Élder Holland sobre Cristo “jamais havia nascido um bebê sobre o qual se soubesse tanto”

No Devocional de Natal da Primeira Presidência de 2020, um ano sem precedentes em muitos aspectos da vida humana, o Élder Jeffrey R. Holland compartilhou uma tocante e inspiradora mensagem sobre o cenário e as circunstâncias dia do nascimento do Salvador do mundo.

“O local era tão tranquilo quanto a natureza poderia oferecer. Era um anoitecer no início da primavera… o único elemento incomum naquele cenário pastoral, mas de certa forma extraordinariamente belo, podia ser encontrado em um estábulo na encosta da colina, à beira do campo mais próximo da vila. Uma manjedoura na qual três figuras humanas se aconchegavam”.

Então, o apóstolo descreve as três pessoas presentes naquele estábulo.

Maria, “uma bela mãe e jovem virgem… que provavelmente estava apenas no início ou nos anos intermediários de sua juventude… cuja coragem e fé evidentes são mais marcantes do que qualquer coisa já registrada nas escrituras”.

José, “era aquele que deve ter sido o homem mais digno na terra, para criar um bebê que não era seu filho biológico, mas que se tornaria [seu] Pai espiritual”.

O bebê, “chamado Jesus, envolto em panos e deitado sobre o feno mais limpo que um pai ansioso poderia coletar”.

A descrição do Élder Holland nos proporciona uma visão única de cada uma daquelas pessoas, especialmente daquele bebê, o filho Unigênito do Pai na carne.

“Jamais havia nascido um bebê sobre o qual se soubesse tanto, de quem tanto já havia sido escrito, e sobre o qual tanto se esperava”.

“O bebê recém-nascido era o Primogênito do Pai no mundo dos espíritos, pré-ordenado para ser o Cordeiro ‘morto desde a fundação do mundo’”.

O Élder Holland continuou, “Ele seria o grande Jeová do Velho Testamento, ajudando Noé a salvar sua família do dilúvio e auxiliando José a salvar sua família na época da fome.  Seus nomes incluem, Maravilhoso, Conselheiro, Poderoso Deus, Pai Eterno, Príncipe da Paz”.

“Ele foi o Alfa e o Ômega no grande plano de misericórdia que por fim pregaria boas novas aos mansos, restauraria os contritos de coração, apregoaria liberdade aos cativos e abriria a prisão aos presos” (Isaías 61:1).

Após descrever os desafios e provações mortais de Jesus Cristo, o Élder Holland falou sobre a divindade do nascimento daquele bebê.

“Ali, Ele era apenas um bebê nos braços de uma mãe que o amava. Sob os cuidados de um pai que era gentil e forte”.

Então, ele descreveu aqueles que foram ver o Salvador, e aprendemos como todos, do mais pobre ao mais rico, adorariam e reconheceriam Jesus Cristo como o seu Salvador e Redentor.

“Os pastores vieram adorá-lo, simbolizando a menor das atividades temporais, os homens mais pobres e seus labores. Posteriormente os magos também vieram, simbolizando a mais alta das realizações temporais e os homens mais ricos e seus labores”.

Então ele descreve como “uma verdadeira multidão de hostes celestiais, [louvava] o bebezinho que finalmente havia chegado à Terra” ao cantar “Glória a Deus nas alturas”.

Em um tocante testemunho, o Élder Holland fala como todos aqueles acontecimentos ocorreram durante a noite. Ao dizer que a noite é um “período de nossa vida onde enterramos o cansaço para dar lugar a emoções calmas, onde as orações, revelações, e aparições divinas são mais frequentes”.

O Apóstolo também destacou como o Natal é importante não só para as crianças que anseiam por seus brinquedos, mas para todos que, com um pouco de esperança, podem sentir a paz de que tudo ficará bem porque nasceu o Salvador.

presentes não vendidos

Ele encerrou seu discurso com um doce e lindo presente de Natal, o poema de Susie M. Best intitulado “Os sonhos de Belém”.

Naquela noite no céu da Judéia,
A mística estrela começou a brilhar.
Um homem cego despertou de seu sono,
E sonhou que podia enxergar.

Naquela noite pastores ouviram
Um coro angelical a cantar.
O homem surdo despertou de seu sono,
E sonhou que podia escutar.

Naquela noite no estábulo,
A criança e sua mãe dormiam [sem falar].
Um coxo virou seus membros retorcidos,
E sonhou que podia andar.

Naquela noite Maria inclinou-se,
E do bebê recém-nascido pôs-se a cuidar.
Um leproso sorriu dormindo,
E sonhou que a Cura acabara de chegar.

Naquela noite no colo de sua mãe,
O pequeno Rei estava protegido.
A meretriz dormia feliz,
E sonhou que seus pecados haviam sumido.

Naquela noite deitado na manjedoura,
Estava o Santo que veio salvar.
Um homem despertou do sono da morte,
E sonhou que ela não lhe podia tragar.

Vírus, desemprego, crises financeiras, luto, distanciamento social são algumas das palavras que definem 2020. Foi um ano difícil em diversos aspectos para muitas pessoas, mas ouvir as palavras do Élder Holland, um apóstolo do Senhor, nos relembra o verdadeiro significado do Natal.

Este ano, ao comemorarmos o nascimento de Jesus Cristo, podemos ter esperança e sonhar com a certeza de que nossos sonhos se tornarão realidade.

Fonte: Church News

| Profetas Hoje

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *