As Cinco Escrituras Mais Temidas

escrituras-mormonUm amigo que trabalha no escritório do templo de Washington, DC tem o feliz hábito de imprimir discursos de devocionais que foram dadas em um dos campos da BYU, e deixa as cópias ao lado da telefonia do templo. Eu sempre gosto de ser designado a trabalhar no escritório da telefonia para que eu possa ler estes discursos quando o telefone não está tocando, e um deles recentemente era um desafio real.

Quando li o título em voz alta, “Minhas Cinco Escrituras Menos Favoritas”, todos no escritório estavam ansiosos para saber quais escrituras eram tão temidas e qual seria a primeira da lista do orador Richard Draper. Então eu rapidamente procurei com os olhos no discurso para descobrir quais as escrituras eram tão assustadoras que estavam no fundo do seu bau de escritura. .

Tudo o que posso dizer é que estávamos muito surpresos ao ver as escrituras que ele escolheu. Cada uma delas dizia coisas que irão acontecer nos últimos dias – você sabe, as escrituras de tristezas e desgraças que descrevem os terremotos e as enchentes e a lua tornando-se da cor do sangue. Quando li a lista dele eu disse: “Aqui está um homem que é uma pessoa muito melhor do que eu. Eu consigo pensar em um monte de escrituras que são muito mais assustadoras do que qualquer coisa na lista dele”.

Aqui está a minha lista das escrituras menos favoritas, juntamente com uma explicação de por que elas são muito mais assustadoras para mim do que pragas de gafanhotos jamais serão:

# 5 “Não cobiçarás.” (Êxodo 20:17) O texto completo é: “Não cobiçarás a casa do teu próximo, tu não cobiçarás a mulher do teu próximo nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo. “

Isso é uma longa lista, mas não é de maneira alguma a lista inteira. Não devemos cobiçar nada, e algumas dessas coisas são realmente de matar.

As coisas que eu tenho problemas cobiçando são coisas que eu já tenho. Eu amo minha casa com uma paixão tão forte que ela me diz que algum dia eu vou da-la. Eu não estou ansioso por esse dia.

Eu cobiço meu tempo. É muito mais fácil para mim tirar um cochilo ou jogar um jogo de computador do que sentar e escrever uma carta de agradecimento ao adolescente que deu um ótimo discurso sobre o trabalho missionário na reunião sacramental desta semana, ou uma carta de encorajamento para o homem que acabou de perder seu emprego. Eu poderia infinitamente melhor passar uma noite com meu marido do que participar do grupo de leitura da nossa ala ou ir a uma atividade da Sociedade de Socorro, mesmo que essas coisas pareçam agradáveis quando elas ainda estão em algumas semanas no futuro. Eu sei que devemos estar dispostos a sacrificar o nosso tempo, mas é fácil de fazer isso em abstrato e muito mais difícil fazê-lo quando a oportunidade surge para fazer o sacrifício e você simplesmente não está no clima.

# 4 “Como um homem pensa em seu coração, assim ele é.” (Provérbios 3:27)

Muitas vezes ouvimos que “você é aquilo que come”, mas isso é muito pior. Eu preferiria estar ao redor e ser visto como um pote de geléia na prateleira do que contemplar o que os meus pensamentos possam me transformar.

Abraham Lincoln disse uma vez que no momento em que um homem chega aos 40 anos, ele é responsável pelo que seu rosto se parece. Vejo isso no semblante das pessoas o tempo todo. Se você está feliz, isso é mostrado em seu rosto. Se você levar uma vida dissoluta, você pode olhar décadas mais velho do que seus anos. Mas isso vai ainda mais fundo. Tenho medo de que um monte de coisas que consideramos de má sorte não são sorte totalmente, mas ao invés disso são as manifestações de nossos pensamentos.

Quando eu digo, “Eu não posso olhar para um pedaço de bolo de chocolate sem ganhar peso”, ou “eu pego tudo o que acontece ao redor,” ou, “Nada funciona financeiramente para mim da maneira que deveria”, sou eu refletindo o que acontece na minha vida, ou eu estou criando o que vai acontecer no futuro? Eu suspeito que é a segunda opção. Eu suspeito que em muitos aspectos, minha vida está seguindo um roteiro que escrevi, e que as coisas seriam muito melhor se eu joguasse esse roteiro fora. Se eu realmente começasse me imaginando como não-feio ou saudável ou bem sucedido, eu iria me tornar essas coisas?

Eu acho que há uma boa possibilidade de que, como um imã, atraimos o bem ou o mal a nós por nossos pensamentos. O que eu estou atraindo para mim? Mesmo aqueles de nós que são considerados membros da igreja “bons de carteirinha” provavelmente tem dezenas de pensamentos cada dia que não estão em consonância com o que quer se tornar. É sempre possível viver um dia sem tais pensamentos?

# 3 “Não julgueis para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes, sereis julgados; e com a medida com que tiverdes medido, vos ão de medir a vós “(Mateus 7:1-2).

Esta é mesmo de matar, porque eu me vejo fazendo isso o tempo todo. Eu me pego julgando outras pessoas por coisas que eu mesma faço. Por exemplo, eu tenho uma amiga que constantemente se compara as outras pessoas – nunca favoravelmente. Ela me deixa louca. Mas, ao mesmo tempo, me vejo me comparando a ela e pensando que eu nunca iria condenar as pessoas do jeito que ela faz.

Quem é o hipócrita aqui?

Li recentemente um outro instigante discurso na devocional da BYU, este foi na BYU-Idaho. Em “Senhor, Sou eu?”, Robert Wahlquist cita Presidente Boyd K. Packer falar de  um incidente que aconteceu durante a Última Ceia:

Em Mateus 26, encontramos que é a véspera da crucificação. Em um tempo muito curto, Jesus com os 11 apóstolos fiéis atravessarão até o Getsêmani, onde o Salvador da humanidade vai sofrer tão intensamente que ele vai “tremer por causa da dor” e “sangrar por todos os poros” (Doutrina e Convênios 19:18 ).

Mas aquele sofrimento está ainda um pouco mais adiante. Eles estão reunidos no cenáculo em Jerusalém para comer a ceia pascal. Enquanto eles comem, Jesus anuncia no versículo 21 que “um de vós me trairá.” Nos próximos versículos Mateus registra que “começaram cada um deles a dizer-lhe: ‘Senhor, Sou eu?'”

Élder Boyd K. Packer, em 1965, fez a seguinte observação profunda. Ele disse:

“Tem sido interessante para mim que eles não fizeram naquela ocasião, se cutucarem um ao outro e dizerem, “Eu aposto que é o velho Judas. Ele tem agido [estranho] recentemente”. Isto reflete algo de suas estaturas … sim, está registrado que:”. Eles, entristecendo, começaram cada um deles a perguntarem-no: ‘Senhor, Sou eu?’ ”

Presidente Packer continua a dizendo:

“Você faria , eu imploro, ignorar a tendência de desconsiderar conselhos e assumir por apenas um momento algo como pelo menos a atitude apostólica, e perguntar a si mesmo estas perguntas: Eu preciso melhorar a mim mesmo? Devo tomar o conselho de coração e agir nisto? Se houver um fraco ou débil, relutante a seguir os irmãos, Senhor, Sou eu?

Enquanto você escuta hoje, não se deixe dizer: “Cara, eu gostaria que minha colega de quarto estivesse aqui ouvindo isso.”  Ou ” Oh, eu sei exatamente de quem o irmão Wahlquist está falando!”  Em vez disso, pergunte-se:” Senhor, Sou eu ?”  ” Senhor, Sou eu quem precisa mudar? “

Eu me vi naquele discurso. Apenas quando eu pensava que estava indo muito bem, espiritualmente, fui forçado a me olhar de forma mais objetiva do que costumo fazer, e – como sempre – Eu fui pego de surpresa. Tenho desesperadamente que parar de julgar os outros. Se eu não fizer isso, estarei condenando a mim mesmo no processo.

# 2 “E se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti, pois é melhor para ti que um dos teus membros se perca, e não que todo o teu corpo seja lançado no inferno. E se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-o de ti, pois é melhor para ti que um dos teus membros se perca, que todo o teu corpo seja lançado no inferno. (Mateus 5:29-30)

Eu não tenho nenhum problema com meus olhos ou minhas mãos. Eu não olho para a pornografia. Na verdade, eu tento não ler qualquer coisa que iria ficar na minha mente de uma forma negativa. Minhas mãos estão bastante limpas, também.

