David Archuleta declara ser parte da comunidade LGBTQIA+ e pede mais compreensão sobre esse assunto

No último dia 12 de junho, o cantor-compositor, ex-participante do American Idol e um ícone entre os Santos dos Últimos Dias, David Archuleta, declarou em seus perfis nas redes sociais que faz parte da comunidade LGBTQIA+.

Ele disse em sua publicação (tradução não oficial):

“Eu gosto de ser mais reservado, mas também acho que isso é algo importante para ser compartilhado, porque eu sei que muitas outras pessoas que foram criadas em alguma religião sentem o mesmo.

Sou bem aberto sobre mim para mim e para minha família mais próxima há alguns anos, que não tenho a certeza da minha própria sexualidade. Assumi que sou gay para a minha família em 2014. Mas então eu percebi que, de certa maneira, eu tenho sentimentos semelhantes tanto em relação aos homens quanto às mulheres, então me identifico como sendo bissexual.

Eu ainda estou tentando entender as coisas, à medida que também aprendi que não tenho tantos desejos sexuais e vontades como a maioria das pessoas o que acontece, eu acho, pelo meu compromisso de me guardar para o casamento. O que as pessoas chamam de assexualidade, quando não experimentam impulsos sexuais.

Há pessoas que passam pelo mesmo sentimento de ser LGBTQIA+, (eu sei que é um monte de letras que muitas pessoas não entendem, mas representam diversas experiências únicas que as pessoas sentem e vivenciam, que as fazem sentirem-se isoladas e sozinhas) e muitas delas lutam para seguir suas crenças, que são tão importantes para elas quanto para mim. Eu não sei o que fazer e eu não tenho todas as respostas. Eu só convido vocês a considerarem, por favor, a criação de um espaço para ser mais compreensivos e compassivos para com aqueles que são LGBTQIA+, e aqueles que fazem parte dessa comunidade e que estão tentando encontrar esse equilíbrio com sua fé – que também é uma grande parte de sua identidade assim como para mim.

Eu acho que podemos ser melhores como pessoas de fé e cristãos, incluindo os santos dos últimos dias, para ouvir mais a luta entre ser LGBTQIA+ e ser uma pessoa de fé. Há mais do que vocês podem perceber ao passar por essa luta, depois de todos os mal-entendidos que vêm com ela. Não acho que vocês devam pensar que precisam aceitar uma pessoa ou outra.

Para eu encontrar a paz, a realidade foi aceitar que ambas são coisas reais, que eu vivencio e fazem de mim quem eu sou. Ainda não entendi o que isso significa, mas agradeço que tenham ouvido este assunto pessoal. Mais uma vez, eu não me sinto confortável compartilhando isso, mas senti que eu precisava trazer mais consciência para as pessoas na minha mesma situação e dizer que vocês não estão sozinhos.

Vocês podem fazer parte da comunidade LGBTQIA+ e ainda crer em Deus e em Seu plano do evangelho. E para as pessoas que não têm a experiência de estar fora da regra, sendo apenas heterossexual, eu apenas peço que sejam mais compreensivos com as pessoas que vivem e lutam com coisas que vocês podem não viver e não entender por si mesmos.

Por quase 20 anos, e tentei mudar quem eu sou, até perceber que Deus me fez como sou com um propósito. E em vez de odiar o que considerava errado, preciso ver porque Deus me ama por quem sou e que não é só sobre minha sexualidade. Tantos outros traços de quem sou vêm de como fui criado.

Se outras pessoas escolhem viver de forma diferente da qual vocês foram criados para acreditar que está certo, por favor, tenham compaixão, porque é mais provável que tenha sido uma jornada desgastante para que eles estejam bem com os sentimentos que eles têm e que nunca foram capazes de mudar. Talvez eles não deveriam mudar a forma como foram criados para ser.

Mesmo que vocês fiquem com muitas perguntas relacionadas com a fé e a sexualidade como eu, acredito que recebemos respostas ao estarmos abertos às perguntas e à fé. Deus abençoa aqueles que pedem. Então vamos continuar pedindo e buscando, e tendo compaixão e paciência.

Obrigado por me ouvir.”

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *