Homem contemplativo com escriturasVocê já achou entranho alguma ordenança, certo padrão da Igreja ou determinada passagens de escritura? Muitas pessoas questionam o modo de agir do Senhor, no passado e no presente. Reconheço que eu mesmo já fiquei intrigado em certas ocasiões. O Senhor sabia que as pessoas se admirariam e questionariam – e por isso chamou sua obra de “estranho ato” (Isaías 28:21; D&C 95:4, 101:95).

Já vi pessoas sinceras e cheias de potencial relutarem em servir com dedicação por não entenderem coisas que aprendem no Templo, por lerem trechos pouco conhecidos da História da Igreja ou ouvirem algo das Autoridades Gerais que contrarie sua opinião politica.

Para as pessoas que se debatem com questões relacionadas ao modo de proceder do Senhor e de Seus servos, no passado e no presente, apontei alguns princípios que poderão ajudar:

1º.    ESFORCE-SE PARA COMPREENDER MAIS PLENAMENTE O CARÁTER DE DEUS. Ore sempre ao Pai Celestial, em nome de Cristo. O relacionamento que você desenvolver com Ele é muito valioso. Satanás, o pai da mentira, vai fazer de tudo para que você não acredite que existe um Deus – ou que Ele, existindo, não se importa contigo. Nada pode ser mais absurdo e irreal! Deus existe, e te conhece pelo nome. Ao reconhecer que Ele é um ser real e pessoal, você pode aprender por experiência própria que Ele é um Pai amoroso, que quer seu bem-estar eterno. Também vai compreender que “assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os (…) caminhos [de Deus] mais altos do que os [seus] caminhos, e os (…) pensamentos [de Deus] mais altos do que os [seus] pensamentos”(Isaías 55:9). E isso significa que nem sempre suas perguntas serão respondidas da maneira e no tempo que você deseja – mas serão respondidas! Saiba que “A demora do Senhor com frequência parece longa; às vezes dura a vida inteira. Mas ela sempre é planejada para abençoar.” (Presidente Henry B. Eyring, “Onde Esta o Pavilhão?”, http://goo.gl/F7cTeY )

2º.    ESTUDE COM MAIS DEDICAÇÃO ÀS OBRAS-PADRÃO. Há muitas pessoas falando sobre a Igreja, seus procedimentos, seus líderes e sua história. Muitos questionam a obra do Senhor, supondo “que podem virar a mão do Senhor para esquerda” (3 Néfi 29:9). Essas pessoas, na maioria dos casos, conhecem pouco das escrituras. E se as estudaram, não as compreendem. É importante, é vital, buscar a verdade nas melhores fontes. As escrituras – as obras-padrão e palavras dos profetas vivos são as fontes mais preciosas da verdade – porque elas dão acesso ao inestimável poder do Espírito Santo. A leitura das escrituras precisa ser diária. Mas é preciso mais do que ler: é necessário ponderar, orar e procurar aplicar o que se aprende. Só assim plantaremos a semente, e provaremos que é boa. É fácil refutar a história de Adão e Eva ou negar que Cristo tenha realizado milagres baseando-se no frágil intelecto humano que interpreta as escrituras como textos de fantasia. Mas as escrituras trazem um panorama muito mais grandioso quando estudas profundamente. Há algo na leitura constante e diligente que proporciona vigor e sabedoria – que convertem e refinam. Penso que isso acontece porque as escrituras falam de Cristo e dos princípios mais importantes para nossa alegria nesta vida e felicidade eterna. Você é livre para estudar e buscar o que quiser – mas se seu alicerce estiver bem solidificado com a poderosa palavra de Deus você compreenderá muito mais sobre tudo. E saberá distinguir o certo do errado – pois a luz de Cristo que há em ti, aumentará exponencialmente. Afinal, Deus, ao perceber que você busca, bate e pede – conhecimento sobre conhecimento – lhe dará, como dom, mais e mais luz, até o dia perfeito.

3º.    PROCURE ENTENDER O MODO DE PROCEDER DO SENHOR. Quando você ler as escrituras e orar constantemente, iras começar a ver o mundo de outra forma. E vais entender porque o Senhor permite que certas coisas aconteçam e impede que outras se realizem. Vai notar que muitas vezes o Senhor transmite sua mensagem por meio de símbolos. Ele faz isso não apenas para preservar a verdade daqueles que ainda não estão preparados para recebê-la (por não terem um conhecimento prévio ou capacidade necessária para entendê-la) ou que a desprezariam – mas também para ensinar, demonstrar amor e guiar as pessoas até Ele. As escrituras e as ordenanças do evangelho – especialmente as que se realizam dentro do Templo são muito simbólicas. Você pode aprender tudo a respeito dos símbolos no evangelho – mas precisa se esforçar muito e ser digno de revelação e de confiança. Há coisas que você não compreenderá de imediato – e nem depois de muitos anos. Esse é um dos testes de fé que precisamos passar na mortalidade.

4º.    NÃO TENHA MEDO DE FAZER PERGUNTAS. O Presidente Dieter F. Uchtodrf ensinou: “Creio que nosso Pai Celestial fica contente com Seus filhos quando eles usam seus talentos e faculdades mentais para diligentemente descobrir a verdade.” “Nesta Igreja que honra o arbítrio pessoal tão fortemente, que foi restaurada por um jovem que fez perguntas e buscou respostas, respeitamos aqueles que sinceramente buscam a verdade”. Ele também disse: “É natural ter dúvidas — a semente da dúvida sincera, com frequência, brota e amadurece até se tornar uma grande árvore de conhecimento. Há poucos membros da Igreja que, em uma ocasião ou outra, não se debateram com dúvidas sérias ou delicadas. Um dos propósitos da Igreja é nutrir e cultivar a semente da fé, mesmo que às vezes seja no solo arenoso da dúvida e da incerteza. A fé é a esperança nas coisas que não se veem mas que são verdadeiras. Portanto, por favor, duvidem de suas dúvidas antes de duvidarem de sua fé. Jamais podemos permitir que a dúvida nos aprisione e nos impeça de receber o divino amor, a paz e as dádivas que vêm por meio da fé no Senhor Jesus Cristo.” (http://goo.gl/ukm0a8 e http://goo.gl/7rnO6R)

Faça perguntas. Mas questione até mesmo suas perguntas. Ou seja: qual o motivo que você esta se indagando? O que o levou a fazer essa pergunta e qual sua relevância? Ao receber um confirmação da verdade, prossiga adiante – sem questionar o que já sabe ser verdadeiro. Ainda que o saiba tão somente pela fé.

5º.    LEVE EM CONSIDERAÇÃO O CONJUNTO COMPLETO. Isso significa procurar comtemplar o Plano Eterno. Significa que na linda melodia da verdade, se uma parte da música lhe soar diferente e até esquisita, pondere o que já sentiu, aprendeu e realizou até o momento. Avalie o que se tornou por guardar os mandamentos. É difícil, reconheço, fazer esse tipo de avaliação quando estamos imersos na agitação do dia-a-dia ou quando as negras nuvens da tristeza nos querem cegar. É por essa razão é que é tão importante “aquietar-nos”. Quando ponderamos, em um lugar calmo e sereno, o Espírito encontra mais facilmente o nosso espírito – e pode comunicar coisas muito pessoais e sagradas. (Elder Ballard ensinou recentemente sobre isso: http://goo.gl/gid0MZ).

6º.    SIRVA AO SENHOR COM DEDICAÇÃO POR MEIO DA FÉ. Pode parecer contraditório, confuso ou até errado – dedicar-se a uma causa que você não compreende plenamente. Mas o fato de não sabermos tudo, sobre tudo, não deveria paralisar-nos ou amedrontar-nos. O Senhor não exige que conheçamos tudo sobre batismo para nos batizar ou que saibamos tudo sobre sacerdócio para recebe-lo. Ele não exige que saibamos sobre o Templo antes de adentramos lá. Ele exige um “coração quebrantado e um espírito contrito” – e isso significa humilde e disposição. Precisamos ter fé em Deus. Essa fé não surge por meio de sinais incríveis. Ela começa quando confiamos na Palavra que nos diz para seguir o Mestre. E quando o seguimos – guardando Seus mandamentos – somo recompensados com mais dom de fé – e sinais se seguem. De fato, ao darmos passos na escuridão a luz de Deus se descortina – e gradualmente vemos mais e mais. Então, o segredo é servir a Deus e ao próximo. E quando fazemos esse tipo de sacrifício – mesmo sem um perfeito conhecimento aquilo que julgamos estranho ou esquisito passa a ser compreensível, e depois grandioso e glorioso.

7º.    NÃO SE MARAVILHE. Algumas ocasiões o Senhor disse a seus discípulos e a outros que “não se maravilhassem” (João 3:7, João 5:28, D&C 27:5). Isso não significa que não deviam sentir gratidão ou se contentar pelos milagres que contemplavam ou pela doutrina santa que ouviam. Significava que eles deveriam reconhecer a verdade assim como era – sem alardes ou inquietações. Se eles deixassem que o fascínio os levasse a uma admiração demasiada havia risco de ceticismo, fanatismo, espírito especulativo, misticismo, tolices e até idolatria.

Quando o Senhor ordena “não vos maravilheis”, indiretamente exige que confiemos Nele. Deus, pode todas as coisas, o homem não. Devemos reconhecer nossas próprias limitações. O Rei Benjamim aconselhou: “Acreditai em Deus; acreditai que ele existe e que criou todas as coisas, tanto no céu como na Terra; acreditai que ele tem toda a sabedoria e todo o poder, tanto no céu como na Terra; acreditai que o homem não compreende todas as coisas que o Senhor pode compreender. E novamente, acreditai que vos deveis arrepender de vossos pecados e abandoná-los e humilhar-vos diante de Deus; e pedir com sinceridade de coração que ele vos perdoe; e agora, se acreditais em todas estas coisas, procurai fazê-las” (Mosias 4:9-10).

A fé pura e simples que leva uma pessoa a fazer o bem é suficiente para receber as mais altas dádivas da Expiação. E essa é a fé que devemos buscar continuamente.

Ao viver esses princípios o “estranho ato do Senhor”, não será tão estranho assim. Veremos a morte, os desafios da doença e da dúvida, as adversidades – de outra maneira. Nossa perspectiva será outra. Seremos elevados, inspirados e nos estaremos vivendo a medida completa de nossa criação.