Por Swan LeBlanc, Penang, Malásia

A Parábola do Semeador (ver Mateus 13)

Jesus e uma Multidão Durante a época do ministério de Jesus Cristo, Ele frequentemente ensinou sobre o Reino dos Céus na Terra através de parábolas. Por exemplo: a parábola do joio e do trigo, do grão de mostarda, das dez virgens, do filho pródigo e muitas outras.

Uma parábola é uma história simbólica que ensina as verdades do evangelho comparando-as com coisas terrenas. Jesus disse que Seu propósito ao ensinar através de parábolas era simultaneamente ensinar sua mensagem a Seus discípulos e escondê-las dos incrédulos.

“E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado; Porque àquele que tem, se dará, e terá em abundância; mas àquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado.  Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não veem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem” (Mateus 13:10–13).

A parábola do Semeador, como encontrada no capítulo 13 de Mateus, mostra como várias pessoas recebem o evangelho do Senhor Jesus Cristo.

“E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta” (Mateus 13:3-8).

A história da parábola é simples:

Um fazendeiro foi semear em seu campo.

  • Algumas sementes caíram pelo caminho e os passamos as comeram rapidamente.
  • Algumas sementes caíram onde tinham pedras e rochas e muito pouco solo. A semente germinou e as plantas cresceram, mas como havia solo, havia pouca ou nenhuma raiz. O sol rapidamente as secou e elas murcharam e morreram.
  • Algumas sementes começaram a crescer em locais onde havia muitas ervas daninhas. As ervas daninhas cresceram mais que as plantas e logo as sufocou até a morte.
  • Mas algumas sementes cariam em bom solo. Elas germinaram e criaram raízes profundas no solo. As plantas cresceram bem e eventualmente deram frutos e o fazendeiro teve uma boa colheita com destas plantas.

Agora vamos ler as explicações desta parábola, conforme dada por Jesus em Mateus 13:18-23

“Escutai vós, pois, a parábola do semeador. Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho. O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria; Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende; E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera; Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta” (Mateus 13:18-23).

A explicação desta parábola também é simples.

Aprendemos com estas escrituras que as sementes representam as palavras de Deus.

  • O Pé do Caminho representa as pessoas que ouviram a palavra de Deus, mas não a entenderam ou não querem entendê-la. Estas pessoas não tem princípio de retidão nelas. Seus corações estão cheios de iniquidade e não tem desejo pelas verdades do evangelho. Satanás rapidamente toma o controle de seus corações e, tão rapidamente quanto, os conduz em pequenos grupos para longe da palavra de Deus que foi colocada em seus corações. Imagino que não há espaço em seus corações para as verdades do evangelho. Estes devem ser o povo que rejeita os efeitos missionários, que bate suas portas na cara dos missionários, que criticam a Igreja e seus membros. Algumas destas pessoas podem estar entre nossos amigos. Algumas podem até mesmo ser membros de nossa família.
  • Os Pedregais representam as pessoas que ouvem e recebem a palavra de Deus, mas não permitem que ela crie raiz ou cresça em seus corações. Estas pessoas, quando ouvem o evangelho no início, sentem o Espírito e vêm para a igreja por um curto período de tempo. Eles logo se afastam, porque seu entendimento dos princípios do evangelho são tão superficiais quanto o solo em terreno pedregoso. Assim que enfrentam uma dificuldade, eles se afastam. Eles se ofendem facilmente. Estas pessoas podem ser pesquisadores que vêm para igreja por um curto período de tempo e então param de vir. Estas podem até mesmo ser pessoas que são batizadas na Igreja e então se afastam por vários motivos.
  • Os Espinhos representam as pessoas que ouvem a palavra de Deus, aceitam o evangelho, se batizam na Igreja, mas então se distraem com os cuidados do mundo, tais como o dinheiro, orgulho, mentiras, trapaças, materialismo, se comparando à Jonas na pressão, glutonaria, egoísmo, preguiça, por assim dizer, e mais algumas distrações. Estas pessoas não perseveram até o fim. Eles permitem que os cuidados do mundo vagarosamente, durante um tempo, embacem suas mentes e passa a se tornar mais importante para eles do que o evangelho de Jesus Cristo, afastando-os das verdades. Portanto, mais cedo ou mais tarde, eles morrem espiritualmente antes de conseguir dar qualquer fruto. Os cuidados do mundo eventualmente sufocam e estrangulam suas raízes e os mata.
  • A Boa Terra representa o povo que ouve a palavra de Deus e a entendem (porque querem entendê-la). Eles trabalham duro para viver em retidão e perseverar até o fim. Estas são as pessoas que tem um forte testemunho do Senhor Jesus Cristo. Eles acreditam e confiam Nele. Eles são produtivos, porque servem ao Senhor, levando seu trabalho adiante nesta Terra, compartilhando o evangelho com outras pessoas e cumprindo e magnificando seus chamados e guardando os convênios que fizeram com Deus quando foram batizados. Eles se esforçam para guardar todos os mandamentos de Deus. Eles servem com amor. Eles seguem os exemplos de nosso Senhor Jesus Cristo. Devido a sua fidelidade e serviço, são verdadeiramente abençoados. O Senhor não tira sem nos dar de volta, muitas vezes em dobro. Ele colhe os frutos de nosso trabalho de amor e obediência. Em troca, Ele nos abençoa com os frutos do Seus amor e do sacrifício que fez por nós.

Esta parábola foi recitada para demonstrar os efeitos que são produzidos ao pregar a palavra de Deus. Ela nos diz que nem todos aceitam o evangelho com o mesmo grau de compromisso e mostra as consequências que seguem os diferentes graus de comprometimento.

De “As Parábolas de Jesus, O Messias” (pg. 30) o Elder Keith Howick disse:

A Parábola (do Semeador) ensina claramente onde fica a responsabilidade concernente ao reino de Deus e a recepção do evangelho. Não estava com o semeador e não estava com a semente – estava no “solo”, o coração do homem.

Esta parábola nos ensina sobre nós mesmos e nosso comprometimento com o evangelho. Um dos muitos grande dons e bênçãos que o Senhor nos deu é o arbítrio (direito de escolha). Temos a habilidade de escolher por nós mesmo qual o tipo de terra queremos que nossa semente cresça. Qual você escolhe ser – o pedregulho, o terreno com espinhos ou a boa terra? Você decide.

 

 

Recursos Adicionais:

Jesus Cristo no Mormonismo

O Estudo da Bíblia

O Plano de Salvação

Jesus Cristo e o Sacramento