Os líderes Mórmons esperavam que a solicitação de chamados missionários aumentasse quando diminuíram a idade para o trabalho voluntário, mas eles devem ter se surpreendido com a quantidade de jovens interessados em servir uma missão o mais rápido possível. Enquanto uma semana normal a Igreja recebe aproximadamente 700 solicitações, as duas semanas após o anúncio da redução da idade, a Igreja recebeu aproximadamente 4.000 solicitações por semana. Um pouco mais da metade destas solicitações era para mulheres. No passado, apenas um quinto dos missionários eram mulheres, mas está claro que este percentual deve mudar a qualquer momento e se tornar um número muito maior, apesar do fato de o trabalho missionário ser permitido, mas não obrigatório, para as mulheres.

Antes os homens podiam servir a partir dos 19 anos e as mulheres a partir dos 21. A nova diretriz permite que os homens sirvam a partir dos 18 anos, desde que tenham se formado no ensino médio ou equivalente e às mulheres é permitido servir a partir dos 19 anos. Em uma conferência com a imprensa, foi explicado que a experiência os ensinou que é sábio ter alguma diferença de idade entre os homens e as mulheres. Durante a missão, os jovens concordam em não namorar, assistir televisão ou participar de outras atividades seculares. Eles devem usar este tempo como uma oportunidade única de alicerçar sua fé e focar nas necessidades de outras pessoas, ao invés de seus próprios interesses e necessidades. Eles fazem uma grande quantidade de serviço às pessoas onde servem, bem como ensinam o evangelho.

"Despertar o desejo de conhecer, habilita as capacidades do Espírito de ouvir a voz dos Céus" (Paul Koelliker).

“Despertar o desejo de conhecer, habilita as capacidades do Espírito de ouvir a voz dos Céus” (Paul Koelliker).

Para a maioria dos jovens, o serviço missionário é uma experiência que muda suas vidas. Muitos fortalecem seus testemunhos durante este período, percebendo que, para compartilhar sua religião de modo eficiente com outras pessoas, eles precisam ter certeza do que acreditam. Eles possuem uma quantidade de tempo incomum para focar nas escrituras e em sua religião e desenvolver hábitos de oração, estudo das escrituras diárias e serviço ao próximo. Ao explicar para outras pessoas sobre sua religião e responder quaisquer perguntas que lhes são feitas, eles obtêm um conhecimento da doutrina porque eles começam a ponderá-la mais profundamente para que possam explicá-las bem para outras pessoas. Suas habilidades de ensino e liderança aumentam com o passar de suas missões. Eles se tornam mais cientes das bênçãos que recebem ao viver do modo que Jesus Cristo nos pede para viver.

Sua experiência cultural também é beneficiada. Eles sempre deixam seus lares e, para muitos, esta é a primeira vez que vivem longe da família e vão para um lugar totalmente desconhecido. Eles são expostos à novas ideias e estilos de vida. Aqueles que viajam para áreas com grande pobreza veem por si próprios o impacto da pobreza e muitos, depois que acabam a missão, continuam a trabalhar em prol das pessoas que serviram durante suas missões. Muitos aprendem um novo idioma que lhes permite crescer em suas carreiras e a obter boas oportunidades de empregos.

Para os jovens Mórmons, as missões são uma experiência que lhes tira da adolescência e lhes coloca na vida adulta e muitos estão ansiosos para obter o aprendizado e o crescimento que advém de doar alguns anos para o Salvador.

Aprenda mais sobre os Mórmons acessando o site www.mormon.org.br