Há alguns anos, descobrimos que nosso filho, John, sentiu que os reis magos precisavam de um upgrade em seu meio de transporte.

Mais ou menos na mesma época, estávamos lendo sobre José e Maria e sua jornada para Belém. Nós conversamos sobre como Maria montou em um burro. Claramente confuso sobre este método de transporte, John disse: “por que não foram de carro?” Meu marido, Doug, explicou que nem eles nem ninguém tinha carro na época. John perguntou por que não foram de bicicleta. Doug explicou que, assim como não hacia carros, não havia bicicletas. John ponderou por um momento, em seguida, contrariou: “mas Jesus mostrou a Néfi como fazer um navio. Então, ele poderia mostrar-lhes como fazer um carro!”

Com frequência fico impressionada com a fé lógica das crianças. Elas podem demonstrar que de fato esperam ver milagres. (Talvez, na mente delas, não são “milagres”, porque parece muito lógicos e suscetíveis de acontecer.)

Eu pareço lutar um pouco mais por esperar ver milagres na vida. Acho que a verdade é que preciso melhorar em reconhecer os milagres na vida. Eles de fato acontecem todos os dias, às vezes são pequenas ternas misericórdias que me dizem que o Senhor está ciente de mim e de minhas tensões e provações.

Como esperar pelos milagres (e reconhecê-los)!

Acho que às vezes não damos aos nossos milagres crédito suficiente. Quando procuramos, eles estão por toda parte. De acordo com o Michaelis Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, um milagre é, “qualquer manifestação ou intervenção da presença divina na vida humana”.

Esta época de Natal é um momento maravilhoso para refletir sobre os milagres que cercam a vinda do Salvador. É também época de olhar para os milagres em nossa vida cotidiana e trabalhar para ser um milagre para os outros. Ao nos esforçarmos para fazer essas coisas, nos aproximaremos do Salvador e seremos um milagre para Ele.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Por que não vemos milagres agora como na época das escrituras?

O poder da gratidão em nossas vidas