Os frutos do exemplo de um pai: Seremos uma família eterna e mais unida do que nunca

Gonçalo e Gracia construíram um legado de 22 pessoas entre filhos, netos, bisnetos e seus cônjuges.

Eles construíram uma família que é alegre, forte, unida e que está sempre pronta para servir.

A família Gonçalo

Gonçalo e Gracia da Silva se conheceram muito jovens e se casaram em 1973. Dois anos depois tiveram sua primeira filha Andréia e dois anos depois a segunda, Neusa. O casal teve mais dois filhos, Eliane e Anderson.

Alguns anos se passaram e em 1980, Gonçalo conheceu os missionários através de um amigo chamado Sydnei, com quem ele mantém sua amizade até hoje. Ele aprendeu sobre a restauração do Evangelho e logo foi batizado.

Ao viver e ensinar o que aprendia na Igreja em seu lar, suas duas filhas mais velhas, Andréia e Neusa, seguiram o seu exemplo e também foram batizadas. Logo em seguida, sua esposa também decidiu filiar-se à Igreja.

Gonçalo ficou afastado da Igreja durante dez anos. Apesar de estarem afastados, eles nunca deixaram de aplicar em seu lar tudo o que haviam aprendido por meio do evangelho de Jesus Cristo.

Gonçalo e sua família passaram por muitas dificuldades quando eram apenas 6, e segundo seu filho mais novo, Anderson, essas dificuldades os tornaram mais fortes e próximos.

“Algo muito latente na minha mente é que meu pai sempre me ensinou com base nas coisas que havia aprendido no tempo em que ia à Igreja. É por isso que tenho certeza que, mesmo afastado, ele sabia que o evangelho era verdadeiro e por isso nos ensinava sobre essa verdade”.

Quem conhece a família Gonçalo (como são carinhosamente conhecidos), sabe que eles adoram se reunir, principalmente aos domingos, sabe que a hora do “parabéns” nos aniversários são únicas e sempre muito divertidas e sabe que as noites familiares são espirituais mas que também rendem ótimas gargalhadas.

“Algo que chama muita atenção em nossa família é nossa alegria de viver, nossos momentos juntos são intensos, desde uma conversa que pode se tornar numa rápida e insignificante discussão, até as risadas que são espontâneas e constantes” diz Anderson.

Alzheimer

Há cerca de 3 anos, Gonçalo foi diagnosticado com Alzheimer, o que mudou totalmente a realidade de seus familiares. Hoje, seus filhos se esforçam para cuidar de suas necessidades que a cada dia se tornam mais específicas e delicadas e buscam ajuda-lo para que não se sinta um fardo.

Com o avanço da doença, ele foi obrigado a deixar muitas de suas tarefas, mas algo que nunca esquecia e fazia questão de cumprir, era com o seu trabalho de oficiante no Templo de São Paulo.

“Ele ama este trabalho e o fazia com muita dedicação. Antes da pandemia ele ainda estava em condições de ir e voltar do templo sozinho. Até que um dia recebemos uma ligação de uma pessoa que o encontrou na rua e o levou para uma biblioteca, esta pessoa nos disse que ele estava perdido, não sabia para onde estava indo e nem como voltar para casa.

A partir deste dia, ele passou a ir acompanhado. Não queríamos que ele deixasse de fazer este trabalho, mas com a pandemia o templo fechou é para ele foi um choque muito grande. Afinal, a única coisa que ele ainda podia fazer, já não era mais possível, e isso trouxe um avanço considerável para o Alzheimer”.

Esperança de uma família eterna

Há sete meses a família passou por uma situação ainda mais difícil. A matriarca da família, faleceu. Dona Gracia era a base da família, e por um momento, eles pensaram que a união que tanto os caracteriza pudesse acabar.

“Ainda não estamos acostumados com sua ausência, choramos juntos, rimos das lembranças que temos dela, mas acima de tudo, projetamos o futuro eterno, onde viveremos juntos novamente com minha mãe e com meu pai, completamente curado do Alzheimer, desta forma seremos sim uma família eterna e mais unida do que nunca”.

Apesar de não estar ativa na Igreja, Gracia sempre apoiou e respeitou seus filhos e netos. Hoje ela deixa saudades e uma porção de pessoas que se espelham em seu exemplo.

Apesar do Alzheimer, Gonçalo sente falta de sua companheira e mesmo em suas condições cada dia mais limitadas, não esquece do companheirismo e da união familiar que construíram juntos.

Exemplo de amor ao próximo

Anderson é o único filho homem de Gracia e Gonçalo e aplica o que aprendeu com seu pai com seus filhos. Gonçalo diz que sempre foi apresentado aos dois lados de uma possível escolha e que a decisão final sempre era sua.

“É claro que se minha escolha fosse muito errada entrava o lado pai e a decisão era dele. E isso eu procuro fazer com meus filhos, além do mais, meu pai sempre nos ensinou através do exemplo acima de tudo”.

De todas as lições de vida que podia ensinar, Gonçalo deixa seu maior exemplo na caridade e no amor ao próximo. É fácil de reconhecer a espontaneidade do acolhimento que esses quatro irmãos carregam.

A união não é uma característica que abrange somente a família, mas todos à sua volta.

“Meu pai é um exemplo de caridade e amor ao próximo, nós nunca o vimos negar ajuda, não importava a hora, condição ou quem quer que seja. Ele ministrava sem saber que um dia este seria o nome das famosas visitas de mestre familiar, como eram conhecidas antes. Ele sempre nos mostrou que, amar o próximo como a nós mesmos era muito mais gratificante do que o sacrifício.”

Mesmo com todas as provações, a família Gonçalo segue firme e preserva sua alegria e o legado de união construído por seus pais.

| Inspiração
Publicado por: Vanessa Pozete
Tradutora e intérprete, nascida em Fortaleza, criada em Santos, casada e com três filhos. Serviu missão Brasil João Pessoa. Ama a maternidade, fotografia, praia e livros de aventura e ficção. É a Localization Specialist do time português na More Good Foundation.
Criar nossos filhos para a eternidade
Como o exemplo do Pai Celestial pode me ajudar a ser um pai melhor?

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *