A reunião sacramental deve ser sempre e inequivocamente centralizada em Jesus Cristo.

Ela é a reunião mais pública e a reunião geral mais importante da Igreja.

Se uma pessoa decidir sozinha visitar a Igreja, ela vai a uma reunião sacramental.

Quando membros afastados voltam à igreja para acompanhar um ente querido, eles vão em uma reunião sacramental.

Quando familiares que não são membros aparecem para assistir uma bênção de bebê, eles vão em uma reunião sacramental.

Quando os missionários levam os pesquisadores à igreja pela primeira vez, eles vão em uma reunião sacramental.

irmão e irmã

Congregação frequentando reuniões de domingo.

Eu nunca vou esquecer a ansiedade que sentia quando levava uma pesquisador a Igreja durante minha missão. Nós fazíamos um esforço tremendo, de todo o coração, para falar, ensinar e testificar de Jesus Cristo em todos os momentos. As pessoas ficavam interessadas em “vir e ver.”

E então … bem, se você tem muitos anos de Igreja, então pode adivinhar o que aconteceu muitas vezes:

“Por que o discursante ficou falando sobre Joseph Smith o tempo todo?”

“Vocês adoram a Jesus?”

“Por que os oradores não leram nada das escrituras?”

Nunca deve haver dúvida na mente de alguém se nós adoramos, reverenciamos e amamos Jesus Cristo.

Sim, Joseph Smith é importante. Fala sobre o sucesso recente de uma atividade do quórum ou do jantar de Natal é importante. E uma citação das boas daquele seu estudioso favorito sobre a obra missionária pode ser importante.

Mas se tudo isso não apontar diretamente para Cristo e seus ensinamentos, então tudo estará perdido. Segundo Joseph Smith, todo o resto é apenas um apêndice a Cristo e Sua expiação. Então, discutamos tudo o que não aponta a Cristo durante as auxiliares.

A reunião sacramental é para aprendermos sobre Jesus Cristo. Ponto!

Aprendemos sobre Ele por meio da lembrança reverente e simbólica de Seu corpo, que fica sobre a mesa ao lado do púlpito.

E devemos aprender sobre Ele por meio do testemunho e ensinamentos daqueles que estão conduzindo e participando do programa sacramental.

Os visitantes podem ter uma ideia errada se visitarem nossa Igreja, comparecerem a uma reunião sacramental e nos assistirem usando um tempo maior do que necessário em outras coisas além de Cristo e Seus ensinamentos.

Com a Bíblia e o Livro de Mórmon, há sabedoria, histórias, paralelos, parábolas e sermões suficientes para preencher as escassas 52 semanas (excluindo conferências de estaca e conferências gerais) do ano em que participamos dessa importante reunião. Se ficarmos sem coisas para falar depois da semana 48, então podemos começar de novo porque há uma boa chance de precisarmos ouvir a Cristo e seus ensinamentos novamente.

Mas poderíamos ficar sem maneiras de explorar e falar sobre os efeitos de Sua influência em nossas vidas?

Eu amo os pioneiros. Eles fizeram o inimaginável. Suportaram coisas que eu nunca poderei compreender. Mas se formos falar sobre eles na reunião sacramental, não façamos um desserviço ao seu sacrifico, deixando de fora a pessoa que eles mais buscaram durante sua jornada.

Se formos contar histórias sobre nossas famílias, falar sobre a apostasia e a restauração, trabalho no templo, o retorno de Elias, elogiar outro membro da ala, contar histórias missionárias ou falar sobre o quanto aprendemos ao servir em um determinado chamado… que tenhamos certeza de que Cristo está no centro dessas histórias e não apenas jogado como uma reflexão curta no fim delas em um gesto simbólico.

Os diversos nomes do Salvador são mencionados no Livro de Mórmon 3.925 vezes em uma média de uma vez a cada 1.7 versos. Em todo o planeta, não há um livro mais centralizado em Jesus Cristo. Acho que nossas reuniões sacramentais devem ser também as reuniões mais centradas em Jesus Cristo.

O Livro de Mórmon fala de Jesus Cristo

Profetas e apóstolos existem para testificar de Cristo. O Livro de Mórmon e a Bíblia existem para testificar de Cristo. O Espírito Santo existe para testificar de Cristo.

Às vezes, abordamos tópicos como: linguagem, convênios, profetas, um discurso recente na conferência, recato, batismo, templos ou qualquer outro tópico.

Mas e se falássemos sobre coisas como:

“Nos ajude a entender o contexto sobre a parábola do bom samaritano e compartilhe experiências pessoais que refletem os ensinamentos dessa parábola.”

“Ajude-nos a entender os 4 dias que antecederam a crucificação de Jesus Cristo. Encontre profecias sobre Cristo no Velho Testamento e nos conte como essa experiência afetou sua vida?”.

“Conte-nos sobre a parábola do servo impiedoso em Mateus 18 e depois compartilhe conosco como o princípio da misericórdia se manifestou em sua vida.”

Você consegue imaginar como seria ter todas as reuniões sacramentais centralizadas em Cristo e Seus ensinamentos? Membros e visitantes sairiam de cada reunião com a fé no Salvador fortalecida e prontos para mudar suas vidas. Eu realmente acredito nisso.

Eu sei com certeza que há muitos na Igreja que desejam ser edificados durante a reunião. Eles anseiam que alguém dedique tempo para mostrar os ensinamentos e a grandeza de Cristo em suas palavras. E desejam que isso aconteça de maneira consistente.

É Cristo quem tem o poder de tocar o as pessoas, o poder de gerar mudanças e o poder de confortar os corações daqueles que mais precisam. Sim, existem outras pessoas e histórias que podem nos motivar e inspirar. Mas no contexto do evangelho, essas pessoas e essas histórias só podem obter essa força por causa de Cristo. E infelizmente, às vezes nos esquecemos de enfatizar ou até mesmo mencionar essa parte. A parte mais importante.

O que aprendi sobre Jesus Cristo com a vista de Élder Oaks

Ouvir sobre o ministério de Cristo, e como ele iluminava a vida das pessoas que falavam o Seu nome sempre despertou algo especial em mim e vejo o mesmo acontecer com outras pessoas.

É uma solução simples para uma infinidade de problemas. Cristo. Que possamos centralizar Nele a nossa reunião mais importante.

Esta é uma tradução do artigo escrito por Greg Trimble e publicado originalmente no site gregtrimble.com com o título “Sacrament Meeting Should Always Be About Jesus Christ”.

Relacionado:

5 dicas para tornar o sacramento mais significativo