Criar nossos filhos para a eternidade

Certamente você já ouviu a frase “temos que criar nossos filhos para o mundo” e eu, particularmente, discordo desse ensinamento. Criamos nossos filhos não só para o mundo, criamos eles para a eternidade, criamos eles para Cristo.

E o que isso significa na prática? Significa que Cristo precisa ser o modelo de cada lar, significa que os hábitos, princípios e valores que passamos para os nossos filhos agora, ecoarão para sempre em suas vidas, inclusive na eternidade.

Em Provérbios 22:6 aprendemos: “Instrui a criança no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.”

Nós pais somos os professores do evangelho mais importantes para os nossos filhos, temos tanto a responsabilidade principal quanto o maior poder para influenciá-los. As crianças, principalmente na primeira infância (0 a 6 anos), são como esponjas, ou seja, absorvem tudo que está ao seu redor. São ótimas observadoras e imitadoras.

É nosso papel ensinar, ainda durante a primeira infância, princípios e valores corretos e centralizados no evangelho de Jesus Cristo, para que assim que chegue a idade da responsabilidade e quando possam tomar suas próprias decisões, lembrem-se do que aprenderam dentro do lar.

Joseph F. Smith ensinou:

“Nossos filhos serão exatamente o que fizermos com que sejam. Eles nascem sem conhecimento nem entendimento, as mais indefesas criaturas da criação animal nascidas neste mundo.

O pequenino começa a aprender depois de nascer, e tudo o que ele sabe depende muito de seu ambiente, das influências sob as quais foi criado, a bondade com que é tratado, os nobres exemplos que lhe são dados, a santa influência de seu pai e sua mãe, ou o contrário, que influenciam sua mente infantil. E em grande parte ele se tornará o que seu ambiente, seus pais e professores lhe ensinarem.”

A geração de crianças de agora será extremamente importante para a coligação da casa de Israel e para o estabelecimento do reino de Deus na Terra.

Satanás tem se esforçado muito para influenciar nossas crianças para o mal, vemos cada vez mais crianças se sensualizando nas redes sociais, expostas a todo tipo de conteúdo na internet, crianças que já não se socializam umas com as outras, que não querem passar tempo com seus familiares e que não desejam ir à Igreja.

Nós como pais não podemos negligenciar aos nossos filhos ensinamentos básicos como a oração, leitura das escrituras, obediência aos mandamentos e o amor à Deus, à família e ao evangelho. Porém, nosso objetivo não é formar crianças obedientes. Nosso objetivo é ensinar nossos filhos a serem adultos piedosos.

Cada hábito que estabelecemos e cada princípio que ensinamos trarão consequências para o futuro de nossos filhos, consequências essas que podem ser eternas. Então, no final das contas, realmente não criamos nossos filhos para o mundo, criamos nossos filhos para a eternidade.

| Fortalecendo as Famílias
Publicado por: Larissa Silberman
Estudante de Marketing na Universidade Anhembi Morumbi. Trabalhou como instrutora no Centro de Treinamento Missionário e serviu na Missão Chile Rancagua. Mãe, esposa, empreendedora e assistente de conteúdo na More Good Foundation.
O que aprendi ao perder meu pai e me tornar pai durante a pandemia
Os frutos do exemplo de um pai: Seremos uma família eterna e mais...

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *