Seus filhos se sentem confortáveis em admitir para você que erraram?

Ninguém gosta de errar, mas não precisamos lidar com o erro como algo que nos prepara para o fracasso. Todos nós já cometemos erros.

Finalmente temos tempo para comprar aquele presente perfeito ou procurar aquela notícia sobre o assunto que nos interessa, e ao invés de conseguir realizar a compra ou ler o artigo, recebemos uma mensagem de que algo deu errado.

Imediatamente nossa pressão arterial aumenta um pouco. Não temos tempo para esse tipo de inconveniência. Mas, não há nada que possamos fazer.

Reclamamos? Desistimos? Nos irritamos com o browser e tentamos usar outro? E o provedor da internet? Devemos nos irritar com ele também?

E se existisse um lugar especial para os erros em nossos corações? E se tentássemos entender o erro ao invés de nos frustrarmos e tentarmos escondê-los?

jovem problemático

Recentemente, conversei com um jovem rapaz que me confessou não contar a seus pais a maioria das coisas ruins que faz na vida, ou até mesmo as coisas boas.

Ele se sente um pouco distante de seus pais. Ele os ama muito, mas não sente que é bom o suficiente para que eles saibam tudo sobre sua vida.

Ele me disse que seus pais dizem a ele que ser parte da família significa estar livre dos erros que as outras pessoas cometem.

Ao invés de ser algo que motiva a busca da excelência, como muitos outros jovens podem achar, ele sente o peso de qualquer escolha ruim que faz e as esconde.

Os pais devem pensar que esse rapaz é uma versão melhor de si mesmo do que ele realmente sabe que é.

Mas, a parte triste dessa história é que os pais perderam a oportunidade de se aproximar de seu filho, através de suas provações e de realmente ajuda-lo, porque ele sempre as esconde.

Essa não é a primeira vez que vejo esse tipo de comportamento entre os jovens. Na verdade, durante a minha adolescência também escondi algumas coisas de meus pais.

Eu pensava que meus pais ficariam desapontados, mas agora sei que eles teriam me entendido. Eu sempre pensava que eles não aceitariam os meus erros ou que não me amariam.

Um espaço no coração

Meus pais tinham um espaço em seus corações para os meus erros, mas nunca testei o amor deles ao confessá-los.

Depois de anos trabalhando com adolescentes problemáticos e ao criar meus próprios filhos adolescentes, aprendi que há coisas vitais que os pais podem fazer para permitir que seus filhos saibam que eles sempre entenderão os seus erros.

Primeiro, os pais podem demostrar misericórdia e compreensão quando conversam sobre os erros que outras pessoas de dentro ou de fora da família cometem.

Dar o benefício da dúvida a outras pessoas na frente de seus filhos e tratá-las com misericórdia, sem importar quais os erros ou escolhas, é um exemplo memorável e inspirador de misericórdia.

Segundo, os pais podem iniciar conversas regulares com seus filhos, para que as portas da comunicação estejam abertas para qualquer assunto.

Quando os pais dizem a seus filhos que os erros fazem parte da vida, e que eles esperam que erros aconteçam, os filhos não se preocuparam em contar seus erros para seus pais.

Terceiro, e talvez mais importante é decidir como pais, não se espantar com qualquer coisa que seus filhos lhes contem.

Não podemos levar o erro deles para o lado pessoal. É importante perceber que as ações dos filhos não são necessariamente um reflexo da criação dos pais.

Às vezes, os erros acontecem porque a pessoa está crescendo, aprendendo, explorando e testando seus limites. Esses erros geralmente não são feitos para nos machucar.

Precisamos decidir não sermos emocionalmente afetados por essas ações desafortunadas.

E por fim quando ouvir sobre o mal comportamento, sempre os trate com amor. Na verdade, os elogie por conversar sobre o tal comportamento ou escolha.

Conversar sobre o problema é a parte mais importante para resolve-lo e traçar um plano para evitar erros similares no futuro.

Nossos filhos não serão perfeitos. Nós também não somos perfeitos, então devemos demonstrar amor e dar o apoio durante toda a jornada de suas vidas, mesmo quando grandes erros são cometidos.

Os pais são feitos para amar seus filhos, e os filhos confiam nesse amor firme para encontrar segurança e apoio.

Quando um pai ou mãe não abre espaço em seu coração para entender e aceitar os erros, a criança se isola e isola seus pais em um esforço para proteger todas as partes envolvidas.

Para ajudar nossos filhos durante esses momentos, precisamos criar uma cultura de aceitação dos erros como parte da cultura de nossa família.

Obviamente, muitos erros precisam de correção por parte dos pais. Não estou sugerindo que os pais não corrijam seus filhos.

Na verdade, sou uma defensora de uma consistente educação e correção para nossos filhos.

Mas a história desse jovem rapaz é um bom lembrete que uma criação consistente, não significa que as crianças serão perfeitas ou que devem ser pressionadas para serem perfeitas.

Todos somos falhos. Todos nós erramos e precisamos aprender a corrigir nossos erros. Mas primeiro, precisamos aprender que podemos errar e conversar sobre esses erros com aqueles que amamos.

Fonte: Meridian Magazine

Relacionado:

O Senhor fala com cada um de seus filhos e não os desamparará

| Fortalecendo as Famílias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *