Lembrar-me do Salvador é algo muito especial para mim. Às vezes, estou no trabalho e inesperadamente começo a pensar Nele. Algumas vezes O vejo sentado em uma pedra, ensinando as pessoas.  Outras vezes O vejo com Marta, Maria e Lázaro. Às vezes com as crianças. Imagino as partes de Sua vida que não foram contadas nas escrituras também.

Cristo é parte integrante da minha vida. Muitas vezes, sem perceber, vejo-me orando e isso tem se tornado cada vez mais frequente. Sinto o amor Dele por mim nas menores coisas do meu dia.

Algo parecido acontece com o sacramento. Durante a semana procuro ter sempre em mente que no domingo preciso estar digna para tomar o sacramento. Isso me ajuda a pensar em minhas decisões. Muitas vezes penso: “se eu fizer isso, poderei ainda tomar o sacramento?” Gosto de pensar que temos 6 dias para nos preparar para renovar nossos convênios. Queremos renovar nossos convênios? Então, precisamos merecer isso.

Para algumas pessoas, soa um pouco abstrato pensar no Salvador fora de um contexto religioso ou sem estar na Igreja por exemplo. Mas podemos mudar isso. Como faremos?

1)   Tomar Seu nome sobre nós.

Uma das maneiras de nos lembrarmos sempre do Salvador é tomar Seu nome sobre nós. Conseguimos esquecer em que empresa que trabalhamos? Não! A mesma coisa deve acontecer com o Salvador. Se a Ele professamos seguir, devemos ter Seu nome sobre nós. Devemos declarar firmemente nossa crença Nele e em Seu evangelho. O Élder Paul B. Pieper ensinou:

“O nome do Salvador tem um poder singular e essencial. É o único nome por meio do qual a salvação é possível. Quando tomamos sobre nós o nome de Cristo, nós nos comprometemos a tomar Seus ensinamentos, Suas características e, acima de tudo, Seu amor bem dentro de nosso ser para que se tornem parte de quem somos”.

2)   Guardar Seus mandamentos.

Fazendo uma analogia novamente com a empresa onde trabalhamos – não nos esquecemos das regras. Trazemos as regras conosco porque queremos continuar a ser contados como membros da equipe, e à medida que as seguimos nos lembramos cada vez mais da empresa, não é? Com os mandamentos é a mesma coisa. Quanto mais seguimos os mandamentos, mais nos lembramos de que Igreja fazemos parte e de Quem professamos seguir.

3)   Estudar as escrituras.

Quando conheci a Igreja, ouvi muito sobre estudar as escrituras. E naquele período, mesmo um pouco cética, adotei o hábito de estudar as escrituras diariamente, mesmo que fosse por 15 minutos apenas. No início, não via como aquilo teria alguma influência sobre mim. Todavia, com o passar dos anos, vi o quão importante é estudar as escrituras. Por meio das escrituras, antigas ou modernas, adquirimos um testemunho maior sobre o Salvador e Seu evangelho. Nossa vontade de seguir a Ele aumenta. Nossa disposição de praticar o bem também. Estudar as escrituras nos fortalece contra o pecado e nos ajuda a permanecer no caminho do convênio.

4)   Ver vídeos inspirados.

Sim, vídeos. Eu particularmente amo os canais da Igreja no YouTube. Estou sempre assistindo a algum vídeo pela manhã antes de iniciar o trabalho e isso abençoa meu dia. Tanto que desejo abençoar a vida de outros e quase sempre compartilho esses vídeos com pelo menos uma pessoa.  No livreto “Para o Vigor da Juventude”, aprendemos:

“Escolham sabiamente as mídias que usam porque tudo o que lerem, ouvirem ou virem exercerá influência sobre vocês. Escolham apenas mídias que sejam edificantes”.

Se escolhermos ver vídeos inspirados sobre a vida de Jesus Cristo, por exemplo, isso nos influenciará e teremos sempre na mente e no coração a Sua imagem.

5)   Afastar de tudo o que não convida o Espírito.

Coisas boas e ruins não podem habitar em um mesmo local. Se quisermos nos lembrar de Cristo e do sacramento durante a semana precisamos atrair a companhia do Espírito, e isso depende muito de algo que só nós podemos fazer: convidá-Lo. Fazemos isso por meio de coisas boas, ações nobres e pensamentos puros. Ao atrair a companhia do Espírito, Cristo estará sempre em sua lembrança, bem como o sacramento.

6)   Entender que Cristo é um grande amigo.

Cristo é além de tudo um grande amigo. Ele é meu melhor amigo inclusive. Converso com Ele como converso com uma pessoa que está ao meu lado. Obviamente com mais respeito, mas sinto-O muito próximo de mim. Isso foi um processo e não algo que aconteceu da noite para o dia. Quando compreendi que Ele queria ser meu amigo, ficou mais fácil tê-Lo sempre na mente e no coração.

O que você faz para lembrar-se do Salvador e do sacramento durante a semana? Compartilhe conosco nos comentários.

Relacionado:

Significado do sacramento renovado com ajuda da 2ª lei da termodinâmica