Nossa décima sétima Regra de Fé diz: “Cremos no dom de línguas, profecia, revelação, visões, cura, interpretação de línguas, etc.” Essa dom espiritual esta presente na Igreja hoje, como esteve no passado, listamos, portanto, quatro reflexões sobre ele. Confira:

  1. O DOM DAS LÍNGUAS É UM DOM DO ESPÍRITO. Paulo listou vários dons espirituais e disse que alguns recebem o dom da “variedade de línguas; e [outros o dom da] interpretação de línguas” (1 Coríntios 12:10). Morôni, no último capítulo do Livro de Mórmon, lista diversos dons e diz que algumas pessoas podem desfrutar do dom de falar “todos os tipos de línguas”, e acrescenta que “todos esses dons são dados pelo Espírito de Cristo” (Morôni 10:15, 17). O Senhor também fez uma lista exemplificativa de dons espirituais e citou o dom de línguas (D&C 46:24). Todas estas passagens e muitas outras mostram que este é um dom de Deus.
  2. O DOM DA LÍNGUA PODE SER IMITADO POR SATANÁS E SEUS SEGUIDORES. Infelizmente Satanás pode imitar com certa facilidade o dom de falar em línguas. É por isso que Paulo fez uma seria advertência, que é valida para nós: “Assim também vós, pois, que desejais dons espirituais, procurai abundar neles, para edificação da igreja. Pelo que, o que fala língua estranha ore para que possa interpretar. Porque, se eu orar em língua estranha, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto. Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. (…) Eu antes quero falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua estranha. (…) De sorte que as línguas estranhas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis (…) Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem línguas estranhas, e entrarem ignorantes ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos? (…) Que fareis, pois, irmãos? Quando vos congregais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem outra língua, tem revelação, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. E se alguém falar língua estranha, faça-se isso (…) um por vez; e que um interprete.” Paulo foi claro dizendo que “Deus não é Deus de confusão” e disse que tudo deve ser feito “decentemente e com ordem” (I Coríntios 14:12-27, 33, 40). Joseph Smith ensinou: ““Também temos irmãos e irmãs que tiveram falsamente o dom de línguas; falavam murmurando, com uma voz afetada e anormal, retorcendo o corpo (…); no entanto, nada existe de anormal e afetado no Espírito de Deus.” [1] Ele também disse: ““Não falem com o dom de línguas sem compreender ou sem interpretação. O diabo pode falar em línguas; o adversário virá com sua obra; ele pode tentar todas as classes de pessoas; pode falar em inglês ou holandês. Que ninguém fale em línguas a menos que interprete, a não ser pelo consentimento de alguém chamado para presidir; então ele poderá discernir ou interpretar, ou outra pessoa poderá fazê-lo.” [2]
  3. DUAS MANEIRAS EM QUE SE MANIFESTA O DOM DAS LÍNGUAS. O dom das línguas se manifesta de duas maneiras básicas: (1) o receptor do dom fala em língua desconhecida para todos os que o ouvem e (2) o receptor do dom fala em uma língua que outros compreendem, mas ele mesmo não compreendia antes de receber a graçaComo exemplo do primeiro caso temos a Rainha Lamanita, que sendo acordada de sua arrebatamento espiritual clamou: “Oh! Abençoado Jesus, que me salvou de um inferno horrível! Ó Deus bendito, tem misericórdia deste povo! E tendo dito isso, juntou as mãos, cheia de alegria, dizendo muitas palavras que não foram compreendidas” (Alma 19:29-30). Também houve uma ocasião onde Brigham Young falou em línguas – o que levou Joseph Smith a profetizar que um dia Brigham presidiria a Igreja [3] Exemplo da segunda maneira de manifestação do dom é o milagre de um ministro do evangelho falar perfeitamente em um idioma que ele ele mesmo não conhece ou tem fluência. Quando o Presidente Russell M. Nelson dedicou o CTM do Brasil, muitos anos atrás, fez a oração dedicatória em português perfeito – mesmo não conhecendo o idioma. Ele realizou o mesmo milagre ao dedicar o terreno do Templo de Curitiba. Centenas de pessoas que estavam presentes são testemunhas. Missionário de tempo integral estrangeiros desfrutam muito deste dom, para conseguir em pouquíssimo tempo transmitir as mensagens dos evangelho em idioma estrangeiro.
  4. O PROPÓSITO DO DOM DAS LÍNGUAS. No famoso milagre do Novo Testamento durante o Dia de Pentescostes, em Atos 2, revela o propósito principal deste dom, que é pregar o evangelho. O profeta Joseph Smith explicou: “As línguas foram dadas para o propósito da pregação entre aqueles cuja língua não seja compreendida; tal como no dia de Pentecostes, etc., e não é necessário que línguas sejam ensinadas para a Igreja particularmente, porque todo homem que tiver o Espírito Santo pode falar das coisas de Deus em sua própria língua bem como em outra; porque a fé não vem pelos sinais, mas por ouvir a palavra de Deus.” [4]

 

________

NOTAS

[1] History of the Church, volume 4, p. 580; pontuação modernizada; extraído de “Try the Spirits”, editorial publicado em Times and Seasons, 1º de abril de 1842, p. 747; Joseph Smith era o redator do jornal.

[2] History of the Church, volume 3, p. 392; extraído de um discurso proferido por Joseph Smith aproximadamente em julho de 1839 em Commerce, Illinois; relatado por Willard Richards.

[3] Ver Brigham Young, “History of Brigham Young” (História de Brigham Young), Millennial Star, 11 de julho de 1863, p. 439.

[4] History of the Church, volume 3, p. 379; extraído de um discurso proferido por Joseph Smith em 27 de junho de 1839, em Commerce, Illinois; relatado por Willard Richards.