Aniversário

Ao longo dos anos, o Presidente Thomas S. Monson tem compartilhado pensamentos e experiências que enriqueceram sua vida. Muitas dessas memórias vieram durante entrevistas para artigos sobre o seu aniversário. Nesse aniversário de 88 anos, 21 de agosto, relembraremos algumas de suas “reflexões de aniversário”.

Para um artigo do Church News de 15 de agosto de 1992, quando completou 65 anos, o Presidente Monson disse que um aniversário é um tempo para “fazer uma pequena reflexão sobre suas metas e objetivos”.

“Você olha para as suas responsabilidades pessoais e familiares e, no meu caso, as responsabilidades como Autoridade Geral”, disse ele.

Durante anos, o Presidente Monson estava acostumado a estar entre os mais jovens de seus colegas. Ele tinha apenas 22 anos quando foi chamado como bispo, e apenas 31 quando foi chamado para presidir a Missão Canadense. Ele tinha 36 anos quando foi chamado para o Quórum dos Doze Apóstolos, misturando-se com homens muito mais velhos do que ele.

“Consequentemente, a idade não parece ser o ponto focal [no Quórum dos Doze Apóstolos] tanto como na indústria, onde as pessoas se aposentam em idades mais precoces”, disse ele.

Ele observou que, uma vez que sempre foi comum para ele estar entre os irmãos mais jovens, ele “meio que [perdeu] a perspectiva do fato de que está envelhecendo a cada ano conforme eles envelhecem”.

Ele compartilhou um pouco de sua filosofia: “Eu acho que nós precisamos perceber que as escrituras são sólidas, a doutrina é sólida. As doutrinas básicas da Igreja continuam firmes geração após geração, mas os procedimentos através dos quais alcançamos os objetivos do Senhor variam um pouco de vez em quando. …

Experiências

Eu acredito muito que o Senhor nos proporciona experiências específicas para nos preparar para lidar com alguns dos desafios que iremos encontrar em nosso próprio tempo de serviço”.

Ao ser entrevistado para um artigo do Church News que saiu em 23 de agosto de 1997, na ocasião do seu 70º aniversário, o Presidente Monson participou de uma conversa um pouco casual. Quando o entrevista focou nele e em seu aniverário, ele hesitou um pouco.

Ele não se importava de estar fazendo 70 anos. O que o fez se preocupar foi ter de falar de si mesmo.

A imagem completa do Presidente Monson começa a surgir conforme olhamos para os vários aspectos de sua vida. Por exemplo, ele tinha um conhecido que ele não tinha visto ou ouvido por quase 10 anos. Ele se sentiu inspirado a escrever uma carta a esse homem, na qual ele encorajou seu amigo a se juntar à Igreja. Pouco tempo antes de seu aniversário, o Presidente Monson descobriu que seu amigo tinha se filiado à Igreja, recebeu o sacerdócio de Melquisedeque e estava se preparando para receber as bênçãos do templo – tudo porque o Presidente Monson reservou tempo para escrever.

“E se eu não tivesse escrito aquela carta?” Presidente Monson perguntou em voz alta. Quando o Church News expressou surpresa que ele tivesse tempo para escrever cartas, o Presidente Monson mexeu os ombros e comentou: “Elas não são cartas longas”.

No entanto, ele comunicou que ele se importava e estava preocupado.

HOMEM DE COMPAIXÃO

Ao longo dos anos, o Presidente Monson tornou-se conhecido como um homem de grande compaixão. Ele passou incontáveis horas visitando as pessoas em hospitais, centros de saúde e suas casas, trazendo conforto e alegria e muitas vezes dando bênçãos do sacerdócio ou se juntando às famílias dos pacientes em fervorosa oração.

Um proclamado otimista, o Presidente Monson disse que muitas vezes começa seu dia cantarolando ou assobiando. Às vezes o refrão é de um musical da Broadway, como “Golden Days” (Dias Dourados), até “The Student Prince”. Outras vezes, ele cantarola um hino, como “Que Firme Alicerce”, ou “Careço de Jesus”.

Ele disse que, conforme envelhecia, ele percebeu que ele fazia uma pausa de vez em quando para fazer um balanço de sua vida. “Eu leio os obituários todos os dias”, ele confidenciou. “Quando você vê as pessoas da sua idade que sofrem e enfrentam doenças fatais, acho que isso lhe faz aplicar a si mesmo a filosofia, eu quero fazer o melhor que sei fazer todos os dias”. Alguém disse: “Viva somente no passado, e você terá um monte de ontens vazios.” O Church News observou que não era provável que o Presidente Monson tivesse qualquer ontens vazios.

O Presidente Monson disse que sentiu uma penetrante responsabilidade de prestar contas pelo modo como ele passava seu tempo aqui na terra. “Você vê seus filhos crescendo”, ele disse sobre o passar dos anos. “Você olha para seus netos, e você diz a si mesmo: E se eu não estivesse aqui? Fiz tudo o que posso para prepará-los para o seu papel na vida?” Você percebe que não consegue fazer tudo, mas que deseja fazer melhor do que já fez”.

Sentir os sussuros

O Presidente Monson disse que uma das coisas que tem lhe trazido mais alegria é “sentir o toque do Senhor, os sussurros. Quando você responde a eles você descobre que, de certa maneira, você está respondendo a oração de alguém”.

Ele ainda se sentia do mesmo jeito 10 anos mais tarde, quando comemorava seu 80º aniversário em 2007.

O presidente Monson obteve responsabilidades extras colocadas sobre seus ombros, após o falecimento do presidente James E. Faust, seu amigo de longa data e colega na Primeira Presidência.

Numa terça, em 14 de Agosto, o presidente Monson se juntou ao presidente Gordon B. Hinckley, ao falar no funeral do presidente Faust. Os próximos dias foram preenchidos com muitos deveres para o Presidente Monson, o único conselheiro restante da Primeira Presidência.

No entanto, enquanto se preparava para voltar para casa na quinta-feira à noite, 16 de agosto, ele comentou com sua secretária que sentiu que deveria visitar um amigo que tinha sido do quórum de professores de sua ala quando o jovem Tom Monson era presidente do quorum. Ele descobriu somente naquele dia que seu amigo tinha ido para um centro de cuidados e, embora nada tivesse sido dito sobre a condição de seu amigo, ele sentiu que não deveria se atrasar para fazer a visita.

No centro de cuidados, o Presidente Monson percebeu que as horas de vida de seu amigo eram limitadas. Com o auxílio de um dos filhos do homem, ele deixou uma bênção. Na manhã seguinte, em 17 de agosto, o Presidente Monson recebeu a notícia de que seu amigo havia falecido.

Nunca adie uma inspiração

“Nunca adie uma inspiração”, disse o Presidente Monson durante uma entrevista ao Church News apenas uma hora depois de saber da morte de seu amigo. “Quando você honra a um sussurro, e depois reflete sobre o ocorrido, você percebe que o Senhor lhe deu a inspiração. Me sinto bem ao saber que o Senhor sabe quem sou, e me conhece bem o suficiente para saber que se Ele tiver uma missão a ser executada e Ele me inspirar a realizá-la, o trabalho será feito. Este é o testemunho de minha vida”.

O Church News não entrevistou o Presidente Monson na ocasião do seu 85º aniversário. Em vez disso, foi realizada uma programação musical, com narrações e homenagens realizadas em 17 de agosto no Centro de Conferências em sua honra. O programa foi intitulado “Golden Days: A Celebration of Life”.

Presidente Eyring falando sobre o Aniversário do Profeta Presidente Thomas S. Monson

Presidente Eyring durante seu discurso em homenagem ao 85º aniversário do presidente Monson. Imagem via deseretnews.com.

O presidente Henry B. Eyring, primeiro conselheiro na Primeira Presidência, observou recentemente que o Presidente Monson é sempre ativo e agradável. “Ativo na conversa, ativo em ouvir qualquer coisa”.

Ele falou do amor e da vontade do Presidente Monson em servir aos outros.

Serviço

“A marca registrada de seu serviço é a preocupação individual, como o Salvador que ia aos pobres, aos doentes, seja quem fosse. Ele é um ministro focado nos indivíduos. Seja o proeminente, seja o obscuro”.

Na celebração do 85º aniversário do Presidente Monson, o Presidente Eyring disse haver testemunhado uma homenagem ao Presidente Monson em “uma estrada rural nos desertos do Arizona”, onde alguns membros se reuniram para acenar enquanto seu carro passava numa rota para o aeroporto, vindo da dedicação de um templo.

“O profeta pediu a seu motorista para deixá-lo cumprimentar as mãos de um casal e seus pequenos filhos que estavam de pé na areia na beira da estrada”, disse o Presidente Eyring. “Não havia nada à vista, mas assim que o Presidente Monson começou a cumprimentar as mãos das crianças, mais famílias começaram a aparecer. Ele cumprimentou a todos com um afável sorriso e todos sorriram de volta em óbvio deleite. … Ele os inundou no calor do puro amor de Cristo, sem preocupação com seu próprio conforto e segurança e alheio às reações de ninguém, exceto aqueles que ele amava e cumprimentou. …

Salvador

A estrada e as colinas áridas lembraram-me da terra acima do mar da Galileia, onde multidões se reuniam para sentir o amor do Senhor mortal.

Agora, esses santos dos últimos dias foram atraídos para o profeta do Salvador, um servo ordenado em seus dias. E ele os abençoou com sua amorosa, paciente, e dedicada atenção enquanto eles realizavam aquela homenagem”.

Pres. Eyring

Mais tarde, o presidente Eyring disse que testemunhou o Presidente Monson “indo no Senhor para as pessoas, geralmente incluindo as crianças, nos lugares ao redor do mundo”.

Ele disse: “Não foram só aqueles que ele cumprimentou que receberam um momento de ouro, mas sim todos nós que testemunhamos o ocorrido. Eu não sou o mesmo, nem é o mesmo qualquer um dos participantes, porque sentir aquele amor nos mudou”.

“Mais de uma vez, lembrei-me de seu exemplo e então deixei meu caminho e saí fora da minha zona de conforto a alguém em necessidade de atenção, encorajamento e ajuda.”

“O Presidente Monson tem feito isso muito, falando e escrevendo de maneira tão impressionante, e até mesmo nos pedindo para ir como ele foi em nome do Senhor para os outros. A Igreja foi alterada em toda a terra para as gerações vindouras”.

“Estamos aqui hoje para homenagear o seu serviço. Podemos fazê-lo esta noite, amanhã e enquanto vivermos, servindo aos outros no caminho do modo que ele serve aos outros”.

“Eu sou grato por ter recebido seu amor, e tenho tentado seguir seu exemplo”.

Aniversário do Profeta Presidente Thomas S. Monson

Presidente Monson estende a mão para cumprimentar um jovem garoto em Hamburgo, Alemanhã. Imagem via mylifeinzion.com.

Pres. Uchtdorf

O presidente Dieter F. Uchtdorf, segundo conselheiro na Primeira Presidência, falou do presidente Monson após uma recente visita à Alemanha, em julho. “Algumas semanas atrás eu tive a oportunidade de estar com os membros da Igreja em Goerlitz, Alemanha, para celebrar o aniversário da capela que o Presidente Monson havia dedicado há 20 anos”, disse ele depois de voltar a Salt Lake City. “Eles, e todo o povo daquela região, são muito gratos ao Presidente Monson pelas bênçãos que ele pronunciou em um momento crítico para a Alemanha e para a Europa. Essas bênçãos ainda são citadas ao redor do mundo como prova de sua visão profética, que era aparente nos primeiros dias do seu ministério”.

O presidente Uchtdorf também falou de ter acompanhado o Presidente Monson numa conferência regional no Norte da Alemanha. Embora tivessem passados vários anos desde que o Presidente Monson visitou aquela área, ele ainda se lembrava dos nomes de muitos membros e queria visita-los, em particular, Michael Panitsch, um ex-presidente de estaca e patriarca. O presidente Uchtdorf disse ao Presidente Monson que o irmão Panitsch estava doente e incapaz de participar da conferência. O Presidente Monson disse: “Então nós iremos até ele”.

Embora o Presidente Monson tivesse operado o pé pouco antes da viagem e não conseguisse andar sem dor, ele subiu cinco lances de escada para fazer a visita.

Superar

“A cada poucos passos ele teve que fazer uma pausa para superar a dor. Ele nunca proferiu uma reclamação. Ele não iria desistir”, disse o Presidente Uchtdorf.

“Ele deu ao irmão Panitsch uma bela bênção, animou-o e o agradeceu por seu serviço ao longo da vida”.

Em uma entrevista na ocasião do seu 81º aniversário, o Church News perguntou ao Presidente Monson que descrevesse o que ele consideraria o presente ideal que os membros em todo o mundo poderiam lhe dar. Sem um momento de hesitação, ele disse: “Faça algo para alguém naquele dia para fazer a sua vida melhor. Encontre alguém que está tendo um momento difícil, ou está doente, ou solitário, e faça algo por eles. Isso é tudo o que eu gostaria de pedir” (Church News, 23 de agosto de 2008).

Sua resposta responde a qualquer dúvida que os membros tenham sobre o que poderiam dar de presente ao presidente Monson.

Fonte: DeseretNews.com. Traduzido por Esdras Kutomi.