A escritura chave aqui é:

“E Jesus lhe disse: Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus”.

O que você entende com essa escritura que se encontra em Lucas 9:62?

Para entendermos melhor o versículo 62, vamos voltar ao versículo 61. Lá, lemos:

“Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa”.

Jesus, nessa passagem de Lucas, está falando das exigências de segui-Lo. E para evidenciar a missão que Ele nos convida a realizar, deixa alguns exemplos de pessoas que se aproximavam Dele dizendo que queriam segui-Lo.

Aquele que quer seguir a Cristo mas coloca vários empecilhos é a pessoa que quer lançar mão do arado, mas quer também olhar para trás. Ou ainda, pode significar uma pessoa que está com a mão no arado, arando a terra, mas o faz com desatenção, atento às coisas do mundo.

O que significa arar a terra?

Jesus usa uma imagem do mundo da agricultura para transmitir o que Ele deseja de quem quer imitá-Lo. A imagem consiste na atividade de arar a terra. Naquele tempo, não existia trator, então a terra era arada por animais. O arado, instrumento de lavoura destinado a preparar a terra, era feito de um galho de árvore em forma de forquilha preso por um jugo numa extremidade e por uma relha segura a uma chapa de ferro na outra. Era puxado por uma junta de vacas ou bois ou por uma parelha de jumentos, guiados pelo lavrador. Quem estava conduzindo o animal não podia se distrair, mas devia prestar atenção nos animais e no esforço que fazia com as próprias mãos para que o arado seguisse em linha reta. Olhar para trás significava criar um valo torto ou desviar da direção justa.

O que o Senhor queria ensinar 

Quando o Senhor Jesus cita esse exemplo, Ele de imediato imagina alguém arando a terra e olhando para trás, mas sem largar o arado. Ou seja, é uma pessoa que quer servir a dois senhores. Por essa ótica, compreendemos que esse conselho é direcionado aos que servem na Igreja, mas o fazem com desatenção, desprezando a sua real importância. O arado, que veio à sua memória na época, era o produto artesanal puxado por bois, os quais eram guiados por homens atentos, focados no ponto de chegada, mantendo a vala ou rego sempre em linha contínua a fim de lançar a semente e manter a plantação alinhada.

A mensagem de Cristo não consiste no fato de que alguém que quer seguir a vida cristã não possa mais falar com os velhos amigos que não são membros da Igreja, participar de atividades seculares ou, como diz o ditado, “fazer coisas do mundo”. Jesus, por outro lado, quer ilustrar que se uma pessoa quer se tornar cristã, não precisa esperar nem criar uma situação particular, mas deve começar imediatamente e com pouco. E quando começar deve seguir adiante, sem olhar para trás.

Obviamente, ao decidirmos pela causa de Cristo, algumas coisas ficarão para trás e não farão mais parte de nós. É este o mesmo sentido que temos outro exemplo de uma pessoa a quem Jesus disse “segue-me”. E a pessoa respondeu:

“Senhor, deixa que primeiro eu vá, e enterre meu pai”.

E então Jesus acrescenta:

“Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus” (Lucas 9:59-60).

Muitos continuam no evangelho e apesar da sensação de bem-estar proporcionada pelas “experiências espirituais”, acabam acomodando-se e relaxando na fé, desviando sua principal atenção na perfeição da obra de Deus e deixando de focar na vida espiritual, passando a ter saudade do passado, desejos pelo pecado e demais ilusões deste mundo.

Jesus ensinou que aqueles que querem entrar no Reino e dele participar têm que ser persistentes, ousados e aptos para lutar, porque as coisas não são fáceis. “Porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que o encontrem” (Mateus 7:14).

Há muitas tribulações e aflições. O inimigo é de fato muito forte mas, se tivermos bom ânimo, venceremos assim como Jesus venceu (João 16:33).

Em um de seus discursos, o Presidente Dallin H. Oaks ensinou:

“Seguir Cristo não é uma prática desleixada ou ocasional, mas um compromisso contínuo e um modo de vida que se aplica a todos os momentos e em todos os lugares”.

Em resumo…

Quando decidimos pela causa de Cristo, devemos estar atentos ao nosso trabalho de arar a terra. Não devemos nos desviar do caminho. Não devemos olhar para trás. Precisamos focar e ser persistentes, a despeito de quaisquer coisas que possam nos advir. Se quisermos alcançar o Reino de Deus, depois de aceito o encargo de arar a terra, não devemos olhar para trás.

Relacionado:

O que podemos aprender com a parábola do joio e do trigo?