Hoje, almocei com um homem com quase a mesma idade que eu, e ele me disse que ele acha que sua mulher quer pedir o divórcio.

Mas ao falarmos mais sobre o assunto mesmo que fosse em tom de brincadeira, pude sentir que ele estava falando sério e que estava um pouco preocupado.

Então, ao invés de rir da situação, perguntei por que ele achava que a esposa dele queria o divórcio. Ele disse de maneira rápida e simples “Porque sou grosseiro”.

Fiquei surpreso porque nunca o vi ser grosseiro com ninguém. Em todas as situações em que o observei, ele sempre foi legal, gentil e prestativo.

Conheço ele a tanto tempo… que posso dizer que já tive muito contato com ele para saber como ele trata as pessoas. Eu não o descreveria como “grosseiro”.

Quando ele disse que às vezes era grosseiro com sua esposa, eu disse que estava surpreso porque nunca o vi ser grosseiro com ninguém. Ele respondeu, “Sempre tratamos mal aqueles que mais amamos”.

Ele começou a contar algumas das situações em que ele se permite ficar irritado, e diz coisas mesquinhas que nunca diria a um estranho, sócio, ou um conhecido.

Ele me disse que ama sua esposa. E que quer ficar com ela. E que quer fazê-la feliz. Então, por que ele a trata mal?

Por que tendemos a tratar mal as pessoas que mais amamos? Porque dizemos palavras grosseiras para quem amamos e que nunca diríamos para alguém em nosso trabalho, na igreja, ou na rua?

Dizemos coisas que são impensadas ou até mesmo grosseiras para nossa esposa ou esposo, pai ou mãe, irmão ou irmã, um bom amigo… que nunca diríamos a um conhecido. Por que? Qual é a lógica nisto?

Você se garante na proximidade do relacionamento

Infelizmente, quando as pessoas sentem que tem o poder de um relacionamento, elas tendem a assumir que aquele relacionamento está garantido.

É como se quanto mais próximo a pessoa se torna, e mais confiança é estabelecida, mais a pessoa sente que pode ir além dos limites daquela relação.

A pessoa se acha no direito de fazer coisas que nunca faria com outras pessoas que não conhecem ou que não se importa.

Por exemplo, geralmente um homem tende a ser muito gentil com a mulher que ele está namorando. Ele faz elogios, tem atitudes legais e se esforça para mostrar que está completamente apaixonado por ela.

Ele jamais sonharia em gritar com ela, ou fazer um comentário grosseiro, ou ser crítico demais às coisas que ela faz ou diz. O homem sabe que se ele agir desta maneira, a linda garota o deixará num piscar de olhos.

A humildade e a insegurança são o que o mantém no controle de sua negatividade carnal. Então naturalmente, essa mulher se apaixona por esse doce e amoroso companheiro.

namorar

Um ou dois anos depois de seu casamento, o homem já começa a verbalizar comentários negativos.

Passam-se mais alguns anos e o homem tem mais liberdade e começa a verbalizar o seu desprezo, porque agora ele percebe que está seguro dentro desse relacionamento.

Ele percebe que pode dizer o que quiser e agir como quiser, porque existe uma probabilidade muito pequena de que sua esposa tomará alguma atitude a respeito.

E tudo isso, pode e acontece por parte da mulher também, e em muitos casos acontece em ambos os lados e na mesma medida.

A pessoa que você mais ama está recebendo o impacto do seu mal humor, das suas reclamações e da sua atitude. Quando você não dá valor àqueles a quem ama, você não está em sintonia com a mais importante prioridade de sua vida.

Um problema ainda mais é quando…

Nos aproveitamos da intimidade que temos para machuca-los

Temos uma tendência natural de usar o conhecimento que ganhamos através da intimidade contra as pessoas que amamos. Usamos esse conhecimento para diminuí-los e para ganhar vantagem em uma discussão ou desacordo.

Muitos de nós, usamos o conhecimento que temos das fraquezas passadas das pessoas que amamos para diminuí-las. Tirar vantagem das armas que temos é um instinto humano e carnal que está a nossa disposição, para que possamos nos proteger.

E realmente… é exatamente isso que estamos fazendo. Na tentativa de proteger e defender quem somos, ou nosso ponto de vista, não conseguimos evitar usar tudo o que temos a nosso dispor para desacreditar a outra pessoa e a ‘colocar em seu lugar’.

Sabemos exatamente o que dizer para irritá-los, acabar com seus sentimentos, ou fazer com que se sintam inúteis.

Sabemos como atingi-los e sabemos o que dizer a fim de causar mais dor. E tudo isso acontece, porque conhecemos e amamos aquela pessoa, mais do que a qualquer outra pessoa em nossas vidas.

O livro apócrifo afirma que: “A chicotada produz um ferimento, porém uma língua má quebra os ossos” (Eclesiástico 28:21).

E de acordo com Tiago, a língua é um fogo, que nenhum homem pode domar. Exceto você. Você pode domar a sua língua. E ao fazê-lo, as pessoas que ama estão mais inclinadas a domarem suas línguas também.

intimidade

É perigoso tratar aqueles a quem ama com grosseria. Tratar mal um ente querido a longo prazo, pode eventualmente ter seu preço, e fazer com que seu maior advogado na vida se torne alérgico a sua presença.

E depois?

Desespero? Arrependimento? Dor? Destruição?

Espero que o homem com quem almocei, encontre uma maneira de tratar melhor sua esposa. Porque se ele trata-la do jeito que me trata… então não terá problemas em casa.

E espero que eu nunca me sinta culpado por tratar as pessoas que amo de maneira que nossos laços de amor, que levamos anos para construir, sejam desfeitos.

Minha esposa, meu filho e minha filha, minha mãe e meu pai, minha irmã e meus amigos íntimos… por favor tenham certeza de receber o melhor de mim, porque vocês merecem.

Fonte: Greg Trimble

Relacionado:

Terapeuta diz como lidar com raiva e gritaria no casamento