A maneira única pela qual o Livro de Mórmon é um símbolo da ressurreição de Cristo

A notícia de que Jesus ressuscitou dos mortos é uma mensagem de luz e alegria para um mundo sombrio e desgastado.

As declarações das testemunhas do Novo Testamento confirma que Ele vive e, porque Ele vive, podemos também ter a vida eterna se O seguirmos.

Ele foi visto por Maria e os anjos declararam Sua ressurreição a outras mulheres justas (Marcos 16: 1–7; Lucas 24: 1–10; João 20: 11–18).

Ele foi visto por Pedro, Tiago, Tomé e os apóstolos. Outros discípulos viram, falaram, comeram com Ele e tocaram as feridas em Suas mãos, pés e lado (Lucas 24: 13–43; João 20: 19–31).

Como João testificou:

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida” (1 João 1: 1).

Pedro testificou:

“Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos a sua majestade.” (2 Pedro 1:16).

Além do testemunho dos discípulos do Novo Testamento, o Livro de Mórmon fala da aparição do Cristo ressurreto nas Américas. Lá, Jesus apareceu a uma multidão de 2.500 homens, mulheres e crianças que foram convidados a sair e tocar Seu suas mãos.

“E aconteceu que a multidão se adiantou e meteu as mãos no seu lado e apalpou as marcas dos cravos em suas mãos e seus pés; e isto fizeram, adiantando-se um por um, até que todos viram com os próprios olhos, apalparam com as mãos e souberam com toda a certeza, testemunhando que ele era aquele sobre quem os profetas escreveram que haveria de vir. ”(3 Néfi 11:15).

Aqueles que estudam, história, direito e muitos outros ramos dependem de registros, documentos e textos para interpretar, julgar, medir e entender eventos e atividades significativos. O Professor S. Kent Brown observou que o Jesus ressuscitado, a Palavra de Deus, representa o evento mais importante e central na história da humanidade:

O próprio Jesus é o registro porque Ele traz em seu corpo a prova da expiação. E seu corpo é a primeira coisa que ele permite que as pessoas acessem – tocando as cicatrizes em suas mãos e seus pés e em seu lado.

Quando pensamos em textos antigos pensamos em registros que estão inscritos em pedra, tabuletas de barro, metal, madeira e papiro, que é um material mais macio e perecível. Cada um desses tipos de superfícies pode ser destruído, mas o corpo ressuscitado e glorificado de Jesus não pode.

Ele é um testemunho de si mesmo e carrega, à sua maneira, o registro de seu sofrimento, morte e ressurreição.

De um modo concreto, o registro eterno é o Cristo ressuscitado, trazendo em seu corpo marcas que nunca sumirão.

Como registro sagrado, o Livro de Mórmon nos guia para a obra divina de Jesus Cristo, nosso Redentor. O Senhor disse ao profeta Enoque:

“E verdade farei brotar da terra para prestar testemunho do meu Unigênito; de sua ressurreição dentre os mortos; sim, e também da ressurreição de todos os homens; ”(Moisés 7:62).

O Livro de Mórmon foi trazido do pó e visto e tocado por testemunhas escolhidas que, como as de outrora, testemunham sua verdade e mensagem. Em nossos dias, um registro de um povo caído, uma vez enterrado no solo, surgiu da Terra diante do mundo, como o Cristo ressurreto, através do dom e poder de Deus para a salvação e glória de todos que o receberão.

Esta é uma tradução do artigo publicado originalmente no site ldsliving.com com o título “The Unique Way the Book of Mormon Is a Symbol of Jesus Christ’s Resurrection”.

| Livro de Mórmon

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *