Élder Holland na América do Sul

Élder Holland cumprimenta líderes na sessão de liderança do sacerdócio da América do Sul, no Equador. Imagem via LDS.org.

Este artigo foi publicado em LDS.org e traduzido para o mormonsud.net por Esdras Kutomi.

Por Jason Swensen

Quase um século se passou desde que um apóstolo dos últimos dias, o Élder Melvin J. Ballard, profetizou que a América do Sul “será uma potência na Igreja.”

Desde então, milhões – da Colômbia à Argentina e em várias nações no meio – se filiaram à Igreja. Templos encontram-se espalhados no continente. Centenas de estacas foram formadas.

É tentador dizer que as palavras do Élder Ballard foram cumpridas.

Mas tal comentário seria apenas uma meia-verdade. A profecia da América do Sul, de acordo com um dos sucessores apostólicos do Élder Ballard, continua a ser cumprida. O seu verdadeiro poder ainda está para ser realizado.

A América do Sul “é o local de uma das principais congregações da Igreja e continuará a sê-lo”, disse o Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos. “Grande parte do crescimento presente e futuro da igreja se concentrará em toda a América Latina”.

Elder Holland não é estranho na América do Sul. Ele e sua esposa, a irmã Patricia Holland, viveram em Santiago por dois anos (2002-2004), quando ele presidiu a Área do Chile. Outras atribuições eclesiásticas os têm levado por todo o continente em numerosas ocasiões.

“Eu amo a América do Sul”, disse ao Church News depois que ele e a irmã Holland retornaram de uma viagem de 10 dias (12-22 fevereiro) pelo Equador e o Peru. “Eu amo tudo na América do Sul, e essa viagem me fez lembrar disso novamente”.

membros e líderes do equador ouvindo um discurso

Líderes locais do sacerdócio em Quito, Equador, aproveitam os conselhos e instruções do Élder Jeffrey R. Holland. Imagem via LDS.org.

O Apóstolo presidiu duas conferências de liderança do sacerdócio em Quito, Equador, e em Cusco, Peru, juntamente com vários outros encontros de missionários, jovens, jovens adultos solteiros e outros membros.

“Deixei o Equador e o Peru feliz e satisfeito com o crescimento da Igreja, não apenas numericamente, mas também com a crescente maturidade dos líderes e a força que eu vi na juventude”.

Ele foi acompanhado no Equador pelo Élder Hugo Montoya e no Peru pelo Élder Carlos A. Godoy. Elder Montoya e Élder Godoy são setentas autoridade gerais e conselheiros na presidência da área América do Sul Noroeste. Os irmãos foram acompanhados por suas esposas, Irmã Maria Montoya e irmã Monica Godoy.

Para o Élder Holland e outros membros dos Doze, as conferências de liderança do sacerdócio são as principais oportunidades para se reunirem com bispos, presidentes de estaca e os líderes distritais em unidades em todo o mundo.

Os membros do Quórum dos Doze inicialmente participavam de conferências de estaca para estar com os membros locais, aprender as suas necessidades específicas e compartilhar instruções específicas. Mas os números cada vez maiores de estacas torna impossível para os Doze participar de todas as congregações e comunidades em que os membros vivem.

As conferências de liderança do sacerdócio, disse o Élder Holland, permitem que um Apóstolo viaje para se encontrar com líderes locais de uma dúzia ou mais estacas em um encontro.

“Essas reuniões nos permitem aproveitar melhor nosso tempo e influência. Além disso, os líderes locais do sacerdócio vem a nos conhecer em um ambiente mais íntimo “, disse ele. “Uma boa parte das conferências de quatro horas são dedicadas às suas questões e seus problemas. Como o Presidente James E. Faust disse uma vez: “É importante para os homens com chaves estarem com homens com chaves ‘.”

O Élder Holland também aprecia a interação face-a-face e a instrução. “Eu sou um professor da velha guarda”, disse ele com um sorriso, “portanto eu amo dar e receber. ”

mãe e filhos numa congregação no Equador

Membros assistem uma conferêcia de estaca em Quito, Equador, onde Elder Jeffrey R. Holland discursou. Imagem via LDS.org.

Ele também reservou um tempo para se encontrar com os jovens no Equador e no Peru nas conferências missionárias e em devocionais com jovens e jovens adultos solteiros.

A Igreja, observou ele, goza de uma dinâmica especial na América do Sul. Os santos mais velhos dos Últimos Dias têm, através do sacrifício e trabalho duro, estabelecido uma base sólida para seus filhos e netos. Os jovens, por sua vez, estão protegendo sua herança sagrada, servindo no templo, cumprindo chamados de missão e iniciando suas próprias famílias de fé.

A América do Sul tornou-se uma terra de templos, com edifícios dedicados encontrados em várias das principais cidades – de Bogotá, no norte, até Buenos Aires, no sul. E a construção continua. Novos templos foram anunciados ou estão em construção no Peru, no Chile e no Brasil. Enquanto isso, na área América do Sul Noroeste, o presidente Juan A. Uceda, um setenta Autoridade Geral, presidiu a cerimônia de abertura de terra em 20 de fevereiro no local do futuro templo da Colômbia Barranquilla.

Estar na América do Sul foi especialmente bom para o Élder Holland, porque ele esteve com a sua esposa ao seu lado. A doença grave limitou as viagens recentes da irmã Holland. Mas a sua saúde melhorou gradualmente e permitiu a ela voltar a uma área do mundo que os Hollands têm amado.

“A irmã Holland foi corajosa e dedicada ao tentar realizar esta viagem”, disse ele. “Eu sou muito grato que ela foi comigo. Eu me saio melhor com ela ao meu lado”.