“O Pai Celestial sabe que as crianças são uma chave para ajudar-nos a ser como Ele. Há muito que podemos aprender com as crianças.” [1] disse a Irmã , que serve como Primeira Conselheira na Presidência Geral da Primária – Organização da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) para as crianças.

criançaOs três exemplos abaixo, tirado das escrituras, podem nos relembrar o quanto podemos aprender com as crianças. Afinal, o Senhor ordenou repetidas vezes que nos tornássemos como crianças (3 Néfi 11:37-38, Mosias 3:19).

  1. O menino Jesus. Nascido na situação mais humilde que se possa imaginar, o Salvador cresceu “em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens” (Lucas 2:52) Maria e José, pais atenciosos, estavam comprometidos a criar Jesus da melhor maneira que podiam. Para protegê-lo, em certa ocasião, mudaram-se para o Êxito (Mateus 2:14), e depois foram para Nazaré (Mateus 2:23). Certamente muitos fatos sobre a infância de Jesus nos são desconhecidos. Porém, ao 12 anos, um relato impressiona: Jesus “o templo, assentado no meio dos mestres, ouvindo-os, e interrogando-os” (Lucas 2:41-50). Apesar de ser o Filho de Deus era sujeito a seus pais terrenos (Lucas 2:51). O menino Jesus nos ensina que as frágeis e indefesas criancinhas são filhos e filhas de Deus, e que podem nos ensinar muito sobre as verdades eternas – especialmente quando são criadas por pais amorosos e em lugares santos.
  2. As crianças no Novo Mundo. Quando o Senhor ressuscitado apareceu na América e ensinou Seu povo, o registro mostra claramente que, ao lhes falar “… ele chorou … e pegou as criancinhas, uma a uma, e abençoou-as e orou por elas ao Pai.
 E depois de haver feito isso, chorou de novo;” (3 Néfi 17:21–22).
 O Presidente Gordon B. Hinckley disse sobre esse episódio: “Não há mais terno e belo quadro nas escrituras sagradas que essa linguagem simples descrevendo o amor do Salvador pelas criancinhas.
” [2] Mais tarde essas criancinhas, abençoados pelo Senhor, “abriram a boca e proferiram coisas maravilhosas; e as palavras por elas proferidas a ninguém foi permitido escrever.” (3 Néfi 26:16) Essa passagem nos lembra da santidade das criancinhas. E então compreendemos mais do que o Senhor disse ao colocar uma criança no meio dos apóstolos: “Se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus” (Mateus 18:3–4).
  3. O menino Samuel. Ana consagrou seu filho ao Senhor. Apenas alguns anos após o nascimento de Samuel, ela o entregou para o Sumo Sacerdote – para servir ao Senhor dês da meninice (Samuel 1). “Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho” (1 Samuel 2:18) “E o jovem Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com o Senhor como também para com os homens” (I Samuel 2:26). Ainda pequeno, O Senhor chamou Samuel para servi-lo: “Então veio o Senhor, e pôs-se ali, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel.” E Samuel, resoluto respondeu “Fala, porque o teu servo ouve.” (I Samuel 3:10) Essa história nos diz claramente que as criancinhas nunca são muito novas para aprenderem os caminhos do Senhor, e servirem-no. Conforme a Irmã Jean A. Stevens disse: “O que teríamos a aprender com as crianças? Que qualidades elas têm, e que exemplos dão, capazes de ajudar-nos em nosso próprio desenvolvimento espiritual? Esses preciosos filhos de Deus chegam a nós com um coração pronto a acreditar. São cheios de fé e receptivos à influência do Espírito. São um exemplo de humildade, obediência e amor. Eles são em geral os primeiros a amar e os primeiros a perdoar.” [3]

Que possamos aprender a ser humildes como as criancinhas. Dons espirituais estão disponíveis para os que se tornam humildes como as criancinhas. Que possamos também estender a mão para protegê-las, porque, conforme ensinou o Elder Dallin H. Oaks as crianças “são o futuro para nós, para nossa Igreja e para nossas nações.” [4]

__________

NOTAS

[1] “Tornar-se como uma criancinha“, Conferência Geral Abril de 2011.

[2] “Salvai as criancinhas“, Conferência Geral Outubro de 1994.

[3] Idem a Nota 1

[4] “Proteger as crianças“, Conferência Geral Outubro de 2012.