O quanto sabemos sobre os pais dos jovens guerreiros de Helamã no Livro de Mórmon? Geralmente atribuímos a fé e a integridade desses jovens rapazes à suas mães, e citamos esses populares versículos do capítulo 56 do Livro de Alma:

“47 Ora, eles nunca haviam lutado. Não obstante, não temiam a morte; e pensavam mais na liberdade de seus pais do que em sua própria vida; sim, eles tinham sido ensinados por suas mães que, se não duvidassem, Deus os livraria.

48 E repetiram-me as palavras de suas mães, dizendo: Não duvidamos de que nossas mães o soubessem.”

Que mães valentes! Mas seus pais ficam por conta de nossa imaginação.

Os pais dos jovens guerreiros cuidaram de seus filhos

Quando lemos o versículo 27 no mesmo capítulo, vemos o grande papel dos pais que os guerreiros de Helamã tiveram.

“E então aconteceu que no segundo mês desse ano, muitas provisões nos foram trazidas pelos pais daqueles meus dois mil filhos.”

Vemos que os jovens guerreiros foram bem cuidados por seus pais. Não posso imaginar como foi para esses pais ver seus filhos adolescentes saírem para a batalha. Os pais e mãe daqueles jovens haviam feito um convênio com Deus de nunca mais pegar em armas para guerrear.

Então, deve ter sido muito assustador ver seus filhos saírem para guerra, para cumprir seus deverem de defender suas famílias e sua liberdade, mas ao mesmo tempo eles devem ter sentido muito orgulho.

Enviar provisões era o que poderiam fazer de melhor para apoiar seus filhos. Os pais dos jovens guerreiros cuidaram de seus filhos não somente para que tivessem o alimento ou os bens materiais que necessitavam, mas providenciaram para que seus filhos tivessem suporte moral.

Foi a maneira deles dizerem a seus filhos, “Estou aqui para te ajudar, meu filho. Estou torcendo por você! Viva!”

O efeito do apoio de seus pais

Por ter o apoio de seus pais, eles devem ter sentindo-se bem alimentados e confiantes. No entanto, este não é o único resultado do apoio de seus pais.

“29 E os lamanitas, vendo assim que nossas forças aumentavam diariamente e que provisões chegavam para nosso sustento, começaram a ficar com medo e a sair, para ver se lhes era possível impedir que continuássemos a receber provisões e reforços.”

Ao ver que eles estavam recebendo apoio, seus inimigos ficaram agitados. Eles viram a força daqueles jovens, não somente em número ou força física, mas também viram que recebiam apoio, e estremeceram.

Eles criaram uma ameaça psicológica e fizeram os lamanitas pensarem que estava enfrentando um oponente ainda mais formidável.

Isto pode ou não ter sido parte da estratégia de Helamã, como algum tipo de guerra psicológica, mas é natural pensar que se a pessoa está bem, ela não será facilmente destruída.

A essência do papel do pai ao prover por sua família

Os pais dos jovens guerreiros, através de seus esforços para prover aos seus filhos, provaram que o papel os pais como provedores vai além de somente cuidar das necessidades físicas de suas famílias.

O papel de um pai cria um escudo de proteção. Desenha uma imagem de força para sua mulher e filhos. A família é mais segura.

As crianças têm mais alto confiança porque tem um senso de identidade de pertencer a uma boa família.

As pessoas veem mais facilmente a família como uma unidade forte porque o pai é um bom provedor. Famílias assim estão menos suscetíveis a insegurança, bullying, vergonha, etc.

As pessoas os respeitam quando veem um pai que é capaz de prover, não somente suporte físico, mas emocional e moral também.

Ao celebrarmos os pais, que possamos aprender com os pais dos jovens guerreiros de Helamã. Eles podem não ser a lição mais popular dentro da épica história dos 2 mil bravos guerreiros, mas sua influência e seu apoio não podem ser menosprezados.

Eles tiveram um papel crucial na vitória dos “ filhos” de Helamã e são um modelo para todos os pais.

Fonte: Faith Ph

Relacionado:

Como os maiores problemas de nossa sociedade podem ser resolvidos