Para apoiar o novo programa de aprendizado da Igreja – “Vem, e Segue-me” – estamos publicando semanalmente comentários sobre a lição designada. Neste ano somos convidados a estudar o Novo Testamento. Na lição de hoje vamos estudar sobre a Ressurreição do Salvador Jesus Cristo.

Leia a lição aqui

Nenhum evento é mais importante do que a Ressurreição de Jesus Cristo. O Presidente Dallin H. Oaks, Primeiro Cosnelhiero na Primeira Presidência, afirmou:

“Será que compreendemos plenamente o imenso significado de nossa crença em uma ressurreição universal e literal? A certeza da imortalidade é um princípio fundamental de nossa religião. O Profeta Joseph Smith declarou:

“Os princípios fundamentais da nossa religião se constituem nos testemunhos dos apóstolos e profetas de que Jesus Cristo morreu, foi sepultado, ressuscitou no terceiro dia e subiu aos céus; e todas as outras coisas que pertencem à nossa religião são meros complementos dessa verdade.” (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 118.)

De todas as coisas daquele glorioso ministério, por que o Profeta Joseph Smith declarou que o testemunho da morte, sepultamento e Ressurreição do Salvador é o princípio fundamental de nossa religião, dizendo que “todas as outras coisas … são meros complementos dessa verdade?” A resposta está no fato de que a Ressurreição do Salvador é o ponto central do que os profetas chamaram de “o grande e eterno plano de libertação da morte”. (2 Néfi 11:5)” (“Ressurreição”, Conferência Geral abril de 2000)

a morte, a graça

A ressurreição nos enche de esperança. Falando sobre essa esperança o Elder F. Melvin Hammond, que serviu como Setenta, disse:

“Para os pais que colocaram o corpo mortal de um filho amado no túmulo, ou para vós que perdestes mãe ou pai, marido ou mulher, digo que deveis ter esperança. Se formos fiéis até o fim, eles não estarão perdidos para nós, a não ser por um momento. E depois, como será alegre aquela reunião, pois a misericórdia do Senhor no-los trará, triunfantes, do túmulo.” (A ressurreição”, Conferência Geral, Abril de 1990)

os anjos

Arte de Annie Henrie Nader

A ressurreição nos dará um corpo perfeito. O Élder Paul V. Johnson ensinou:

“Cada um de nós tem limitações e fraquezas físicas, mentais e emocionais. Esses desafios, alguns dos quais parecem tão insolúveis agora, enfim serão resolvidos. Nenhum desses problemas nos afligirá após ressuscitarmos.” (“Não Haverá Mais Morte” Conferência Geral abril de 2016)

gloria de deus

Um corpo ressurreto não tem limites. O Elder D. Todd Christofferson ensinou:

“O Salvador não depende de alimento, ou de água, ou de oxigênio, ou de qualquer outra substância, poder ou pessoa para viver. Tanto como Jeová quanto como o Messias, Ele é o grande Eu Sou, o Deus que existe por Si mesmo.19 Ele simplesmente é, e sempre será.” (“A Ressurreição de Jesus Cristo” , Conferência Geral abril de 2014)

Quais mudanças aconteceram nos apóstolos e nos discipulos quando entenderam que a ressurreição era real? Depois de receberem um testemunho profundo sobre a ressurreição como agiram? Eles enfrentaram ameças, prisões e a morte. Eles não desanimaram, não descansaram. Seu testemunho vibrante não podia ser impedido!

O Presidente Thomas S. Monson contou a respeito de um certo Robert Blatchford, que há cem anos “em seu livro God and My Neighbor atacou ferrenhamente crenças cristãs amplamente difundidas, como Deus, Cristo, a oração e a imortalidade. Com arrogância, declarou: ‘Afirmo ter provado tudo a que me propus provar, de maneira tão cabal e conclusiva que nenhum cristão, por mais sábio ou hábil que seja, é capaz de refutar meus argumentos ou pôr em xeque minhas ideias’. Ele se fechou num muro de ceticismo. Então, aconteceu algo surpreendente. Esse muro subitamente desmoronou. (…) Lentamente, começou a retomar o caminho da fé que tanto desdenhara e ridicularizara. O que provocou essa profunda mudança de perspectiva? A morte da esposa. Com o coração partido, ele entrou na sala onde estava o corpo dela. Olhou mais uma vez para o rosto daquela a quem tanto amava. Ao sair, comentou com um amigo: ‘É ela, mas ao mesmo tempo não é. Tudo mudou. Algo que existia antes foi retirado. Ela não é a mesma. O que pode ter ido embora senão a sua alma?’” (Thomas S. Monson, “Eu Sei Que Vive Meu Senhor!”, A Liahona, maio de 2007, p. 22)

Todos nos passaremos por um momento semelhante, de reflexão.  O Senhor realmente morreu e ressuscitou? Precisamos buscar uma compreensão sobre a ressurreição Dele. Você tem um testemunho da ressurreição?

Confira um vídeo que fiz comentando essa lição: