Como líderes da Primária podem ajudar crianças com deficiências de aprendizado

deficiências de aprendizado

Crianças com necessidades especiais podem ser encontradas em muitas classes da Primária. Como podemos atender às necessidades de todas as crianças? Aqui estão alguns recursos, com reflexões de pessoas com muita experiência, para os membros que buscam uma forma de ajudar.

Os domingos na casa da família Staples não tinham nada de descanso. Assim que o menino de 6 anos percebeu que era dia de ir para a Igreja, começaram os choros e as crises. Durante a reunião sacramental, Jon, que foi recentemente diagnosticado com uma deficiência de desenvolvimento, não parava um segundo em silêncio e se mexia sem parar. Na Primária, ele balançava para frente e para trás, balançava os pés, cutucava seus amigos ou tentava sair caminhando por aí. Ocasionalmente, ele ficava tão frustrado que ele tinha uma espécie de crise e tentava atacar seus amigos e professores.

Os líderes e professores da Primária eram pacientes e amorosos, mas eles se perguntavam como ajudar Jon ao mesmo tempo em que eles tentavam atender as necessidades das outras crianças na Primária. Heather Staples, a mãe de Jon, lembra: “Quando chegava o domingo à noite, estávamos exaustos e desencorajados”. 

A maioria dos pais membros da Igreja de Jesus Cristo já experimentou alguns desses sentimentos depois de um longo dia tentando fazer com que as crianças ficassem reverentes na igreja. Os domingos são particularmente desafiadores para os pais de uma criança com necessidades especiais. Para crianças como Jon, o domingo é muitas vezes o dia mais difícil da semana

Muitas crianças com deficiências de aprendizado têm dificuldade de sentar-se em silêncio por mais de alguns minutos. As aulas da primária talvez não tenham recursos visuais ou qualquer estimulação necessária para ajudar uma criança com autismo ou transtorno de déficit de atenção. Os professores e líderes da primária podem não ter o conhecimento e as habilidades necessárias para lidar efetivamente com essas crianças.

No entanto, atender às necessidades de todas as crianças deve ser o primeiro objetivo de qualquer primária. Procure entender a situação primeiro e, em seguida, procure por soluções. Consulte os pais, os líderes do sacerdócio e os recursos para pessoas com necessidades especiais da Igreja para obter informações e suporte.

Observe a criança

Conheça todas as crianças em sua Primária. Em média, entre 12 e 17 por cento das crianças em uma sala de Primária podem ter algum tipo de deficiência, de acordo com lds.org. As deficiências que exibem sintomas físicos, como síndrome de Down ou paralisia cerebral, são bastante óbvias, mas identificar e atender às necessidades de crianças com deficiências de aprendizado é mais difícil. Essas crianças são frequentemente rotuladas como “irreverentes” ou “difíceis” e podem não receber a ajuda de que precisam.

Observe com atenção uma criança que está tendo dificuldades. Anote o que parece ser as preferências da criança, bem como situações que parecem desencadear comportamentos desafiadores. Tente ver o mundo através dos olhos da criança e entender o que motiva o comportamento dela.

Por exemplo, uma criança com deficiência de aprendizado pode ser irreverente em sua tentativa de ocultar o fato de que ela não pode ler. Uma criança com um transtorno de processamento sensorial pode parecer introvertida ou o até o contrário, ela pode tentar tocar seus amigos continuamente como forma de entender o ambiente a seu redor.

Comunique-se com os Pais

Marque um horário para conversar com os pais em particular. Expresse seu amor pela criança e seu desejo de que a criança seja feliz na Primária. Descreva os comportamentos que você observou e peça a ajuda dos pais para encontrar soluções eficazes.

Os líderes geralmente se sentem apreensivos ao abordar os pais ou se preocupam se eles se sentirão ofendidos. Os pais podem inicialmente responder de forma defensiva, mas apreciarão suas sinceras expressões de amor e desejo de ajudar. Muitas crianças com deficiências de desenvolvimento e distúrbios comportamentais não são diagnosticadas até os cinco anos de idade ou mais; Os pais podem estar lutando para encontrar informações, assim como você. Juntos e com a inspiração do Senhor, vocês podem implementar mudanças que irão beneficiar a criança.

Heather Staples reuniu-se com a presidente da Primária da ala para descobrir possíveis razões pelas quais Jon estava tão infeliz na Primária. Ao passar um tempo observando Jon, a presidência da Primária notou que ele não tinha amigos. A presidente da Primária disse: “Nós podemos começar corrigindo isso”. A professora da primária de Jon fez um esforço constante para desenvolver um relacionamento com ele e ajudá-lo a formar amizades com as outras crianças. Embora Jon ainda considere a Primária desafiadora, ele não tem mais medo dos domingos.

Fortaleça os relacionamentos

Todas as crianças respondem positivamente quando se sentem amadas e aceitas. Procure desenvolver amor genuíno e apreciação por cada criança na Primária. Uma criança com transtorno comportamental ou deficiência de aprendizado nem sempre é capaz de controlar seu comportamento. No entanto, quando ela se sente amada, ela se sente mais motivada a tentar. Uma criança que sente algum tipo de desaprovação ou desdém vindo de outras pessoas provavelmente ficará desencorajada e desistirá.

Visite a criança na casa dela ou convide-a para sua casa com um colega de classe para fazer biscoitos ou jogar algum jogo infantil. Ajude-a a desenvolver estratégias para se relacionar com as outras crianças.

Faça um plano

Juntamente com os pais da criança, desenvolva um plano baseado nos pontos fortes e necessidades da criança. Pense de forma criativa e esteja disposta a fazer adaptações no cronograma de aulas. Por exemplo, se uma criança tiver problemas para se sentar ao durante o tempo de compartilhar, permita que ela chegue alguns minutos atrasada. Dê uma volta ou deixe uma porta aberta para que ela se sinta livre. Se uma criança parecer incomodada pelo barulho de um grande grupo de crianças, deixa-a usar fones de ouvido.

Os professores experientes sabem que uma aula produtiva e eficaz vem de um planejamento cuidadoso. As seguintes estratégias podem ajudar não só as crianças com necessidades especiais, mas todas as crianças primárias, a participar mais ativamente:

Crie oportunidades para que a criança possa utilizar seus pontos fortes.

Uma criança com uma deficiência de aprendizado pode não querer ler em voz alta, mas ela pode ter uma imaginação vívida e amar participar de teatros. Shawna Hodges, cujo filho Grady tem Síndrome de Down, enfatiza a importância de fazer pequenos esforços para ajudar cada criança a se sentir incluída. Ela diz:

“Crianças com necessidades especiais ou deficiências têm sentimentos como todos nós temos. Elas querem se envolver. Permitir que elas segurem uma figura ou respondam uma pergunta durante a aula irá fortalecer sua auto-estima e os ajudará a realmente sentir que eles fazem parte do grupo “.

Manter um cronograma previsível e avisa-los se houver alguma mudança. 

Muitas crianças com necessidades especiais têm dificuldade com transições e mudanças. Uma programação previsível ajuda-os a se sentir seguros.

Prepare a sala de aula previamente. 

Retire cadeiras extras e deixe a sala de aula mais espaçosa, uma vez que um espaço organizado pode ser mais estimulante. Traga pequenos cartazes ou figuras para tornar a sala de aula mais convidativa.

Use imagens, músicas e atividades para envolver crianças e manter o seu interesse. 

Use o método mais ativo e prático possível para ensinar um conceito. Por exemplo, ao invés de apenas recontar uma história das escrituras, traga fotos, adereços ou, o melhor de tudo, fale como se fosse um personagem e atue um pouco.

Forneça variedade. 

Embora repetições possam ajudar as crianças a dominar os conceitos, as crianças ficam entediadas quando o mesmo jogo, música ou atividade é repetida de forma constante. Planeje uma nova atividade a cada 10 a 15 minutos, dependendo das idades e necessidades das crianças.

Fazer adaptações para crianças com deficiências de aprendizado pode parecer muito trabalho, mas líderes e professores que assumem esse desafio são profundamente recompensados. Líderes da primária que atendem às necessidades de suas crianças mais vulneráveis ​​de forma eficaz ganham uma maior compreensão do amor semelhante a Cristo, desenvolvem uma maior capacidade de empatia e aprofundam suas habilidades de ensino. Crianças com deficiências de aprendizado geralmente têm percepções únicas e interessantes do mundo e podem contribuir de várias maneiras para a Primária.

O site oficial da Igreja tem diversas informações e recursos. Confira aqui.

Artigo traduzido do inglês. Fonte: LDSLiving

Relacionado: Aniversário de 139 anos da organização da Primária

Atenção:

Se você for um(a) profissional da área e deseja compartilhar dicas para os professores da primária, mande um e-mail nós: [email protected]

Aniversário de 139 anos da organização da Primária

| Fortalecendo as Famílias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *