ela estava linda e estava com o sua filha pequena, que morreu nas planícies, nos braços e disse, ‘Sr. Grant, aqui está a pequena Margaret; você sabe que os lobos a comeram, mas eles não a machucaram. Ela está bem.’

Ele perguntou a sua esposa, Caroline, onde Joseph, Hyrum e o Pai Smith e os outros estavam. Ela respondeu, ‘eles foram resolver alguns assuntos para nós.’ Do mesmo modo como o irmão Brigham e quando ele e outros irmãos deixaram Winter Quarters e vieram para cá procurar uma casa; Eles vieram para encontrar um local para seus irmãos.

Ele também falou dos edifícios que viu lá, observando que o Senhor deu sabedoria a Salomão e derramou ouro e prata em suas mãos para que ele mostrasse sua habilidade e capacidade. E disse que o templo erigido por Salomão era muito inferior aos edifícios mais comuns que ele viu no mundo espiritual.

Em relação a jardins, diz o irmão Grant, ‘ Já vi jardins bonitos nesta terra, mas nunca vi nenhum comparado com aqueles que estavam lá. Vi flores de vários tipos, e algumas com de cinquenta a cem cores diferentes flores crescendo em um caule.’ Nós temos muitos tipos de flores na terra e acho que muitas delas vieram do céu, ou eu não as teria visto lá.

Depois de mencionar as coisas que ele tinha visto, ele falou do quanto foi desagradável ter que retornar e retomar seu corpo depois de ter visto a beleza e a glória do mundo espiritual, onde os espíritos justos estavam reunidos.”

Escrito pelo Presidente Russell M. Nelson, extraído passagem que Chamamos de Morte] e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: www.ldsliving.com

Relacionado:

5 Verdades Sobre o Mundo Espiritual que Talvez Você não Saiba ou Lembre