Estamos estudando o Livro de Mórmon todo, conforme o pedido o Presidente Russell M. Nelson e da Presidência de Área do Brasil, que lançou um desafio a todos os membros da Igreja do país para terminarem a leitura do Livro de Mórmon até dezembro.

 

Era, pois, sábio para o Senhor

O Élder Dale G. Renlund disse:

“Quando Deus nos orienta a fazer algo, Ele costuma ter muitos propósitos em mente.” (Conferência Geral abril de 2018)

O Senhor tinha muitos propósitos quando ordenou que Néfi e e os seus irmãos fossem buscar as placas de latão. Veja: Deus poderia fazer com que as placas simplesmente aparecessem na frente de Leí, de modo semelhante como fará aparecer a Liahona, uns capítulos mais a frente. Deus também poderia ter dito para Leí obter as placas antes de sair de Jerusalém. Talvez Labão considerasse uma permuta com Leí, já que era um homem mais influente e abastado. De todo jeito, Deus fez com que Leí e seus filhos deixassem tudo e migrassem pro deserto – e depois ordenou que os filhos de Leí voltassem e buscassem as placas. Após várias tentativas Néfi, como já vimos, e com a ajuda de Deus, os registros foram obtidos.

O capítulo 4 e 5 de 1 Néfi revelam alguns motivos pelos quais “era, pois, sábio para o Senhor” que Néfi e os irmãos obtivessem as placas da maneira como o fizeram. Veja alguns:

  • Néfi aparentemente precisava desenvolver um testemunho ainda maior e amadurecer espiritualmente. Deus tinha planos grandes para ele, mas era preciso saber ouvir e seguir o Espírito Santo, mesmo não sabendo de antemão tudo o que aconteceria.
  • Era preciso matar um homem iníquo, para que uma nação inteira não perecesse na incredulidade.
  • Os registros eram “de tão grande valor que poderíamos preservar os mandamentos do Senhor para nossos filhos”. Sem as escrituras Néfi, sua família e descendentes teriam perecido espiritualmente. “Era, pois, sábio para o Senhor que os levássemos conosco enquanto viajávamos pelo deserto rumo à terra da promissão.” Um descendente de Néfi escreveria: “E eis que foi pela sabedoria de Deus que estas coisas foram preservadas; pois eis que elas ampliaram a memória deste povo, sim, e convenceram a muitos do erro de seus caminhos, levando-os a conhecer o seu Deus para a salvação de suas almas” (Alma 37:8)
  • Deus amava Zorã, o servo de Labão. Ele queria libertá-lo e guiá-lo a uma terra prometida, junto com Leí. O ingresso de Zorã na jornada não foi um acidente.
  • Saria precisava desenvolver um testemunho sobre o chamado profético do marido. Ela ficara irritada com o esposo, pois pranteou muito quando Leí mandou os filhos de volta a Jerusalém. “Pois ela pensara que havíamos perecido no deserto e queixara-se também de meu pai, acusando-o de visionário, dizendo: Eis que tu nos tiraste da terra de nossa herança e meus filhos já não existem; e nós pereceremos no deserto.” Os sentimentos pungentes desta mãe não podem ser perfeitamente descritos. O fato é que ela estava muito abalada, e queixava-se.
    Leí respondia: ” Sei que sou um visionário, pois se não houvesse visto as coisas de Deus numa visão não teria conhecido a bondade de Deus, mas teria permanecido em Jerusalém e perecido com meus irmãos. Eis que obtive, porém, uma terra de promissão, pelo que me regozijo; sim, e sei que o Senhor livrará meus filhos das mãos de Labão e no-los devolverá no deserto.” Isso serviu de consolo, mas a preocupação dela ainda era enorme. Quando ela viu que os filhos voltaram em segurança “sua alegria foi completa e [ela] ficou confortada”
    Então, ela ganhou seu testemunho sobre o chamado do marido: “Agora sei com certeza que o Senhor ordenou a meu marido que fugisse para o deserto; sim, e tenho também certeza de que o Senhor protegeu meus filhos e livrou-os das mãos de Labão; e deu-lhes o poder de executarem o que o Senhor lhes havia ordenado. E desse modo ela falou.” Ela e o esposo agradeceram ao Senhor e “ofereceram sacrifícios e holocaustos”.
  • Deus desejava que Leí descobrisse sua genealogia – que era descendente de José do Egito.
  • Quando Leí examinou as escrituras – examinou, não leu despreocupadamente – “encheu-se do Espírito e começou a profetizar sobre seus descendentes”.

Talvez Deus tivesse ainda outros propósitos em mente. O que sabemos era que “era, pois, sábio para o Senhor” que as escrituras estivessem com a família de Leí.

Como essa passagem se aplica na sua vida? Quando Deus lhe manda fazer algo, e você o obedece, quais aspetos da sua vida e de outros, são abençoados?

Leia 1 Néfi 5 aqui.

Relacionado:

Comentários de 1 Néfi 4 – Conduzido pelo Espírito #9