4 maneiras de reduzir a ansiedade de acordo com as escrituras

Nosso Filho mais novo recentemente se formou no ensino médio e tinha planos de começar a universidade no outono. Por causa do número de vagas e outros planos para o verão, não deu certo para que ele conseguisse um emprego durante o período entre a formatura e o início da universidade. Então, ele está quebrado a maior parte do tempo, mas ele tem coisas que quer fazer, para algumas delas ele precisa de dinheiro. Eu sempre recebo mensagens dele dizendo “pai, você pode me emprestar dinheiro para [coloque um item aqui]?”

Quando recebo essas mensagens, geralmente tenho dois pensamentos conflitantes. O primeiro é:

Amo meu filho e quero fazer tudo o que posso por ele. Quero que ele esteja bem e aproveite a vida. Vou  dar o dinheiro pra ele.”

O segundo é:

Espera um pouco! Ele precisa aprender a ter responsabilidade e que dinheiro não cai do céu.” Faça ele trabalhar!

Esses pensamentos entram em conflito na minha mente por um momento, e então, depois de consultar minha maravilhosa esposa, chegamos a um acordo que combina a generosidade e a responsabilidade.

Descobri que o Pai Celestial trabalha de maneira similar. Ele nos ama mais do que podemos compreender – Acredito que Ele queria que tenhamos tudo o que é bom. Ao mesmo tempo, Ele sabe que precisamos aprender obediência através da fé, criando assim as necessidades para que sigamos os mandamentos Dele para que recebermos a bênção.

As escrituras dizem:

“Há uma lei, irrevogavelmente decretada no céu antes da fundação deste mundo, na qual todas as bênçãos se baseiam. E quando recebemos uma bênção de Deus, é por obediência à lei na qual ela se baseia.” (D&C 130:20-21)

As bênçãos estão disponíveis para aqueles que buscam, mas nossa obediência deve vir primeiro.

Muitas pessoas perguntam:

“Por que um Deus amoroso permite tanto sofrimento? Por que ele não apaga toda a dor e sofrimento de Seus filhos?”

Para aqueles com um grande entendimento sobre o nosso propósito na vida, sabemos que estamos aqui para nos tornarmos como Deus. Parte desse processo significa escolher a retidão no lugar da maldade. Essa escolha se torna um verdadeiro teste quando enfrentamos a oposição. Portanto, o Pai Celestial permite à oposição para que possamos crescer. Ao mesmo tempo, Ele providencia caminhos para sobrepujarmos a oposição.

A ansiedade é uma ‘oposição’ enfrentada por muitas pessoas. Ela cria dificuldades e angústias na vida delas. Ainda assim, o Pai Celestial nos provê meios espirituais e temporais, para que possamos reduzir sentimentos de ansiedade e estresse. Um dia enquanto lia as escrituras, me deparei com uma passagem que parecia uma receita para reduzir a ansiedade:

“Aprende de mim e ouve minhas palavras; anda na mansidão de meu Espírito e terás paz em mim” (D&C 19:23).

Em harmonia com o plano do Senhor, existem algumas ações que são seguidas de bençãos prometidas. Vamos ver cada uma e analisar como elas podem reduzir a ansiedade.

Aprender com o Salvador

Como psicólogo, tenho contato com muitas pessoas que lutam contra a ansiedade. Algum tempo atrás, eu estava conversando com um paciente membro da Igreja. Além do esforço para viver os mandamentos diariamente, ela estava preocupada com uma escolha ruim que havia feito. Na verdade, o erro que ela cometeu foi pequeno e não teve grandes consequências. Mas ainda assim ela estava preocupada com o quanto o Salvador estava  decepcionado com a sua escolha.

Aquela preocupação impulsionou a ansiedade. Enquanto ela expressava seus medos, pensei sobre o caráter extraordinário de Cristo. Pensei em Sua amorosa, misericordiosa, paciente, clemente e compreensiva natureza. Aproveitei o momento para prestar o meu testemunho sobre o amor do Salvador por ela e como eu não acreditava que Ele estava desapontado com o comportamento dela. Pelo contrário, eu sentia que Ele estava muito satisfeito com ela e que tolerava as suas fraquezas. Então percebi que parte dos problemas da minha cliente era porque ela não sabia, ou não entendia verdadeiramente, quem o Salvador é.

O primeiro convite daquela passagem nas escrituras é “aprende de mim”. Frequentemente temos oportunidades maravilhosas com o currículo Vem e Segue-Me de ter um estudo direcionado direto do Novo testamento, que ensina sobre o Salvador. Quando aprendemos Dele, entendemos o Seu caráter. Entender os sentimentos do amor do Salvador é uma experiência calma e revigorante, bem diferente dos empurrões da ansiedade.

Ouça o Espírito

Recentemente, tive a oportunidade de falar em uma devocional no acampamento das moças de nossa estaca. Entre outras coisas, falei sobre como temos a obrigação de escolher seguir os influxos do Espírito. Depois da devocional, uma jovem me fez uma pergunta. Ela me perguntou como poderia evitar sentimentos tão intensos de ansiedade e raiva, especialmente quando ela ela sentia que estava a beira de um colapso emocional.

Respondi que infelizmente, quando estamos à beira de nossas emoções extremas, não há muito o que fazer para evitar cair do precipício. Estar no limite significa que não falta muito para cairmos. No entanto, falamos sobre como ela poderia primeiramente, evitar chegar à tal ponto. Uma das estratégias era observar quais eram os tipos de situações e decisões que precediam a ansiedade e a raiva dela. A outra estratégia era preencher a vida dela com o Espírito Santo.

O segundo convite é “ouve as minhas palavras”. Acredito que isso signifique ouvir o Espírito. Não podemos ouvir o Espírito a menos que estejamos espiritualmente sintonizados. Estar espiritualmente sintonizados diminuirá nossa ansiedade. Sei que as pessoas dirão, “Irmão Morgan, não é só orar que passa a ansiedade.”

Se você é uma dessas pessoas, eu acredito em você. Mas eu não acredito que você pode lidar com a ansiedade sem desenvolver um relacionamento sólido com o Salvador e o Espírito Santo, o que inclui práticas regulares de oração, estudo das escrituras, partilhar do sacramento digna e semanalmente e onde é possível, ter uma frequência regular ao templo. Essas ações irão aumentar as impressões do Espírito Santos em nossas vidas. Sentiremos mais os “frutos do Espírito,” que inclui alegria, paz e fé (ver Gálatas 5:22). Esses sentimentos irão diminuir a ansiedade.

Agir com Fé

O terceiro convite naquela passagem das escrituras é “anda na mansidão do meu Espírito”. Depois de aprendermos sobre o Salvador e Sua personalidade e então nos preparar para reconhecer e ouvir as Suas palavras, somos convidados a ‘andar’. Andar significa ação. Significa fazer algo. Não podemos combater a ansiedade no conforto dos nossos sofás, simplesmente lendo livros ou ouvindo podcasts. Ler e ouvir podcasts podem ser uma boa preparação, mas não são suficientes sem uma ação adicional.

A ação inclui prestar testemunho em público, ir a uma loja cheia de pessoas, ou ministrar ao visitar uma família. Tais experiências podem ser muito desconfortáveis para pessoas que têm ansiedade, mas essa é a questão. Não podemos alcançar forças maiores sem passar por certos graus de desconforto. Acredito que existe uma razão para que essa escritura não nos convide para “sentar,” ou “relaxar,” ou “cochilar” na mansidão do Espírito. O convite a andar implica ir a algum lugar diferente de onde estamos agora.

Além de andar, devemos realizar essa ação em mansidão. Isto sugere boa vontade para aceitar os conselhos de pais, conselheiros, líderes da Igreja e o Espírito Santo. A ansiedade sempre leva a uma sensação de estar fora do controle, ou às vezes desejos desesperados de ter o controle absoluto. A mansidão é o oposto disso. A mansidão busca direcionamento verdadeiro. Permite a influencia de outros. Reconhece que apesar de nossos maiores esforços, ainda somos fracos e precisamos de assistência divina e mortal. Quando humildemente escolhemos seguir essas estratégias que nos ajudarão a encarar e a reduzir a ansiedade, encontraremos um sucesso proporcional aos nossos esforços.

Experimentar a Paz do Senhor

Depois de ter empregado fielmente a combinação de aprender, escutar e agir, temos o direito a promessa “terás paz em mim.” (D&C 19:23) Lembre-se das palavras do Salvador durante a Última Ceia:

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vô-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” (João 14:27).

A paz do Salvador é diferente da paz do mundo. A paz do mundo precisa que tudo esteja tranquilo. Precisa de orçamentos balanceados e marés calmas. Precisa de empregos estáveis e crianças obedientes.  

Mas a paz do Salvador é característico. Pode dormir durante tempestades. Pode permanecer calmo mesmo sendo condenado a morte. Pode confortar outros em meio a agonia dizendo “ hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:43). A benção da paz do Salvador é que pode perseverar não importa quais sejam as nossas provações ou sofrimentos. Nós podemos continuar a enfrentar oposição, podemos impulsionar nosso crescimento espiritual, enquanto ainda temos paz de que tudo dará certo e que será para nosso bem. Se você luta contra ansiedade, te convido a aplicar essa receita espiritual. Testifico que o Senhor irá cumprir as promessas se você fizer a sua parte. Que Deus te abençoe para que encontre a paz do Salvador.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

A busca por significado nos “feeds” das redes sociais

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *