Elder Jeffrey R. Holland é um apóstolo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ele contou que certa ocasião, durante uma entrevista, um rapaz membro da Igreja, lhe disse que era gay. Veja como foi a experiência:

Um simpático rapaz com pouco mais de 20 anos sentou-se à minha frente. Tinha um sorriso gentil, embora não tivesse sorrido muito durante nossa conversa. O que mais me chamou a atenção foi a dor que exprimia no olhar.

“Não sei se devo continuar sendo membro da Igreja”, disse ele. “Não acho que seja digno.”

“Por que você não seria digno”? perguntei.

“Eu sou gay.”

Suponho que ele achou que eu ficaria chocado. Não fiquei. “E…?” continuei.

Um lampejo de alívio invadiu-lhe o rosto quando sentiu minha sincera compreensão. “Não me sinto atraído por mulheres. Sinto-me atraído por homens. Tentei deixar de lado esses sentimentos ou mudá-los, mas…”

Ele suspirou. “Por que sou assim? Meus sentimentos são muito reais.”

Fiz uma pausa e então lhe disse: “Preciso de um pouco mais de informações, antes de aconselhá-lo. Sabe, a atração pelo mesmo sexo não é um pecado, mas a ação relacionada a esses sentimentos é, bem como a relacionada aos sentimentos heterossexuais. Você transgride a lei da castidade?”

Ele sacudiu a cabeça. “Não, não transgrido.”

Dessa vez, quem suspirou com alívio fui eu. “Obrigado”, disse-lhe eu. “É preciso ter coragem para tocar nesse assunto, e felicito-o por manter-se íntegro.

Quanto à razão de sentir-se assim, não posso responder a essa pergunta. Vários fatores podem estar envolvidos, e eles são tão diferentes quanto são diferentes as pessoas. Algumas coisas, inclusive a causa de seus sentimentos, talvez nunca venhamos a saber nesta vida. Mas, saber por que se sente assim não é tão importante quanto saber que você não transgrediu. Se sua vida está em harmonia com os mandamentos, então você é digno de servir na Igreja, gozar da comunhão plena com os membros, frequentar o templo e receber todas as bênçãos da Expiação do Salvador”.

Ele se sentou mais ereto na cadeira. Eu continuei: “Você se subestima, ao identificar-se principalmente pelos sentimentos sexuais. Essa não é sua única característica; portanto, não dê a ela uma atenção excessiva. Você é, em primeiro lugar e antes de tudo, um filho de Deus, e Ele o ama.

E mais, eu o amo. Meus Irmãos, entre as Autoridades Gerais, amam-no. Lembro-me de um comentário feito pelo Presidente Boyd K. Packer, ao falar àqueles com atração pelo mesmo sexo. ‘Nós não os rejeitamos’, disse ele. ‘Não podemos rejeitá-los, porque vocês são filhos e filhas de Deus. Não iremos rejeitá-los, porque os amamos’.

Conversamos durante 30 minutos, mais ou menos. Sabendo que não poderia ser seu conselheiro pessoal, encaminhei-o a seus líderes locais do sacerdócio. Então nos despedimos. Pensei ter divisado em seus olhos um brilho de esperança que não estivera ali antes. Embora ele ainda tivesse desafios a vencer — ou simplesmente resistir — senti que ele os enfrentaria bem.

Extraído de “Ajudar Os Que Lutam Contra a Atração pelo Mesmo Sexo”, Élder Jeffrey R. Holland, A Liahona outubro de 2007

Leia o artigo completo (em inglês) do Elder Holland aqui 

Irmão Gay de Apóstolo Mórmon Compartilha Sua Jornada Espiritual