O convite para os mortais entrarem na presença de Deus e garantir a plenitude de Suas bênçãos não começou com Joseph Smith. Na verdade, é um tema tão antigo como a humanidade. Por meio deste artigo, entenda melhor as instruções que recebemos no templo pela primeira vez, principalmente durante a investidura.

Um Convite Antigo

Quando Adão e Eva foram expulsos do Jardim do Éden, eles não perderam apenas um lar paradisíaco. Eles também perderam a benção de estar na presença literal de Deus (ver D&C 29:41). Felizmente, após a Queda, o Senhor ensinou aos nossos primeiros pais como retornar a Ele. Como consequência, Eva declarou “a alegria da nossa redenção” e Adão proclamou que “novamente na carne verei Deus” (Moisés 5:10–11). Desde o início, Deus deu ordenanças e rituais autorizados — ou cerimônias religiosas sagradas e simbólicas — para ajudar a ensinar Seus filhos esse processo. Ele deu-lhes conhecimento celestial e poder para um dia romper o véu e entrar novamente em Sua presença.

Antes de templos permanentes serem construídos, essas verdades sagradas foram comunicadas em jardins (como odo Éden), desertos e montanhas. No tempo de Moisés, o Senhor desejou tornar toda a nação de Israel um santo “reino de sacerdotes” (Êxodo 19:6), convidando todos para entrar na Sua presença e ver Sua face. Embora as pessoas ainda não estivessem preparadas para essa bênção (ver D&C 84:23-24), o Senhor instruiu-os a construir um santuário portátil onde Jeová pudesse aparecer para o profeta Moisés na sala mais sagrada para comungar com ele “cara a cara’ (Êxodo 33:11; ver também Êxodo 25:21).

O Templo do Rei Salomão

Mais tarde, o rei Salomão construiu uma casa de Deus maior, permanente em Jerusalém. Boa parte do projeto do interior do templo feito para imitar o Jardim do Éden, com frutas e árvores simbólicas — inclusive duas estátuas de 4 metros e meio de altura de querubins que, como os querubins que guardavam o árvore da vida no Éden, guardava a passagem pelo véu para o Santo dos Santos. A mensagem do Templo de Salomão era clara: Aqui é a presença de Deus; aqui é onde conversamos com Ele; aqui está o poder que leva as pessoas à Sua presença.

Enquanto todos os rituais sagrados dados em dispensações anteriores e praticados por eles são desconhecidos, Deus claramente deu-lhes o convite, conhecimento e poder para contemplar Sua face e assegurar a plenitude de Suas bênçãos. Como parte da restituição de todas as coisas, este conhecimento sagrado e o convite foram novamente dado a Joseph Smith e estendidos para os homens e mulheres desta dispensação.

Como Reconhecer os Sentimentos no Templo

Quando Joseph Smith dedicou o templo de Kirtland, ele orou: “Para que todos os que atravessarem o umbral da casa do Senhor sintam o teu poder e sintam-se compelidos a reconhecer que tu a santificaste e que ela é a tua casa, um lugar de tua santidade” (D&C 109:13). Observe como Joseph usou o verbo sentir duas vezes na oração reveladora. Pelo fato de o templo ser uma casa de glória, ordem e oração, é também uma casa de sentimento. A Igreja e seus líderes trabalham diligentemente para fazer do santo templo um lugar especial onde o Espírito do Senhor possa estar presente.

Como uma edição de A Liahona dedicada aos templos explica, “O templo é um local de paz e santidade, longe das preocupações e da agitação do mundo. Todas as áreas do templo são mantidas com cuidado e primor, a fim de preservar um espírito de reverência. Como se trata da casa do Senhor e em virtude do trabalho sagrado lá realizado, no templo podemos sentir o Espírito em abundância, bem como a proximidade com o Senhor”.

Ao entrar no templo para participar das ordenanças de investidura, preste atenção em como você se sente e nas coisas que estão ajudando você a se sentir assim na experiência no templo. Que sentimentos a ordem e a limpeza do templo despertam em você? Como os oficiantes fazem você se sentir? Como a roupa e as instruções fazem você se sentir? O que o faz sentir limpo, puro ou digno? O que ajuda você a sentir o amor de Deus?

Oração dedicatória

Joseph Smith orou para que o templo fosse “[cheio] como com um vento veemente e impetuoso, da glória [de Deus]” (D&C 109:37). Essa referência inclui o Espírito Santo e Seus dons espirituais que o acompanham. Ao adorar no templo, preste atenção à influência do Espírito de Deus em seu espírito. Você saberá quando algo é do Espírito Santo quando produzir resultados como “amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” (Gálatas 5:22-23). Às vezes o Espírito dá às pessoas dons celestiais, como testemunho, revelações, visões, profecia ou cura (ver D&C 46:11–26). O Espírito Santo trabalha com as pessoas de vários modos. Contudo, Seu papel é entregar as bênçãos expiatórias de Cristo, levando-o a amar a Deus, servi-Lo e segui-Lo.

Durante a investidura, procure receber o Espírito Santo, Seus dons e Sua influência. Ao fazê-lo, você poderá sentir que precisa se arrepender uma profunda confiança em Deus. Você poderá sentir uma onda de otimismo ou aumento da esperança. De repente, você poderá sentir uma necessidade de perdoar ou um sentimento de respeito ou humildade. Você pode sentir o impulso de servir melhor alguém. Você poderá sentir o amor paterno de Deus por você como Seu filho. Isso fará com que você ame a Ele e seu próximo mais profundamente. O Espírito pode entregar esses dons divinos e muitos mais para você no templo.

Quando Você Não Entende

Seus sentimentos no templo provavelmente serão primariamente positivos. Contudo, você também precisa prestar atenção a o que faz você sentir-se confuso, desafiado ou talvez inquieto. Esses sentimentos podem ser igualmente importantes e instrutivos. Algumas pessoas introduziram a ideia no mormonismo que qualquer coisa que causa desconforto é errada e não é de Deus. Isso simplesmente não pode sempre ser verdade.

Se fosses, os pioneiros não teriam ido para Utah, Abraão não teria oferecido Isaque, rapazes e moças não se aventurariam para campos missionários desconhecidos e Jesus não ter expiado por nós. Um velho ditado diz que o evangelho está aqui para confortar os aflitos e afligir os confortáveis. E o templo não é diferente. Na investidura, existem linhas aguçadas de instrução, avisos para os infiéis, diálogos para discernir, conceitos difíceis de entender, símbolos e gestos estranhos.

Durante a investidura e outras ordenanças do templo, pode até haver aspectos do templo que contradizem seus próprios pontos de vista culturais ou doutrinários. Isso pode causar desconforto mental enquanto você tenta entender porque seu pensamento talvez não está alinhado com o que é apresentado no templo. Um bom exemplo disso pode ser que mulheres com autoridade administram ordenanças do sacerdócio para outras mulheres no templo — uma surpresa cultural e doutrinária para alguns que estão acostumados só com homens realizando ordenanças. No entanto, começando com Emma Smith em Nauvoo, em 1843, as mulheres têm autoridade, nas palavras do Élder Dallin H. Oaks: “Para fazer certas coisas na igreja que são vinculativas e absolutamente necessárias para nossa salvação, tais como o trabalho que nossas irmãs fazem na Casa do Senhor”.

Trabalhar as Incertezas

É possível que ao participar nesta ordem antiga você sinta um pouco de incerteza às vezes, mas lembre-se que muitas pessoas se sentem assim quando vivenciam algo desconhecido, mesmo quando é certo e bom. Fique tranquilo. “Tudo o que acontece dentro do templo é inspirador e enobrecedor”, mas não confunda ser inspirado com sentir-se totalmente confortável e familiar. Inspirar significa edificar, crescer ou trazer mais para perto de Deus (ver D&C 50:20-22).

Deus deseja nosso crescimento e desenvolvimento, mas o crescimento geralmente requer algum desconforto para nos tirar das praias espirituais onde podemos estar descansando por muito tempo. Não fuja deste desconforto ou pense que ele é errado. Como Jacó, lute com o que Deus e Seus anjos colocados na sua frente (ver Gênesis 32:24–30). Esta luta vai permitir que Deus o abençoe para vê-Lo mais claramente.

Em geral, a cerimônia de investidura do templo é uma ferramenta divina para agitar sentimentos que aceleram o crescimento espiritual nos mistérios da santidade. Essas ordenanças sagradas são feitas para ajudar você a ganhar o poder e a capacidade de entrar na presença de Deus. Logo. O melhor a fazer é prestar atenção em como o templo sagrado ajuda você a se sentir mais perto de seu Pai Celeste e Seu filho, Jesus Cristo, por meio do Espírito Santo. O Presidente Monson resumiu: “Creio não haver lugar no mundo onde eu me sinta mais perto do Senhor do que em um de Seus santos templos”.

Entrar na Presença de Deus

Investir os santos com o poder divino e a capacidade de romper o véu e estar na presença de Deus foi um dos ensinamentos abrangentes do Profeta Joseph Smith. Na revista A Liahona de agosto de 1999, o Presidente James E. Faust escreveu um artigo chamado “Horizontes Perdidos”. Ele escreveu:

“Um dos horizontes que pode ser expandido lucrativamente em todos nós é a excelência espiritual. Eu poderia supor que todos os membros desta grande Igreja têm o desejo de ver a face do Salvador. Essa bênção está disponível, pois Ele disse: ‘Em verdade assim diz o Senhor: Acontecerá que toda alma que abandonar seus pecados e vier a mim e invocar meu nome e obedecer a minha voz e guardar meus mandamentos verá minha face e saberá que eu sou’ (D&C 93:1). Muito poucos de nós avistam esse horizonte pois não tiramos proveito das promessas de Deus.”

Lembrete Importante

Enquanto nos esforçamos para perceber essa promessa, lembremo-nos que Deus se manifesta de muitas maneiras diferentes—não apenas por visões ou aparições físicas. Na mortalidade, há mais de uma maneira de desfrutar a presença de Deus. A maneira mais comum que Deus se manifesta a nós—e, de acordo com o Presidente Joseph Fielding Smith, a mais poderosa, ainda mais poderosa do que uma visão—é por meio da sublime influência do Espírito Santo.

Ao buscamos intencionalmente conhecer a Deus por meio do estudo, sentir Sua influência por meio do Espírito Santo e realizar as ações que demonstram o discipulado, por meio da graça de Jesus Cristo podemos experimentar a glória, majestade, amor, poder e presença de Deus sempre (ver D&C 20:77, 79), mesmo se não O virmos literalmente.

Você pode sentir-se um pouco intimidado ao preparar-se para entrar no templo pela primeira vez. Há livro chamado The Holy Invitation [O Santo Convite] e que pode ajudar.  Ele fornece respostas sobre a investidura, fornecendo um contexto para você entender os propósitos e os procedimentos de suas ordenanças.

O Que ter Em Mente Durante a Investidura

Explore a investidura do templo de três diferentes pontos de vista: o porquê, o quê e o como. Então, quando for ao templo — seja pela primeira vez pela centésima — você possa absorver mais plenamente a aprendizagem e a verdade que o Senhor reserva para você.

O Senhor faz a cada um de nós um santo convite: o convite de entrar na Sua casa, aprender com Ele e sobre Seus caminhos e preparar-nos para retornar à Sua presença e receber a plenitude de Suas bênçãos da exaltação. Aprenda a aceitar o convite que o Senhor faz a você pessoalmente e encontre o significado profundo na investidura do templo sagrado.

Escrito por Anthony Sweat, extraído do livro “The Holy Invitation” [O Santo Convite] e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: www.LDSLiving.com

Imagem destacada: Sala de investidura do Templo de Gilbert, Arizona

Relacionado:

Por que a Alegria É Associada com o Trabalho no Templo nas Escrituras?