O que ajudou o jovem Russell M. Nelson a perceber que precisava do evangelho em sua família

A distância subterrânea do prédio da Administração da Igreja até o Templo de Salt Lake não é distante. Mas para homens de 80 e 90 anos que às vezes lidam com as limitações físicas da idade, a distância parece bem maior.

Carrinhos de golfe têm sido a resposta. Alguns carrinhos estão disponíveis para leva-los ao templo todas as manhãs de quinta-feira para a reunião semanal da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze, e trazê-los de volta para o almoço que eles tem juntos depois da reunião. Uma equipe de segurança da igreja sempre cuida do transporte.

Na segunda semana em que o Presidente Nelson presidiu a reunião da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze no templo, os agentes de segurança que esperavam ao lado de uma fila de carrinhos viram algo que nunca tinham visto antes.

O Presidente Nelson saiu do templo caminhando com seus conselheiros e cada um dos Doze – 15 profetas, videntes e reveladores voltando do templo para o Edifício da Administração da Igreja a pé. “Pela primeira vez na memória de qualquer pessoa”, disse Alan Parker, um oficial de segurança da igreja, “os carrinhos voltaram vazios”. Se o presidente da Igreja, de 93 anos, podia andar, todos poderiam andar.

Desde a infância até a idade adulta, essa é apenas uma das muitas histórias inspiradoras encontradas na história de um respeitado cirurgião, pai e marido dedicado e servo dedicado do Senhor.

Um passeio de bonde até a livraria Deseret

Todos os oito bisavós de Russell Nelson se juntaram à Igreja na Europa e imigraram para os Estados Unidos durante o início do século XIX, quando se reuniram em Utah como a maioria dos europeus conversos. Todos eles acabaram na pequena cidade de Ephraim, em Utah.

“Cada uma dessas almas valentes sacrificou tudo para chegar a Sião”, disse o Presidente Nelson.

No entanto, nem todos os seus ancestrais permaneceram fiéis e, como resultado, Russell e seus irmãos – Marjory, Enid e Robert – não foram criados em um lar centralizado no evangelho.

No entanto, Russell amava seus pais, Marion Clavar Nelson e Floss Edna Anderson Nelson.

“Minha mãe e meu pai eram maravilhosos”, disse ele. “Toda noite era uma noite familiar. Papai poderia estar fumando um charuto, mas ainda assim era uma noite familiar.

Russell floresceu na vida familiar feliz que seus pais proveram para ele e seus irmãos. Eles passavam muito tempo juntos, desfrutavam de férias de verão em família, faziam passeios freqüentes e estavam totalmente envolvidos na vida um do outro.

Quando Russell concorreu para uma posição no grêmio da escola, ele pediu a seu pai que o ajudasse em seu discurso de campanha. Marion ficou feliz em dar uma olhada no rascunho de seu filho, mas “Papai não levantaria um lápis até que eu já tivesse feito o esforço por mim mesmo primeiro”, disse Russell.

A família não frequentava a igreja, mas sua mãe o ensinou a orar e, por algum motivo, o incentivava a frequentar as reuniões – embora seus irmãos geralmente não o fizessem.

Russell ocasionalmente fazia um desvio para jogar futebol com amigos em um lote nas proximidades, mas ele foi à igreja o suficiente para começar a entender que, embora ele amasse sua família, ainda estava faltando alguma coisa.

Um dia ele subiu em um bonde e foi para o centro até a livraria Deseret. Quando uma recepcionista gentil o cumprimentou, Russell perguntou se ela poderia ajudá-lo a encontrar um livro que pudesse ler sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

“Eu queria saber mais sobre a Igreja porque minha família não me explicava o suficiente”, explicou ele. “Uma das vendedoras me pegou pela mão e começou a me ensinar. Não me lembro de qual livro ela me deu, mas ela me ajudou. Adorei aprender sobre o evangelho ”.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Histórias da vida do Presidente Russell M. Nelson

| Profetas Hoje

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *