A história por trás do primeiro batismo vicário que talvez você não conheça

Você sabia que a primeira ordenança de batismo pelos mortos foi realizada por uma mulher que foi a procuradora de seu filho recém falecido? Você sabia que a ordenança foi realizada no Rio Mississippi? É verdade.

Jane Neyman foi batizada em lugar de seu filho, Cyrus, e uma mulher chamada Vienna Jacques nas costas de um cavalo, foi a testemunha.

Não foi até 1845, após a morte do Profeta Joseph Smith, que Brigham Young disse que no futuro os Santos “não [veriam] um homem ser batizado em lugar de uma mulher, ou uma mulher em lugar de um homem”, de acordo com o ChurchofJesusChrist.org.

Em seu livro, Repicturing the Restauration, Anthony Sweat disse, “Repetidas vezes mostramos as mesmas imagens da história da Igreja: a Primeira Visão, Joseph com Morôni, Joseph e Oliver com João Batista ou Pedro, Tiago e João e imagens de pioneiros.

É por um bom motivo que essas cenas são pintadas repetidamente, uma vez que são centrais para nossa narrativa da restauração da Igreja de Jesus Cristo. Mas a importante e instrutiva história dos Santos dos Últimos Dias é mais diversa do que esses eventos.

Ao ensinar sobre a história da Igreja e buscar ajudar os alunos a desenvolver uma fé ampla, profunda, historicamente informada e doutrinariamente madura, anseio por pinturas que acompanhem visualmente esses tipos de discussões”.

Como resultado, Sweat começou a pintar alguns desses eventos menos conhecidos da história da Igreja. Agora essas pinturas estão disponíveis em Repicturing the Restoration, um livro que também inclui o contexto histórico por trás de cada pintura.

Ao conversar com Morgan Jones, apresentadora do All In, podcast do site LDS Living, o professor associado de História e Doutrina da Igreja na BYU e autor Anthony Sweat, conversou sobre sua pintura do batismo realizado por Jane Neyman. Confira o trecho da conversa abaixo:

Morgan Jones: Qual pintura do livro tem seu fundo histórico favorito e o que você pode nos contar sobre ela?

Anthony Sweat: Essa é uma ótima pergunta. Provavelmente, a minha favorita seria o primeiro batismo pelos mortos com uma mulher chamada Jane Neyman. Agora, pense em batismos pelos mortos. Isso é algo muito importante na Restauração.

No entanto, a maioria das pessoas não sabe quando ou como o batismo pelos mortos começou. Então, eu fiz uma pintura chamada “O Primeiro Batismo pelos Mortos”, que retrata uma mulher chamada Jane Neyman sendo batizada no rio Mississippi por um homem chamado Harvey Olmstead, e a testemunha é uma mulher chamada Vienna Jacques que entrou no rio nas costas de um cavalo para observar e testemunhar o batismo.

Então, primeiro, uma história legal que nunca foi retratada visualmente. Quer dizer, uma mulher a cavalo em um rio quando alguém é batizado, o que poderia ser mais legal do que isso?

Segundo, a melhor parte da história é que a mulher foi batizada no lugar de seu filho. Então, uma mulher foi batizada em lugar um homem em um rio, não em um templo. O sacerdote fez uma oração no local, não houve uma oração pré-definida. E a testemunha foi uma mulher a cavalo.

E quando Joseph Smith soube que o primeiro batismo pelos mortos havia ocorrido, ele perguntou como fora feito. Ao ouviu, ele basicamente disse: “Isso conta”. E para mim, é apenas um exemplo que Deus aceita nossos esforços justos, mesmo em nossas imperfeições.

E que nossa história pode nos mostrar coisas assim. Então, por exemplo, quando a Igreja mudou recentemente sua política para permitir que as mulheres no templo sirvam de testemunhas para as ordenanças.

Meu primeiro pensamento foi: “Bem, temos feito isso desde o início”. Na verdade, isso não é nada novo se você conhece a história da Igreja, e é por isso que imagens como esta são importantes.

Elas nos ajudam a entender as coisas de forma mais ampla. Então, essa é apenas uma história dentro da história da Igreja.

Morgan Jones: Isso é muito legal. Então, eu tenho uma pergunta. A partir daí, Joseph buscou revelação sobre o batismo pelos mortos ou como isso evoluiu?

Anthony Sweat: Sim, é ótima. Veja o que você está fazendo agora. Morgan, este é o objetivo do livro – fazer você começar a pensar em questões como essa, como, “Uau, eu não sabia que foi assim que tudo começou.”

Então, como isso evoluiu para o que temos hoje? E o que vemos é que, como muitas práticas na Igreja, Deus não entregou a coisa perfeitamente embalada, embrulhada em um laço. As coisas se desenvolveram linha sobre linha.

Demorou alguns anos até que Joseph começou a dizer: “Não, precisamos registrar isso. Precisamos dizer a oração da mesma maneira. As ordenanças precisam ser feitos no templo… não em um rio.”

Foi Brigham Young que começou a dizer: “Devíamos ter homens batizados em lugar de homens e mulheres batizadas em lugar de mulheres para manter a especificidade de gênero”. Então, linha sobre linha, essas coisas começaram a se desenvolver lentamente.

Fonte: LDS Living

| Templos

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *