A primeira vez que fiquei em frente a um júri, foi na feira de ciências durante o ensino fundamental. Passei horas cortando e dobrando meias de papel e usei galões de cola para apresentar minhas fascinantes descobertas sobre um sabão para lavar roupas.

Me lembro de estar nervosa, mas muito animada para explicar o meu projeto para os juízes da feira. Eu com onze anos de idade, Dei o meu melhor ao tentar soar o mais inteligente possível enquanto respondia as perguntas e tentava mostrar aos juízes porque o meu projeto merecia um lugar na próxima etapa da competição. Sendo vencida por um vulcão a base de bicarbonato de sódio, meu projeto não foi aprovado na primeira etapa da competição.

Não importa quem você é, sempre teremos uma apresentação para fazer. Mas essa não envolverá colas ou dobras. E mais importante, não envolverá comparações do seu projeto com o de outro alguém.

Minha frase favorita do Presidente Russell M. Nelson começa assim:

“Em um dia futuro, vocês se apresentarão perante o Salvador.”

Parece que nenhuma apresentação baseada em cola irá me preparar para esse momento. Mas antes de ficarmos nervosos, vamos voltar um pouco no que essa frase do Presidente Nelson não fala. Não fala , “Em um dia futuro, você será colocado diante do Salvador e em uma posição em que será comparado com todo mundo.” Ou “Em um dia futuro, você terá cinco minutos para explicar sua vida e porque merece um lugar entre os top 20.”

Quando esse dia chegar, nosso Juíz não procurará por uma dobradura perfeita no papel, ou uma resposta eloquente para as perguntas feitas. Ele simplesmente irá querer saber quem você é. Não o que você conquistou, conseguiu comprar ou como é a sua aparência, mas quem você se tornou na Terra. Você irá se apresentar. Sempre pensei nesse momento como muito submissivo. Não tentaremos nos defender, mostrando que somos melhor do que o cara ao lado. Eu nos vejo olhando para o Salvador e tímidos dizemos ‘aqui estou.’ Não haverá comparações. Não haverá primeiro, segundo ou terceiro lugar, mas uma avaliação de você mesmo.

Recentemente, li um discurso da BYU dado por JB Haws que me fez perceber o quão importante é seguir o exemplo do Salvador em João 21: João pediu para não morrer e continuar a pregar o evangelho para sempre, enquanto Pedro rapidamente pediu para se juntar ao Salvador no reino de Deus. Depois disso, Haws compartilhou um pensamento que eu nunca havia considerado. Ele disse:

“Esse é o meu roteiro para essa história das escrituras. Pedro aborda o Salvador um pouco hesitante e logo pergunta, ‘Qual foi o desejo sincero de João?’ Pedro descobre que João deseja permanecer na terra até a Segunda Vinda para pregar o evangelho. Eu posso ver pedro mantendo um sorriso forçado e dizendo ‘Nossa. Que maravilha.’ Mas em sua mente, ele está pensando ‘Ahh como sou burro! Por que não desejei isso? Por que eu não pensei nisso? João é muito mais justo do que eu! Sem mencionar que ele corre mais rápido do que eu! Por que tenho que sempre ser impetuoso e me precipitar em tudo?’

Nessa leitura podemos pensar que Doutrina e Convênio 7:5, leríamos assim: ‘Digo-te, Pedro, [seu desejo rápido de ir ao meu Reino] foi um bom desejo; mas o meu amado desejou fazer mais, ou seja, uma obra ainda maior entre os homens do [que aquilo que você fez antes, seu preguiçoso].’

Ainda posso me lembrar onde eu estava, no entanto percebi que esse versículo não se lia dessa maneira. É assim que realmente se lê: ‘Digo-te, Pedro, que esse foi um bom desejo; mas o meu amado desejou fazer mais, ou seja, uma obra ainda maior entre os homens do que aquilo que fez antes.’

Sinto isso com todas as forças da verdade: nosso perfeito e amado Deus não faz comparações horizontais. Nesse versículo, Jesus só compara João com o João de antes, o velho João. Ele só compara Pedro com o velho Pedro, o Pedro de antes. E ele só me compara com o meu velho eu.”

a ansiedade

Por que é tão difícil seguir o exemplo do Salvador dessa maneira? Ele somente compara você com o seu você do passado, mas é muito mais fácil, e destrutivo, nos compararmos com outras pessoas.

Penso que o Espírito estava tentando me ensinar sobre isso, na última vez que li minha bênção patriarcal. Ela não fala “Você se tornará mais caridoso do que as pessoas a sua volta.” Na verdade fala coisas como, “Você aumentará os seus talentos” ou “Sua fé crescerá.” O Pai Celestial não me compara com outras pessoas nenhuma só vez, e faz isso como uma maneira de me ensinar sobre a vida na terra. O plano Dele é de me fazer andar para frente, não de maneira que eu tenha que ultrapassar alguém, mas que eu possa chegar mais perto Dele.

Mas resolver não comparar é muito mais fácil falar do que fazer. Vivemos em um mundo que ama e encoraja a competição em tudo. Mas lembrar dessas palavras do Élder Bednar pode ser um bom começo:

“Se hoje você é um pouco melhor do que era ontem, então já é o suficiente. E se amanhã você é um pouco melhor do que era hoje, então já é o suficiente.”

Todos nós deveríamos grudar essa citação em uma meia de papel!

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

3 princípios da Expiação de Jesus Cristo para aplicar em nosso dia a dia