Sermão da Montanha

Sermão de Jesus Cristo no Monte

Julia é uma estudante da BYU e membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (também conhecida como a “Igreja Mórmon” pela mídia). Ela está atualmente fazendo um curso de religião na Brigham Young, onde ela está aprendendo sobre  Joseph Smith-Mateus (JSM), que é a Tradução de Joseph Smith de Mateus 23:39-24:51 Abaixo estão os seus pensamentos e sentimentos sobre este livro e como ele se aplica às nossas vidas hoje:

Às vezes eu tento imaginar “o sermão comovente ” do Salvador no Monte das Oliveiras, mas é difícil de fazer. Minha mente tem dificuldade em conciliar a pacífica cena, Cristo ensinando seus amados apóstolos,  com as horrendas realidades que Ele desdobra para eles. Talvez a parte mais arrepiante das profecias, no entanto, é que elas se aplicam a nós a medida que olhamos para o fim do mundo. As palavras ditas há milhares de anos picam com potência, porque, a medida que lemos Joseph Smith-Mateus (JSM) não estamos estudando história, mas o futuro.

Sabendo disso, há várias passagens que se destacam. A profecia de que “o amor de muitos esfriará” (JSM 1:10) é uma declaração surpreendente, o cumprimento disso é evidente em nossos dias. Esta previsão é importante de se estar alerta porque ela é uma que nós podemos diretamente combater como santos dos últimos dias. Ao contrário de terremotos, guerras e destruição em massa, contra a qual somos espectadores simplesmente indefesos, podemos pessoalmente colocar os ensinamentos de Cristo sobre amar o nosso próximo em ação. Podemos nos tornar mais amorosos e caridossos, e assim garantir que o nosso amor não se esfrie.

Outra lição que pode ser aprendida por lembrar que estas profecias se aplicam a nós é um lembrete para atender ao conselho dos profetas. “E também será cumprida a abominação da desolação de que falou o profeta Daniel.” (JSM 1:32). A abertura notável, “e também” é um lembrete de que não só essa profecia se cumpriu uma vez, como será novamente. Havia profetas, antes e durante o meridiano dos tempos, e há um profeta na Terra hoje. podemos ver claramente que as suas palavras sempre acontecem e, certamente, irão acontecer novamente a medida que a Terra camina para o fim.

A lição mais importante que eu ganho com a leitura do Sermão no Monte das Oliveiras é uma de conforto. No meio de toda a destruição iminente e sofrimento, os justos foram aconselhados a “fugir para as montanhas… e não voltar para tirar coisa alguma de sua casa” (JSM 1:13-14). No meridiano dos tempos, antes que a Abominação da Desolação atingisse a antiga Jerusalém, os justos foram avisados em termos inequívocos, a fugirem para a segurança. Eles receberam vários sinais que os avisaram da destruição iminente. Como foi naqueles dias, isso será novamente. Sabendo disso, não há necessidade de olhar em frente para uma repetição desses eventos com medo injustificado. Seguindo o conselho dos profetas, prestando atenção nos sinais preditos, e mantendo nossas lâmpadas cheias com óleo, estaremos seguros. Como os primeiros santos, podemos fugir da destruição profetizada.

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *