O Presidente Gordon B. Hinckley e sua esposa, a irmã Marjorie Hinckley, pausam para uma foto em 3 de dezembro de 1983, o segundo dia da dedicação do Templo da Cidade do México, México. Foto: Gerry Avant

Tenho certeza de que todos tiveram uma experiência que ficará para sempre na memória. Talvez isso tenha acontecido por causa de alguma coisa que foi dita ou feita.

Uma das minhas memórias vem quando lembro da dedicação do Templo da Cidade do México, México, nos dias 2 e 3 de dezembro de 1983. O Presidente Gordon B. Hinckley era o segundo conselheiro na Primeira Presidência e dirigiu algumas das sessões para dedicar o templo (O primeiro no México e no 26º no mundo).

Quando começou seu discurso em uma das sessões, o Presidente Hinckley disse, com uma voz trêmula, que naquele momento estava testificando que almas, vindas “do outro lado do véu”, estavam presentes. “Todas as salas do templo estão cheias de fiéis santos dos últimos dias”, disse ele, “mas estou convencido de que há uma congregação muito maior e invisível participando conosco”.

Reconhecimentos na dedicação do Templo da Cidade do México

O Presidente Hinckley então citou pessoas específicas que tinham auxiliado no estabelecimento da Igreja no México, começando por Brigham Young, que enviou missionários para o país. Citou nomes de vários dos missionários, do primeiro presidente de missão, do primeiro membro mexicano que foi batizado e pronunciou os nomes de vários outros que fizeram parte da história da Igreja no México.

O Presidente Hinckley então começou a compartilhar o discurso que havia preparado.

Suponho que a maioria de nós já esteve em alguma congregação quando a pessoa que dirigia a reunião reconheceu certas pessoas, como um membro da presidência da estaca ou outro visitante e, mais tarde, disse algo como: “há uma outra pessoa que esqueci de citar”. Algo assim aconteceu durante a dedicação do templo da Cidade do México.

O Presidente Hinckley estava falando havia alguns minutos. Ele fez uma pausa e explicou que havia outra pessoa, do outro lado do véu, que não havia mencionado. Com uma voz forte, mas cheia de emoção e alegria, o presidente Hinckley exclamou: “Bem-vindo, Pai Leí! Ó, como seu coração deve estar alegre!”

Eu estava sentado em uma das cadeiras da frente na sala celestial. Queria me virar e olhar na direção em que “um convidado atrasado” poderia ter entrado na sala. O momento parecia tão real que senti, com toda a certeza, que poderia ver como era o Pai Leí.

História da Igreja no México

Não vi aquele grande profeta do Livro de Mórmon nem posso afirmar que o Presidente Hinckley o viu com olhos físicos, mas não tenho dúvidas de que o Espírito Santo avisou o Presidente Hinckley que o Pai Leí, de fato, estava presente naquele dia no templo.

O Presidente Hinckley falou de outros templos como cumprimento da profecia sobre os descendentes de Leí. “Seis novos templos foram dedicados este ano”, disse ele. “Estes seis não foram planejados como uma profecia específica, mas a maioria destes templos foram construídos para servir os descendentes de Leí. (…) Creio que o Senhor tocou Seu profeta (O Presidente Spencer W. Kimball) para iniciar o andamento para a dedicação destas Casa Sagradas por meio das quais Ele está cumprindo antigos convênios sobre os descendentes de Leí.”

Em outra sessão, o Presidente Hinckley disse que tinha observado a regente do coral. “Estou convencido, por causa de sua aparência, de que ela tem o sangue do Pai Leí e da Mãe Saria nas veias. Vi brilhar nos olhos dela a luz do evangelho de Jesus Cristo e vejo isso nos olhos de vocês também. Que pessoas maravilhosas vocês são, pessoas de capacidade, fé e devoção”, disse à congregação.

Passei várias horas, naquele fim de semana, nos jardins do novo templo. Centenas de membros estavam enfileirados antes de cada uma das oito sessões, ao longo de dois dias à espera da vez de entrar no templo. Eles vieram de muitas partes do México, da Guatemala e de muitas outras esferas da vida. Os pobres e os ricos, os jovens e os velhos, todos estavam juntos aguardando o que estava prestes a acontecer.

Com poucas exceções, principalmente ex-missionários e ex-presidentes de missão e suas famílias, eu sabia que todos eram filhos de Leí. Todos tinham vindo, assim como aquele antigo profeta, para um local sagrado em uma ocasião santa.

Fonte: Church News

Relacionado:

Incrível nova descoberta arqueológica corrobora o Livro de Mórmon