Durante o congresso anual sobre liberdade religiosa Religious Freedom Annual Review, organizado pela Brigham Young University Law School, o Élder David A. Bednar, apóstolo de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias falou sobre os alertas que recebemos devido a pandemia global da COVID-19 e outros acontecimentos recentes.

“Aparentemente nosso mundo recentemente foi preenchido de fortes alertar. Desde desastres naturais, à uma pandemia mortal varrendo o globo e a uma perniciosa praga social de racismo, somos diariamente lembrados que precisamos acordar para os tempos perigosos que nos cercam, recobrar a nossa consciência, erguer-nos e nos voltarmos para o nosso Divino Pai, que deseja nos instruir e edificar através de nossas provações”

O Élder Bednar falou sobre os alertas que a pandemia da COVID-19 levantou como limitações no suprimento de alimentos, a dependência de outras nações para suprimentos médicos, farmacêuticos, entre outros.

O apóstolo destacou os ataques à liberdade religiosa, citou as deficiências nos sistemas de saúde, a importância de defender as barreiras entre liberdade pessoal, direitos constitucionais e autoridade governamental.

Ele falou sobre o perigo da limitação para que as organizações religiosas se reúnam presencialmente.

“Em suma, reunir-se está no cerne da fé e da religião, se os fiéis não se reúnem, cedo ou tarde começarão a se espalhar. E porque a reunião está no coração da religião, o direito de reunir-se está no coração da liberdade religiosa.”

Devido a rápida propagação da COVID-19, muitas religiões ao redor do mundo tiveram seus serviços de adoração cancelados para que a reunião de grandes grupos fosse evitada e a propagação do vírus diminuísse.

Ele explicou que as medidas tomadas pelos governos, mediante ao cenário da crise da COVID-19 sobre as reuniões religiosas foram “verdadeiramente extraordinárias”.

Porém ele fez uma reflexão pessoal sobre quatro pontos que acredita que precisam de atenção:

  • O poder governamental nunca pode ser ilimitado.
  • A liberdade religiosa é primordial entre os nossos direitos fundamentais.
  • A liberdade religiosa é frágil.
  • Em tempos de crise, ferramentas sensíveis são necessárias para balancear as demandas de liberdade religiosa com os interesses justos da sociedade.

O Élder Bednar apontou que na América do Norte alguns serviços relacionados a álcool, animais e maconha foram considerados essenciais, enquanto serviços de organizações religiosas foram classificados como não essenciais, mesmo que estas atividades fossem conduzidas de maneira segura.

Ele citou o exemplo de um estado onde padres católicos foram impedidos de fazer uma unção em um fiel, mesmo ele não tivesse o COVID-19. No mesmo estado, não foi permitido que os Santos dos Últimos Dias realizassem batismos.

“Este tempo de restrição e confinamento confirmou para mim que nenhuma liberdade é mais importante do que a liberdade religiosa. É claro que é importante proteger a saúde física de uma pessoa do coronavírus, mas sua saúde espiritual também.”

O apóstolo enfatizou a importância das religiões não deixaram que a liberdade religiosa seja classificada pelos governos como algo não essencial e sobre a importância dos direitos de adoração. Ele também destacou a fragilidade da liberdade religiosa.

Este ano, o congresso sobre liberdade religiosa será somente online, transmitido via YouTube e acontecerá nos dias 17,18 e 19 de junho. O congresso traz como tema Religião e Liberdade Religiosa na Era COVID-19: Encontrar Comunidade e Esperança.

Fonte: Church News

Relacionado:

Élder Holland compartilha o que tem aprendido com o distanciamento social