Estas cinco mentiras são algumas das mais poderosas e podem facilmente levar à nossa morte espiritual se acreditamos nelas.

1. Você é indigno do amor de Deus.

Satanás sabem que a mais preciosa verdade da eternidade é que nós somos filhos amados de um Pai Celestial amoroso. Ele sempre vai atacar o cerne deste princípio porque se não acreditarmos que Pai Celestial nos ama, muito propósito se desintegra.

Considere este ensinamento do Presidente Thomas S. Monson:

“O amor de Deus está lá para vocês, quer sintam que o mereçam ou não. Ele está sempre lá, simples assim”.

Quando pecamos, existem consequências. Podemos perder a companhia do Espírito Santo. Sentimos a dor da tristeza segundo Deus. Temos que enfrentar as repercussões na nossa vida quotidiana e nos relacionamentos.”

Mas perder o amor do Pai Celestial não é uma consequência do pecado. Não há nada que você faça que separe você do amor de Deus. O amor de Cristo está sempre disponível. É em tempos de pecado e tristeza que Cristo mais quer envolvê-lo com Seu amor.

2. Você deve esconder o seu pecado.

O sentimento emocional intenso associado com pecado leva-nos a tentar encobri-los. Nós mentimos. Evitamos. Ficamos desconexos. Se escondermos nosso pecado, dizemos a mesmos, que ele simplesmente desaparecerá.

Há uma série de problemas com esconder nossos pecados. Isso impede-nos de procurar ajuda e tratamento do Pai Celestial, dos líderes da Igreja confiáveis e dos conselheiros profissionais. Leva ao orgulho, quando nos preocupamos mais com que o homem vai pensar do que Deus. Fere nossos relacionamentos, inclusive com o Pai Celestial, e perdemos oportunidades para nos conectar a um nível espiritual e vulnerável.

Não devemos sai por aí confessando nossos pecados para qualquer um e contando para todo mundo. O pecado é pessoal e sobrepujá-lo é algo precioso e sagrado. No entanto, devemos confessar os nossos pecados ao Pai Celestial sem medo ou hesitação. Falar com um líder de Igreja. Procurar maneiras de compartilhar suas dificuldades de modo adequado.

Não permita que a admissão “Eu sou um pecador” tornar-se embebida em vergonha.

depressão

3. Você deve ficar obcecado com seu pecado.

Se você está lendo isso, é provável que deseja fazer algo sobre seus pecados. Isso é maravilhoso! É fantástico! É o propósito de Jesus Cristo.

Ainda assim, Satanás pode nos levar a um extremo quando ficamos obcecados por nossos pecados tão intensamente que asfixiamos nossa alma para a morte. Satanás quer que cada momento de cada dia seja consumido pelo que você fez de errado. Não deixe que seu pecado se torne a característica definidora de seus pensamentos e ações. Não deixe que ele defina você.

Uma das maneiras mais poderosas de combater o pecado não tem nada a ver com a luta contra a escuridão. A questão é como acrescentar luz. Pare de tentar lutar contra os seus pecados até a morte. Faça o bem. Ministre. Ore. Ame. Acrescente a luz de Cristo em sua vida, e a escuridão acabará indo embora.

4. Você é inerentemente mau.

Devemos sentir a tristeza segundo Deus por nossos pecados. Reconhecemos o que fizemos de errado. No entanto, muitos de nós caem na armadilha de afundar-se em vergonha. Ela é um sentimento intenso de culpa, tristeza e indignidade. A tristeza segundo Deus diz a nós que fizemos algo errado. A vergonha nos diz que somos maus, no nosso âmago.

Você é um filho de Deus. Você é divino. Na sua essência eterna, seu potencial é ilimitado. O pecado não apaga isso. O pecado não vai apagar o seu progresso, a não ser que você dê a ele o poder de fazê-lo.

Reflita sobre quando Moisés teve seu confronto com Satanás, que se enfureceu e blasfemava contra ele quando Moisés recusou-se a adorá-lo. As escrituras dizem que Moisés viu a amargura do inferno, no entanto, ele tinha certeza de sua natureza divina como um filho de Deus.

Quando você se depara com a amargura do inferno por causa do seu pecado, ele olha diretamente nos seus olhos e diz o mesmo. Sou um filho de Deus. Sou uma filha de Deus.

5. Você jamais poderá mudar.

Satanás jamais poderá mudar. Ele nunca pode progredir e seu objetivo é fazer-nos sentir da mesma maneira. Talvez você tem lutado com o mesmo pecado há anos e está exausto. Talvez seu pecado faça você sentir que ele é tão profundo e tão escuro que você não vê qualquer caminho de volta.

Você sempre pode mudar. Você sempre pode se arrepender. Não é fácil, mas o processo de utilizar a expiação não deixará nada desfeito. Nós estaremos completos por meio dela. Totalmente limpos. Totalmente livres. Totalmente com poder. Totalmente alegres.

Isto é evidente no depoimento fervoroso do Élder Jeffrey R. Holland:

“Se fizeram convênios, guardem-nos. Se ainda não fizeram, façam-nos. Se já os fizeram e os quebraram, arrependam-se e renovem-nos. Nunca é tarde demais, enquanto o Mestre da vinha disser que há tempo. Ouçam o sussurro do Santo Espírito dizer-lhes, neste exato momento, que devem aceitar a dádiva da Expiação do Senhor Jesus Cristo e desfrutar o agradável convívio que há em Seu trabalho. Não demorem. Está ficando tarde”.

Fonte: LDSDaily

Relacionado:

Como entender a doutrina e o processo do arrependimento