Minha língua, por outro lado, não é tão inocente quanto meus olhos e minhas mãos os são. Sempre que leio sobre os olhos, ou a mão nos ofenderem, eu automaticamente me preocupo com o que minha língua tem feito ultimamente. Eu tenho me preocupado com isso tantas vezes que, quando eu olho para as escrituras, fico surpreso de que ela não tenha mencionado a língua junto com os olhos e as mãos.

Essa idéia de que a minha língua poderia estar me dando um monte de problemas foi trazido para casa por mim há muitos anos atrás, quando a mãe de uma querida amiga minha viveu em nossa ala. Helga, a mãe, era uma velhinha senhora dinamarquesa. Ela era um bom membro da Igreja, mas ela era mal-humorada! Não havia nenhum mistério no que Helga pensava a qualquer momento. Se o pensamento vinha a sua cabeça, ela vocalizava. Eu gostava de passar tempo com ela, porque ninguém sabia o que ia sair de sua boca.

Um dia eu estava conversando com a filha sobre a Helga, e disse que quando ficarmos velhas, nós provavelmente seríamos tão contundente quanto ela. “O que você quer dizer, quando ficarmos velhas? “, Perguntou ela. “Você já é igual a ela!”

Uma coisa é dizer o que você pensa, mas e se os pensamentos não forem bons? Eu me preocupo com minha língua o tempo todo. Eu não quero que ela me coloque em apuros. Mas, mesmo que essa escritura me assuste, ela não me assusta a metade do que a escritura número um na minha lista. Esta é a escritura que me mantém acordada à noite:

# 1 Se alguém disser: Amo a Deus, e odeia a seu irmão, ele é um mentiroso: pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E temos este mandamento Dele, que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão. (1 João 4:20-21)

Há muito tempo atrás, um recém-convertido na Igreja se levantou na reunião de jejum e testemunho e disse: “Eu amo todos vocês – mesmo aqueles que não gosto” Eu achei que isso foi tão engraçado que eu devo ter rido em voz alta. Como você poderia amar alguém e não gostar dele?

Conforme os anos passaram, eu aprendi quão sábio era aquele novo convertido, e quão tola eu estava sendo ao rir de sua declaração. Há uma grande quantidade de pessoas no mundo que não são simpáticas, mas somos ordenados na forma mais forte possível de amá-las de qualquer maneira. Aprender como fazer isso pode ser um processo ao longo da vida para mim.

Eu sou uma pessoa que tem fortes opiniões. É difícil para mim ver falhas em pessoas que eu amo, e ainda mais difícil ver a bondade nas pessoas eu não gosto. Passei muitos anos me cercando apenas de pessoas que tinham minhas qualificações rigorosas. Todos os outros não eram dignos de consideração.

Então eu me fechei nessa escritura, e me lembrei do conceito de amar as pessoas que você não gosta. Agora, sempre que me encontro realmente na situação de não gostar de alguém, eu tento me colocar no lugar dela. Tento tratá-la como gostaria de ser tratada. Eu oro por ela, e coloco seu nome no circulo de oração no templo. Surpreendentemente, fazendo todas essas coisas realmente ajuda.

Sou perfeita nisso? Dificilmente! Se eu não tivesse um longo caminho a percorrer, a escritura não me assustaria mais. Pois é, eu ainda acredito que esta é a mais assustadora escritura que eu já tenha lido.

Porém, me pergunto se essas cinco escrituras ainda irão ser minhas escrituras menos favoritas daqui a dez anos. Através do processo de arrependimento, eu posso crescer; eu posso mudar, eu posso melhorar. Que maravilhosa bênção seria se, como o homem que deu a  palestra na devocional da BYU, coisas mais assustadoras, eu colocasse na minha lista de escrituras menos favoritas, fossem versos que preveem futuras pragas de gafanhotos. Se isso fosse acontecer, eu sei que estou indo na direção certa.

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *