5 Verdades que a Primeira Visão nos ensina sobre a natureza de Deus

Quando Joseph Smith tinha somente 14 anos, ele recebeu uma poderosa resposta para sua oração. Esta resposta é conhecida hoje como a Primeira Visão. Ela mudou a vida de Joseph para sempre. Esta visão também teve um grande impacto nos ensinamentos sobre a natureza de Deus.

“A primeira visão” por Coco Santángelo

Essas foram as palavras de Joseph:

“Vi um pilar de luz acima de minha cabeça, mais brilhante que o sol, que descia gradualmente sobre mim.

Assim que apareceu, senti-me livre do inimigo que me sujeitava. Quando a luz pousou sobre mim, vi dois Personagens cujo esplendor e glória desafiam qualquer descrição, pairando no ar, acima de mim.

Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: “Este é Meu Filho Amado. Ouve-O!” – Joseph Smith História 1:16-17

Desde então, essas simples, porém fortes palavras mudaram a vida de milhares de pessoas.

Seguem 5 verdades que podemos aprender sobre a natureza de Deus através da Primeira Visão.

  1. Deus tem o poder para nos libertar

Em um discurso de abril de 2012, o Élder L. Tom Perry disse:

“Podemos ser libertados dos caminhos do mal e da iniquidade, voltando-nos para os ensinamentos das sagradas escrituras.”

Por que necessariamente através das escrituras? Porque é nas escrituras onde encontramos as histórias dos homens e mulheres de Deus, que são libertados pela graças a pela fé inabalável nesse Deus que nos ama tanto.

O Élder Perry continuou:

“Muitas histórias do Livro de Mórmon falam de libertação. A partida de Leí para o deserto com sua família fala de como eles foram salvos da destruição de Jerusalém. A história dos jareditas é uma história de libertação, tal como a história dos mulequitas.

Alma, o filho, foi libertado do pecado. Os jovens guerreiros de Helamã foram preservados na batalha. Néfi e Leí foram libertados da prisão. O tema da libertação é bem evidente em todo o Livro de Mórmon.”

Você não conhece essas histórias? Leia-as no Livro de Mórmon. Você verá e sentirá a libertação do Senhor se manifestar em sua vida.

Fonte: Newsroom

  1. O Pai e o Filho são dos personagens distintos

A crença sobre o Pai, o Filho e o Espírito Santo, era muito clara para todo cristão: eles são uma única pessoa. Essa é uma crença enraizada no cristianismo desde o primeiro Conselho de Niceia. Porém, Deus o Pai e seu Filho Jesus Cristo, apareceram para Joseph Smith como dois personagens distintos.

A restauração desta doutrina é um dos principais ensinamentos que recebemos sobre a natureza de Deus através da Primeira Visão.

Anos depois, Joseph Smith recebeu a revelação que se encontra em D&C 130:22

“O Pai tem um corpo de carne e ossos tão tangível como o do homem; o Filho também;”

Eles são seres diferentes, cada um com seu próprio corpo. E estão unidos em propósito, mas são dois personagens diferente.

mudanças em janeiro

  1. Ele nos conhece pessoalmente

Deus não nos observa somente a distância. Ele é nosso Pai, então Ele nos conhece. Quando Deus e Jesus Cristo apareceram para Joseph, eles não somente conversaram com o jovem rapaz, mas o chamaram pelo nome.

Nosso nome é provavelmente uma das palavras que é mais importante em nossa vida, somos chamados e conhecido por ele em todo o mundo.

Nosso nome é o que nos define como pessoa nessa terra. Quando falecermos, este será o nome se estará gravado em nossa lápide. E Deus, nosso Pai, o conhece.

Elaine S. Dalton recebeu um profundo testemunho disso quando visitou o Bosque Sagrado onde Joseph recebeu sua resposta. Ela testificou:

“Ali no Bosque Sagrado, eu soube que o Pai Celestial não apenas conhecia Joseph Smith pelo nome, mas também conhece cada uma de nós pelo nome.”

O Pai Celestial nos conhece, pelo nome. Essa maravilhosa verdade se perdeu durante a Grande Apostasia, mas Deus a restaurou quando se apresentou diante de Joseph Smith.

Arte de Walter Rane

  1. A Primeira Visão nos mostra a união entre o Pai e o Filho

Na Bíblia lemos:

“E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; Eu neles, e tu em mim, para que sejam perfeitos em unidade” João 17:22-23

A primeira visão nos ensina este princípio e novamente presta testemunho da união entre Pai e Filho. Deus deu a palavra a Seu Filho, Jesus Cristo e assim, mais uma vez, confirmou Sua autoridade.

Jesus Cristo e o Pai Celestial têm o mesmo propósito e ambos têm a mesma autoridade para dirigir a Igreja na terra.

Como podemos ser unos como Eles são para alcançar os Seus propósitos?

  1. Os céus estão abertos mais uma vez, a revelação ainda existe

Na época, as reações a Primeira Visão de Joseph não foram favoráveis.

“Tratou meu relato não só levianamente, mas com grande desprezo, dizendo que tudo aquilo era do diabo, que não havia tais coisas como visões ou revelações nestes dias; que todas essas coisas haviam cessado com os apóstolos e que nunca mais existiriam.” – Joseph Smith História 1:21.

Nesse momento, as pessoas haviam se esquecido de uma verdade muito importante encontrada no Antigo Testamento

 “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas” (Amós 3:7)

imprensa

A natureza de Deus faz do Pai Celestial um Deus que é o mesmo ontem, hoje e para sempre. Deus sempre mostrou seus planos e intenções a Seus servos, os profetas.

A Primeira Visão de Joseph Smith reabriu esse meio de comunicação privilegiado entre Deus e os homens. Nos lembrou de uma das verdades mais importantes nas escrituras: a necessidade de um profeta para administrar a Igreja de Cristo na Terra.

E você? O que aprendeu com a natureza de Deus por meio da primeira visão? Compartilhe conosco, deixe o seu comentário!

Este artigo foi escrito originalmente por Giada e foi publicado originalmente por foienchrist.org, com o título “título “5 choses que la Première Vision nous enseigne sur la nature de Dieu”.

Relacionado:

É necessário ter um testemunho da primeira visão?

| Profetas Hoje

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *