Quando cheguei em casa da minha missão todos queriam me ajudar a “me ajustar” de volta ao “mundo real”. Recebi muitos conselhos sobre o que eu deveria estar fazendo, mas olhando para trás vejo que deveria ter ignorado maioria dos conselhos que recebi. O que eu queria que alguém tivesse me dito são estas cinco coisas

1. Não pare de compartilhar o evangelho.

Quase todo mundo me disse que eu precisava ter certeza de que havia “voltado para casa” da minha missão. Eles me advertiram contra ainda querer viver na missão.

“Ex-missionários, encontrem sua antiga plaqueta missionária. Não precisam usá-la, mas coloquem-na onde a possam ver. O Senhor precisa de vocês agora mais do que nunca para ser um instrumento em Suas mãos.”
Neil L. Andersen

2. É normal sentir saudade da missão.

Quem me dera que alguém me tivesse dito que isto era normal. Não só isso, eu gostaria que alguém tivesse explicado que devemos aproveitar isso para ajudar aqueles que ainda estão na sua missão. Ainda consegui ajudar um amigo mesmo à distância.

3. A frequência regular do templo ajudará.

templo de são paulo

Logo antes de renovar minha recomendação para o templo em uma entrevista, meu presidente da estaca olhou para mim e disse: “Nós perdemos 70% dos rapazes que vão trabalhar em outro lugar durante o verão. Eles voltam para casa inativos e tendo quebrado os convênios; não seja um deles”.

Então fiz a meta de frequentar o templo uma vez por semana. O que começou primeiro como um objetivo para manter-me firme e não cair na inatividade se transformado em algo mais; Aprendi que quando a vida era injusta, quando eu sentia saudade da missão ou quando pensamentos depressivos sobre ainda não estar namorando desencadeavam, eu poderia voltar para o templo e sentir-me tranquilizado quanto ao meu valor. Eu poderia obter ajuda do alto.

4. Não deixe que outros imponham tempo para o casamento ou os estudos.

se não houvesse amanhã

Aqui estou eu 5 anos mais tarde. Ainda solteiro. Durante anos tentei respeitar um calendário que me foi imposto: “Vá para casa, vá para a escola, encontre uma moça, case-se com ela no templo e comece uma família”. Mas ano após ano e encontro após encontro não obtive sucesso.

Eu me lembro do ano passado no meu aniversário quando finalmente entendi. O único tempo que importa é o de Deus.

Uma de minhas conversas me ligou para desejar feliz aniversário e ela disse:

“Eu gostaria que você estivesse casado agora, mas eu estou feliz que você não está. No dia em que você veio ensinar as lições com os missionários eu estava planejando dizer a eles que não voltassem mais. Mas quando você fez o compromisso do batismo comigo eu senti algo, e aqui estou agora”.

Se eu tivesse seguido um calendário imposto a mim por outras pessoas, eu colocaria em risco a salvação dela. Esse custo era muito alto.

5. Continue fazendo o básico.

Conheço muitos ex-missionários menos ativos. Isso sempre começa porque eles não conseguem continuar fazendo o básico. Geralmente a primeira coisa a ir deixar de orar de manhã, depois não estudam mais as escrituras, param de ir à Igreja e finalmente a oração da noite. Esses princípios podem soar inconsequentes, mas é fazendo o básico que alimentamos nosso espírito. Quando não fazemos esses mandamentos básicos que exigem fé é que a nossa fé diminui, o Espírito deixa de lutar conosco e logo não sentimos mais o Espírito nem vemos milagres como muitas vezes víamos.

“Orar pelos outros com toda a energia de nossa alma aumenta nossa capacidade de ouvir a voz do Senhor e de prestar atenção a ela.”
David A. Bednar

Fonte: MyLifebyGoGoGoff

Relacionado:

O Sinal Que Deus Me Deu Depois de Cumprir uma Missão Mórmon de Dois Anos