Seguir Jesus Cristo afeta a maneira como crio meus filhos?

Criar filhos é uma tarefa árdua e a forma como criamos os filhos depende muito do que acreditamos, dos nossos valores e da nossa cultura. Então, seguir Jesus Cristo afetará sua forma de criação dos filhos SIM! Se cremos em Cristo e decidimos segui-Lo, logo, agiremos segundo as nossas crenças e ensinaremos nossos filhos através delas.

Ensinar aos filhos sobre Jesus Cristo é um mandamento e é responsabilidade dos pais

O Senhor nos instruiu: “[criai] vossos filhos em luz e verdade” (Doutrina e Convênios 93:40.)

Os santos dos últimos dias receberam o mandamento de ensinar os filhos também em Doutrina e Convênios 68:25-26:

“E também, se em Sião ou em qualquer de suas estacas organizadas houver pais que, tendo filhos, não os ensinarem a compreender a doutrina do arrependimento, da fé em Cristo, o Filho do Deus vivo, e do batismo e do dom do Espírito Santo pela imposição das mãos, quando tiverem oito anos, sobre a cabeça dos pais seja o pecado.

Pois isto será uma lei para os habitantes de Sião ou em qualquer de suas estacas que estejam organizadas.”

Também pode ser interessante: 4 coisas que todos os pais podem fazer para fortalecer o testemunho dos filhos

Os profetas também ensinaram:

“Os pais são fundamentalmente os primeiros e principais responsáveis por ensinar os filhos e criá-los em luz e verdade. (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Fielding Smith – Criar os filhos em luz e verdade)”

“Quando a sociedade como um todo está decaindo e perdendo sua identidade moral, e muitos lares estão desmoronando, a melhor esperança é dedicar mais atenção e empenharmo-nos mais no ensino da nova geração: nossos filhos.” (O Maior Desafio do Mundo: Ser Bons Pais, James E. Faust)

Logo, precisamos priorizar os filhos para eles serem devidamente cuidados e ensinados, desenvolvendo atributos como honestidade, justiça, respeito, sendo bons cidadãos e, principalmente, seguidores de Cristo. Quanto mais ensinamos em nossos lares sobre os mandamentos e os ensinamentos de Cristo, mais nos achegaremos ao Salvador, recebendo revelação para a nossa própria família.

Criar os filhos no Evangelho de Cristo é difícil, mas é ainda mais difícil sem Ele

A criação de um filho é muito pessoal. Todo filho é único e diferente. O que funciona com um pode não dar certo com outro. Além disso, a maioria dos membros da família está sujeita às várias forças do mundo fora do lar, assim como à influência da internet, televisão, vídeos, músicas e muitas outras coisas que levamos para dentro de casa.

Com todas essas diferenças que temos uns dos outros, e com as influências externas que podem influenciar negativamente as famílias, fica mais difícil criar bem os filhos.

Assim, a Igreja de Jesus Cristo promove diversos programas e incentivos que auxiliam o trabalho dos pais. Desde os 18 meses, as crianças já participam de aulas na Igreja e atividades baseadas nos ensinamentos de Cristo. Ademais, todas as famílias da Igreja são incentivadas a fazerem, uma vez na semana, reunião familiar com base no manual do Vem e Segue-me, e o estudo das escrituras diariamente, promovendo a união familiar e um ambiente propício de estudo do Evangelho.

Élder Dean L. Larsen nos disse:

“Nossas capelas não são o único lugar em que se pode adorar. Nossa casa deve ser igualmente um lugar de devoção. Seria bom se todos os dias pudéssemos voltar para nossa ‘igreja doméstica’. Não deveria haver outro lugar em que o Espírito do Senhor fosse mais bem recebido e mais facilmente acessível do que em nosso lar”. (A Liahona, janeiro de 1990, p. 71.)

Também pode ser interessante: Você tem tempo para seus filhos?

Élder LeGrand R. Curtis disse:

“Há muitas forças no mundo hoje procurando dizimar a família e o lar. Os pais inteligentes devem lutar para fortalecer seus laços familiares, aumentar a espiritualidade dentro de casa e concentrar-se em Jesus Cristo e na frequência ao templo.” (Uma Mesa Rodeada de Amor)

Quanto aos programas da Igreja e o auxílio às famílias, Joseph Fielding Smith ensinou:

“Apelo a vocês, caros irmãos e caras irmãs, maridos, mulheres, pais e mães, que aproveitem todas as oportunidades fornecidas pela Igreja para que seus filhos sejam ensinados nas diversas organizações preparadas para eles por meio das revelações do Senhor: a Primária, a Escola Dominical, as organizações dos Rapazes e Moças e os quóruns do sacerdócio menor, sob a direção do bispado. (…)

Por toda a Igreja, em todo lugar em que isso é possível, temos seminários e institutos. (…) Irmãos e irmãs, mandem seus filhos a esses seminários. Os estudantes universitários, caso tenham sido ensinados devidamente desde cedo, têm idade suficiente para frequentar os institutos da Igreja.” (Conference Report, abril de 1958, pp. 29–30)

Assim, é no lar que ensinamos, fortalecemos o testemunho de todos os membros da família, que desenvolvemos atributos, e que promovemos a união e amor. Porém, como membros da Igreja, temos o privilégio de ter ajuda diretamente de Cristo por meio de programas tão inspirados.

Exemplo nas escrituras

No Livro de Mórmon podemos ver sobre os dois mil jovens de Helamã, os quais foram “ensinados por suas mães que, se não duvidassem, Deus os livraria” da morte. (Alma 56:47) Eles nunca haviam lutado, mas precisaram ir à guerra, pois estavam sendo perseguidos. No entanto, apesar de não terem experiência, não temiam à morte, pois o ensinamento que tiveram nos seus lares fortaleceu sua fé. “E repetiram (…) as palavras de suas mães, dizendo: Não duvidamos de que nossas mães o soubessem.” (Alma 56:48)

Os dois mil jovens, que haviam sido ensinados por suas mães, ganharam a batalha com a ajuda do Senhor, como podemos ver logo em seguida, no versículo 56: “(…) nenhum deles havia caído por terra; sim, e haviam lutado como que com a força de Deus; sim, nunca se soube de homens que tivessem lutado com força tão miraculosa; e com tal vigor caíram sobre os lamanitas, que os aterrorizaram; e por esta razão os lamanitas entregaram-se como prisioneiros de guerra.”

Neste exemplo das escrituras é visível que a firme crença dos pais em Deus, e seus bons exemplos podem consolidar os valores ensinados no lar, e os filhos passam a ter uma força interior maior, além de mais resiliência emocional e espiritual.

Você também pode gostar de: 3 Coisas que aprendemos com o Capitão Moroni sobre criar nossos filhos na era digital

“Farewell My Stripling Warrior”, de Del Parson.

O trabalho é árduo, mas é recompensador

Que decidamos seguir a Jesus Cristo, e que possamos criar os nossos filhos com os Seus ensinamentos desde cedo, a fim de crescer juntos em família, rumo à exaltação.

Ao esforçarmo-nos para realizar tudo isso no lar, seria bom lembrar-nos que essa é a nossa maior responsabilidade aqui na Terra, como dito pelo presidente Harold B. Lee: “Lembrem-se de que na obra do Senhor, o trabalho mais importante que faremos, será entre as paredes de [nosso] próprio lar”. (Strengthening the Home, folheto, 1973, p. 7.)

E teremos a recompensa maior:

“Ajudem seus filhos de todas as formas possíveis a crescer conhecendo o evangelho de Jesus Cristo. Ensinem-os a orar. Ensinem-os a observar a Palavra de Sabedoria, a andar fiel e humildemente perante o Senhor para que, ao chegarem à idade adulta, possam agradecer-lhes o que fizeram por eles e, ao olhar para trás, para a vida que tiveram, façam-no com o coração agradecido e cheio de amor aos pais pela forma como cuidaram deles e por terem lhes ensinado o evangelho de Jesus Cristo.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Fielding Smith, Criar os Filhos em Luz e Verdade).

 

| Fortalecendo as Famílias
Publicado por: Gabriela Gomes
Gabriela Gomes, é advogada, esposa do Jean, e mãe da Bella e da Liz. É do Rio de Janeiro, Ala Méier, membro da igreja há 16 anos e foi selada no templo de São Paulo em 2014. Serve atualmente como conselheira das Moças em sua ala.
Sem filtros: substituir o criticismo ácido por palavras de respeito
Missionária nas Filipinas mostra habilidades épicas no basquete e...

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *