A inesperada lição da missão de Alma aos Zoramitas

Quando eu era professor do seminário, sempre entendi que a missão de Alma aos Zoramitas havia sido um grande sucesso. Afinal, aquele era o “time dos sonhos” de missionários – cheio de estrelas como Amon, Aarão, Amuleque entre outros.

Aqueles missionários tinham convertido, com sucesso, milhares de pessoas em missões anteriores – é claro que também teriam sucesso naquela cidade.

Mas como Grant Hardy aponta em seu excelente livro, Understanding the Book of Mormon (Entendendo o Livro de Mórmon), há muito mais por traz desta história.

Enquanto em alguns aspectos aquela missão foi um sucesso, um dos propósitos da missão dos zoramitas era prevenir os lamanitas de fazer uma aliança com os zoramitas. Em Alma 31:3-4 lemos:

“Ora, os zoramintas haviam-se reunido numa terra a que deram o nome de Antiônum, que ficava a leste da terra de Zaraenla, que quase fazia fronteira com o mar que ficava ao sul da terra de Jérson, que também se limitava com o deserto sul, o qual estava cheio de lamanitas.

Ora, os nefitas temiam muito que os zoramitas se aliassem aos lamanitas e que isso pudesse causar grande perda aos nefitas”.

Portanto, um dos propósitos da missão zoramita era fortalecer espiritualmente os zoramitas, então, os lamanitas não iriam a Antiônum.

Claro que Alma tinha outros propósitos – ele estava triste que os zoramitas estavam se separando e estava preocupado com a salvação daquele povo.

Porém, neste artigo iremos nos concentrar na parte da missão que era prevenir os lamanitas de se unirem aos zoramitas.

A partir desta imagem, podemos observar que Antiônum está na fronteira entre os Nefitas e os lamanitas. Com os lamanitas ao sul, os nefitas esperavam fortalecer suas fronteiras.

Apesar de uma minoria de zoramitas acreditar nas palavras de Alma e seus colegas de trabalho, a maioria dos zoramitas estavam bravos por causa da pregação deles e “começaram a misturar-se com os lamanitas e também a incitá-los contra eles. E assim os zoramitas e os lamanitas começaram a preparar-se para a guerra contra o povo de Amon e também contra os nefitas” (Alma 35:10–11).

Entre os capítulos de Alma 35 e Alma 43 há vários capítulos de Alma instruindo seus filhos – mas quase nenhum tempo se passa na narrativa do Livro de Mórmon. Portanto, para seguir a linha da história, pule do final de Alma 35 para o começo de Alma 43:

O que aconteceu no final da missão de Alma? “Os zoramitas se tornaram lamanitas… os lamanitas chegaram aos milhares e entraram na terra de Antiônum, que é a terra dos zoramitas” (Alma 43:4-5).

A única coisa que Alma estava tentando prevenir ao sair em missão para os zoramitas era precipitar-se porque ele saiu em missão para os zoramitas.

Para mim, aprendemos uma poderosa lição: Tudo bem falhar. Às vezes, até mesmo as melhores pessoas, mesmo quando estão em uma missão para Deus, não conseguem ter sucesso em sua missão.

Deixe-me esclarecer – em alguns aspectos a missão não falhou – afinal, alguns dos zoramitas acreditaram! Apesar de não mudar a realidade da razão explicita para a missão deles, que era prevenir os lamanitas de usar Antiônum como um caminho para uma invasão ao território dos nefitas, e pelo menos aquela parte da missão zoramita falhou.

Porém para mim, este é um princípio reconfortante! Você e eu colocamos nossos melhores esforços em iniciativas – mesmo iniciativas divinamente inspiradas – e que não funcionam da maneira que esperávamos.

Podemos nos sentir inspirados a falar com alguém, somente para ser rejeitado, ou gastar centenas de horas planejando um incrível passeio para os jovens, somente para ser cancelado pelo COVID-19.

Quando falhamos, podemos sentir conforto ao saber que outras pessoas poderosas (como Alma e o time dos sonhos de missionários) passaram por experiências similares.

E apesar de todos os resultados da missão não terem sido com o esperado e alguns resultados terem sido vistos como falhas, podemos lembrar que “as obras e desígnios e os propósitos de Deus não podem ser frustrados nem podem se dissipar” (Doutrina e Convênios 3:1).

Apesar da missão de Alma ter acontecido de maneira diferente da que ele esperava, os planos de Deus não foram frustrados.

Igualmente em nossas vidas, apesar de falharmos, Deus pode fazer com que tudo aconteça para o nosso bem.

Se parecer que você está falhando, não desista. Mesmo depois de uma experiência difícil, Alma e seus filhos continuaram a fazer o trabalho do Senhor, nós também podemos seguir o exemplo deles.

Fonte: Meridian Magazine

Relacionado:

Os pais dos dois mil jovens guerreiros de Helamã

 

| Livro de Mórmon

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *