É necessário ter um testemunho da primeira visão?

Pergunta

É necessário ter um testemunho da primeira visão? Ouvi dizer que o evangelho restaurado pode ou não ser apoiado pela primeira visão. Levando em conta todo o conjunto de escrituras, assim como o testemunho de todos os santos, é imaturo dizer que o evangelho pode ou não ser apoiado por uma das experiências de Joseph Smith?

Resposta

Toda vez que o Senhor inicia uma nova dispensação, ele chama profetas de maneiras similares (visões, visitação divina). Este sempre é o padrão. Para que a restauração aconteça, é natural que o primeiro passo seja uma visita. Então, foi o que aconteceu com Joseph.

“Uma das experiências de Joseph Smith” poderia ser qualquer coisa. Não acredito que o Evangelho pode ou não ser apoiado por uma noite em que ele procurava por alguma coisa no escuro.

Também não acredito que dependia dele aprender a ser um fazendeiro. Então, não. Não depende de “uma das experiências de Joseph”. O Evangelho é apoiado nas mais poderosas experiências espirituais dadas ao Profeta da Restauração.

Estamos falando de uma profunda teofania, ou manifestação divina. A primeira visão foi um dos poucos instantes na história do mundo, onde o próprio Pai falou com um homem.

Foi a primeira vez em séculos que o Salvador esteve diante de um homem e falou com ele cara a cara, como um homem fala com outro.

Foi o passo inicial para muitos outros passos muito importantes da restauração. Não foi uma pedra angular. Foi o primeiro degrau de uma escada.

Sem a primeira visão, não haveria a visita de Moroni.

Em Joseph Smith História 1:28-29 lemos:

“[…]Mas fui culpado de leviandades e, às vezes, andava com companhias joviais, etc., o que não condizia com a conduta que devia ser mantida por uma pessoa que fora chamada por Deus, como eu.

Em consequência dessas coisas, muitas vezes senti-me condenado por minhas fraquezas e imperfeições. Foi então que, na noite do já mencionado vinte e um de setembro, depois de me haver recolhido, recorri à oração e à súplica ao Deus Todo-Poderoso para pedir perdão por todos os meus pecados e imprudências, pedindo também uma manifestação para que eu pudesse saber qual era o meu estado e posição perante ele; pois tinha plena confiança de receber uma manifestação divina, como acontecera anteriormente.”

compartilhar o evangelho

Sem a visita de Moroni, nunca teríamos recebido o Livro de Mórmon. Sem o Livro de Mórmon, a autoridade do sacerdócio não teria sido descoberta e então restaurada.

Em 3 Néfi 11:21-22 lemos:

“E disse-lhe o Senhor: Dou-te poder para batizar este povo, quando eu tiver novamente subido ao céu. E novamente o Senhor chamou outros e disse-lhes a mesma coisa; e deu-lhes poder para batizar. E disse-lhes: Desta maneira batizareis; e não haverá disputas entre vós.”

A tradução desta parte do Livro de Mórmon levou a seguinte revelação em Joseph Smith História 1:68-69:

“Continuávamos ainda o trabalho da tradução, quando, no mês seguinte (maio de 1829), fomos certo dia a um bosque para orar e consultar o Senhor a respeito do batismo para a remissão dos pecados, mencionado na tradução das placas.

Enquanto orávamos e invocávamos o Senhor, um mensageiro do céu desceu em uma nuvem de luz e, colocando as mãos sobre nós, ordenou-nos, dizendo:

A vós, meus conservos, em nome do Messias, eu confiro o Sacerdócio de Aarão, que possui as chaves do ministério de anjos e do evangelho do arrependimento e do batismo por imersão para remissão dos pecados; e este nunca mais será tirado da Terra, até que os filhos de Levi tornem a fazer, em retidão, uma oferta ao Senhor.”

Sem o sacerdócio, não poderíamos ter os princípios e ordenanças do Evangelho. Sem os princípios e ordenanças do evangelho, não poderíamos partilhar da Expiação de Jesus Cristo. Sem a Expiação, nossas vidas na terra não teriam sentido.

E sem o sacerdócio, seria impossível ter todo o resto da restauração. Então, considere o fato de que sem a primeira visão, não teríamos todo o cânone de escrituras.

Sem o sacerdócio e as ordenanças, não teríamos o dom do Espírito Santo para nos ensinar o verdadeiro significado do testemunho de todos os antigos profetas. Podemos observar que sem a primeira visão, não haveria restauração.

Então, eu diria que sim, é um pouco imaturo acreditar que a primeira visão foi uma experiência simples e comum, que podemos simplesmente escolher ignorá-la ou não, é muito mais do que isso.

Este artigo foi escrito originalmente por askgramps.org.

Relacionado:

Élder Bednar fala sobre a verdade e como não ser enganados

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *