Para apoiar o programa de aprendizado da Igreja – “Vem, e Segue-me” – estamos publicando semanalmente comentários sobre a lição designada. Estamos estudando o Novo Testamento em 2019. Na lição de hoje, estudaremos começaremos a estudar Hebreus.

Quem é Jesus Cristo

Paulo era um apóstolo ordenado de Jesus Cristo. Sua principal tarefa era testificar de Jesus Cristo e ajudar as pessoas a encontrá-lo. O tema mais reocrrente de suas cartas é Jesus Cristo, e em Hebreu ele testifica da superioridade de Cristo. Jesus era maior que os anjos, tinha um nome mais excelente e um chamado mais elevado. Os anjos eram servos de Deus, mas Jesus Cristo é Seu Filho. Esse livro também ensina que Jesus era maior do que Moisés e que Seu ministério trouxe um novo convênio, superior ao convênio antigo da lei de Moisés. Sendo o Grande Sumo Sacerdote do Sacerdócio de Melquisedeque, o sacerdócio de Cristo era maior do que o dos sumos sacerdotes da lei de Moisés.

Alguams pessoas questionam se Paulo é mesmo o autor de Hebreus. Entretant, o Profeta Joseph Smith atribuiu a Paulo as declarações de Hebreus (ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 110).

Paulo escreveu a Epístola aos Hebreus para incentivar os membros judeus da Igreja a manter a fé em Jesus Cristo e a não voltar às suas práticas antigas (ver Hebreus 10:32–38).

Por causa da pressão causada por várias provações, os judeus cristãos estavam saindo da Igreja e voltando a adorar da maneira judaica relativamente mais segura nas sinagogas (ver Hebreus 10:25, 38–39). Paulo queria mostrar a esses judeus cristãos que a lei de Moisés apontava para Jesus Cristo e Sua Expiação como a verdadeira fonte da salvação. Eis algumas coisas que Paulo ensinou:

  • Jesus Cristo criou os céus e a Terra (ver Hebreus 1:2, 10).
  • Jesus Cristo fala pelo Pai (ver Hebreus 1:2).
  • Jesus Cristo é o herdeiro do Pai (ver Hebreus 1:2).
  • Jesus Cristo é a expressa imagem do Pai (ver Hebreus 1:3).
  • Jesus Cristo sustenta todas as coisas pela palavra do Seu poder (ver Hebreus 1:3).
  • Jesus Cristo fez a purificação dos nossos pecados (ver Hebreus 1:3).
  • Jesus Cristo reina à mão direita do Pai (ver Hebreus 1:3).

Gentle Touch, por Karen Sharp Foster

A expressa imagem de Deus

Jesus Cristo era literalmente filho de Deus. Paulo e outros profetas ensinaram isso. O Presidente Joseph F. Smith ensinou o seguinte sobre a imagem de Jesus Cristo:

“Jesus Cristo, o Filho de Deus, é ‘a expressa imagem’ da pessoa de Seu Pai (Hebreus 1:3). Ele viveu na Terra como ser humano, como um homem perfeito, e disse, respondendo a uma pergunta que lhe foi feita: ‘Quem me vê a mim vê o Pai’ (João 14:9). Só isso seria capaz de resolver o problema de modo a satisfazer toda mente ponderada e reverente. A conclusão inegável é que se o filho de Deus é a expressa imagem (ou seja, à semelhança) da pessoa de Seu Pai, então Seu Pai tem a forma de um homem; porque essa era a forma do Filho de Deus, não apenas durante Sua vida mortal, mas antes de Seu nascimento mortal, e depois de Sua Ressurreição. Foi nessa forma que o Pai e o Filho, como pessoas distintas, apareceram a Joseph Smith, quando ele recebeu sua Primeira Visão, aos quatorze anos de idade” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph F. Smith, 1998, p. 334).

O descanso do Senhor

Em Hebreus 3 e 4, Paulo usou uma experiência do Velho Testamento para ensinar aos santos como encontrar descanso nesta vida e na vindoura. O que significa entrar no descanso de Deus? O Elder Bruce R. McConkie ensinou:

“Os verdadeiros santos entram no descanso do Senhor enquanto estão nesta vida e, por se manterem na verdade, continuam nesse estado abençoado até que descansem com o Senhor no céu. (…) O descanso do Senhor, no que diz respeito aos mortais, é obter um perfeito conhecimento da divindade da grande obra dos últimos dias. (…) O descanso do Senhor, na eternidade, é herdar a vida eterna, ganhar a plenitude da glória do Senhor (D&C 84:24)” (Mormon Doctrine [Doutrina Mórmon], 2ª ed., 1966, p. 633).

Se permanecermos fiéis aos Salvador e não endurecermos o coração, entraremos no descanso do Senhor. em Hebreus 4:4, 10 lemos que o Dia do Senhor é o símbolo e sinal do descanso do Senhor. O Élder Bruce R. McConkie, também ensinou:

“O Dia do Senhor é o símbolo e sinal do descanso do Senhor. Aqueles que entraram no descanso do evangelho guardam o Dia Senhor como um dia sagrado, como parte de sua conduta reta e da verdadeira adoração. Nesse dia, eles descansam dos trabalhos do mundo, como Deus descansou da obra da criação, como sinal e testemunho de que entraram no descanso do Senhor nesta vida, de que têm testemunhos do evangelho e aguardam ansiosamente aquele descanso do Senhor, ‘descanso esse que é a plenitude de sua glória’ no futuro (D&C 84:24)” (Doctrinal New Testament Commentary [Comentário Doutrinário sobre o Novo Testamento], 3 vols., 1965–1973, vol. III, p. 151).

Relacionado:

Vem e Segue-me: 1 e 2 Timóteo, Tito e Filemom