O que significa um bebê arco-íris?

Você conhece alguém que perdeu um bebê? Seja por aborto espontâneo, dificuldades com infertilidade, problemas genéticos ou de má formação?

A morte de bebês é muito mais comum do que podemos imaginar. Tenho duas grandes amigas que perderam bebês com abortos espontâneos e que carregam marcas da dor de perder um filho até hoje.

Também tenho amigas ou conhecidas que sofreram com infertilidade ou que perderam um bebê por problemas de má formação.

Sempre senti muito por elas e tentei confortá-las na medida do possível, já que estamos falando da combinação entre morte e amor de mãe.

Até que a experiência bateu na minha porta.

Veja também: A defesa dos que não nasceram

A perda de um filho

Já tínhamos uma filha de 4 anos quando descobri que estava grávida pela segunda vez. Na época, o susto foi enorme, mas ao mesmo tempo sentimos muita felicidade por saber que tínhamos mais um bebê a caminho.

Decidimos fazer surpresa para a nossa filha mais velha. No primeiro exame onde veríamos como estava a formação e o desenvolvimento do bebê, contaríamos que ela teria um irmãozinho ou irmãzinha e comemoraríamos juntos.

Só que não foi bem assim. Descobrimos que havia algo de errado com a formação do nosso bebê e saímos desolados daquela clínica. Sem rumo, com temor e medo pela batalha que enfrentaríamos no futuro.

Os nossos próximos passos só confirmaram que aquela seria uma das maiores batalhas da nossa família. Por fim, tivemos um diagnóstico desfavorável à vida e tivemos que lidar com a espera de sua morte.

Após 24 semanas de gestação, perdemos nossa segunda filha. Foi devastador. Senti na pele a dor de milhares de mulheres e entendi o que é perder algo tão esperado, inocente e puro.

A perda de um filho é algo que deixa marcas profundas em uma mãe e nunca será algo fácil de se superar.

Hoje, com 38 semanas de gestação da nossa terceira filha, recebi uma mensagem simples de uma amiga muito querida e que me emocionou demais.

Um bebê arco-íris

Você sabe o que é um bebê arco-íris?

O termo bebê arco-íris surgiu há alguns anos e está se tornando cada vez mais popular nas redes sociais. Eu não conhecia até receber essa mensagem.

“Arco-íris são são a prova de que há beleza, mesmo depois das piores as tempestades…”

Um bebê arco-íris é uma criança que nasce de uma mãe que sofreu um aborto ou perdeu um filho de forma prematura.

Eles são chamados de bebês arco-íris porque chegam depois de uma tempestade ou um período de escuridão e turbulência na vida de seus pais e trazem consigo luz, alegria e esperança.

Quem não corre para ver um arco-íris no céu? É lindo ver esse fenômeno e como ele deixa tudo mais bonito quando aparece.

Um arco-íris também me lembra do convênio que Deus fez com Noé após o dilúvio. Em Gênesis 9, vemos o Senhor falar sobre o sinal que daria para que Noé soubesse que a Terra não sofreria mais com o dilúvio.

“O meu arco pus na nuvem, e esse será por sinal do convênio entre mim e a terra.

E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens;

Então me lembrarei do meu convênio, que está entre mim e vós, e entre toda alma vivente de toda a carne”.

Deus é o criador do arco nas nuvens. Ele o colocou lá.

E assim como o arco-íris foi um símbolo de esperança após as tempestades para Noé, hoje temos esse termo lindo que traz consolo às famílias que passam pela tempestade de perder um bebê.

Pode ser interessante: Escolher ter filhos em um mundo cada vez mais difícil

O arco nas nuvens da vida

Podemos levar essa promessa conosco, quando houver nuvens sobre a nossa terra, podemos lembrar que logo “aparecerá um arco nas nuvens” e esse arco será um sinal do amor e misericórdia de Deus por nós.

Isto não significa que superaremos a perda de um filho ou o substituiremos. Ao contrário, no coração de uma mãe, aquele bebê sempre terá um espaço especial e será lembrado com saudade e amor.

Hoje, com o evangelho restaurado de Jesus Cristo temos ainda a esperança de famílias eternas.

O Presidente Henry B. Eyring ensinou,

“Todos temos a esperança de que um dia poderemos sentir novamente o caloroso afeto daquele membro da família que tanto amamos e que agora dolorosamente ansiamos por abraçar.

Nosso amoroso Pai Celestial conhece nosso coração. Seu propósito é proporcionar-nos alegria (ver 2 Néfi 2:25). E por isso Ele nos concedeu a dádiva de Seu Filho para possibilitar a alegria dos laços familiares que se perpetuam para sempre”.

Não há um dia em que eu não pense na minha segunda filha. Com a promessa de que as famílias podem ser eternas, espero tê-la em meus braços na vida vindoura.

A chegada dessa terceira princesa trouxe luz e muita alegria às nossas vidas. Não vejo a hora de pegá-la no colo e agradecer ao Senhor pela oportunidade de criar mais uma de suas amadas filhas aqui na Terra.

Ela é nosso bebê arco-íris e é o sinal do amor de Deus sobre as nossas nuvens e tempestades.

| Fortalecendo as Famílias
Publicado por: Vanessa Pozete
Tradutora e intérprete, nascida em Fortaleza, criada em Santos, casada e com três filhos. Serviu missão Brasil João Pessoa. Ama a maternidade, fotografia, praia e livros de aventura e ficção. É a Localization Specialist do time português na More Good Foundation.
Os meus erros e fraquezas determinam o meu valor?
A resposta de Joseph Smith a um pastor que pediu sinais da veracidade...

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *