5 Profecias sobre Maria que te ajudarão a vê-la de uma nova maneira

O principal propósito e o foco da revelação dada aos profetas antigos, estavam relacionados a vinda de um Redentor que seria o Filho de Deus. No entanto, a vinda do Salvador não seria totalmente compreendida ou apreciada se não conhecêssemos Sua mãe.

Os profetas antigos falavam sobre Maria e seu chamado como mãe do Filho de Deus bem antes dela nascer. Essas profecias escritas por Isaías e pelos profetas do Livro de Mórmon nunca confundiram a mãe do Salvador com uma deidade. Ela seria uma mortal dentre a multidão do povo de Deus.

Contudo, a mãe Dele não foi uma mulher qualquer. Ela foi escolhida e conhecida por seu nome séculos antes de seu nascimento. Claramente, Deus queria que a conhecêssemos e que soubéssemos de sua contribuição para o plano de salvação.

  1. Isaías

Apesar de não a chamar pelo nome, o profeta do Velho Testamento, Isaías proferiu o que pode ser a primeira profecia sobre Maria. Durante um cerco militar a Jerusalém feito pelos exércitos da Síria e do reino norte de Israel (734 a.C.), Isaías deu a Acaz, rei de Judá, um sinal de que Jerusalém seria poupada.

As palavras que vieram do “próprio Deus” foram:

“Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel” (Isaías 7:14; 2 Néfi 17:14).

  1. Néfi

Enquanto recebia instruções sobre o sonho de seu pai sobre a árvore da vida, seiscentos anos antes do nascimento de Jesus, Néfi viu Maria em uma visão na “cidade de Nazaré.” Ela era “mais bela e formosa que todas as outras virgens.” (1 Néfi 11:13, 15).

Néfi continuou a descrever Maria como uma virgem, mas dessa vez ela carregava em seus braços um filho recém-nascido, que era o Filho de Deus. (1 Néfi 11:18–20).

Assim como Jesus foi representado como a árvore da vida no sonho de Leí, o Pai, também trabalhou através de Maria, para dar vida a todos os Seus filhos.

  1. O Rei Benjamin

Quatro séculos depois da visão de Néfi sobre Maria, um anjo revelou ao Rei Benjamin que “Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Pai dos céus e da Terra, o Criador de todas as coisas desde o princípio” (Mosias 3:8) desceria “dos céus … e [habitaria] num tabernáculo de barro (Mosias 3:5). O anjo disse ao Rei Benjamin “sua mãe chamar-se-á Maria” (Mosias 3:8).

Apesar do nome de outros terem sido especificamente revelados em profecias, como Samuel, o filho de Ana, e João, filho de Elizabeth e Zacarias, Maria é o único nome de mulher revelado em toda a lista.

Além disso, o nome de Maria foi revelado mais de mil anos antes de seu nascimento e a um profeta em uma terra distante, enquanto os nomes de Samuel e João, foram revelados a seus pais.

  1. Alma

O profeta Alma ensinou aos nefitas que viviam em Gideão, que Maria era “uma virgem, um vaso precioso e escolhido; e uma sombra a envolverá; e conceberá pelo poder do Espírito Santo e dará à luz um filho, sim, o Filho de Deus” (Alma 7:10).

Alma falou sobre Maria dar à luz a Jesus “em Jerusalém,” fraseologia usada por escritores nefitas para descrever os arredores de uma grande cidade. Belém fazia parte da grande Jerusalém, ficando a 8 quilômetros ao norte da cidade sagrada, e portanto se encaixando bem na descrição “em Jerusalém.”

  1. O Rei Lamôni

O Livro de Mórmon apresenta outra testemunha do nascimento de Jesus Cristo. Depois de ficar em um estado de coma por três dias, o rei Lamôni acordou e exclamou, “eis que vi meu Redentor; e ele virá e nascerá de uma mulher” (Alma 19:13).

Ao aprender sobre seu Redentor, o rei Lamôni deve ter ficado admirado ao perceber que Cristo nasceria de uma mulher. Em outras palavras, o Salvador nasceria nesse mundo mortal e decaído, da mesma maneira que todos nós.

Depois do ministério mortal do Salvador, o apóstolo Paulo usou uma terminologia similar ao falar do milagroso nascimento de Cristo:

“Deus enviou o seu Filho, nascido de mulher.” (Gálatas 4:4)

Devemos concluir que Jesus era o filho de Maria. Ele herdou as qualidades mortais dela, que permitiram com que Ele sentisse fome, sede, dor e até mesmo a morte. Esses atributos foram essenciais para permitir que Ele se enchesse “de misericórdia” e soubesse “como socorrer seu povo, de acordo com suas enfermidades” (Alma 7:12).

Através de Maria, Ele se tornou mortal e então pôde dar Sua vida como sacrifício pelos pecados do mundo (Mosias 15:5–8; Hebreus 2:9, 17–18).

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

O que você não sabia sobre um dos momentos mais tocantes do novo filme “O Menino Jesus”

| Inspiração
Publicado por: Márcia Denardi
Márcia Denardi é jornalista, professora do instituto e uma mãe totalmente viciada nos filhos. É catarinense e um pouquinho gaúcha de raiz e coração, e escolheu, por tradição paterna, o Grêmio como time do coração e um bom chimarrão como companheiro de trabalho. Ama escrever, cantar e estudar. Escreve para o portal Familia.com.br desde 2012, para o site OsMormons e é locutora voluntária do projeto FairMormon. Também tem um Canal no Youtube para pesquisadores da Igreja.
2009 x 2019 | Fotos dos 12 apóstolos mostram dez anos de serviço
Estar solteiro durante o ano novo não é o fim do mundo

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *