Há alguns anos, escrevi no campus da BYU-Havaí,  uma mensagem pré-conferência sobre ouvir. Falei sobre a maneira de ouvir os profetas com a intenção de obedecer. Agora falarei sobre como não agir ao ouvir os profetas.

As escrituras falam de várias maneiras como não ouvir as palavras dos profetas. Por exemplo, Mosias disse ao povo: “não ordenei que viésseis aqui para ouvir levianamente as palavras que direi” (Mosias 2:9). Ouvimos ‘levianamente’ as palavras dos profetas quando as consideramos meramente apresentações retóricas, como se os profetas fossem palestrantes. Ouvimos levianamente quando nos aproximamos deles simplesmente curiosos, como se fossem filósofos ou jornalistas. Ouvimos levianamente quando esperamos que suas palavras agradem nossos ouvidos e representem apenas o que queremos ouvir, como se eles fossem publicitários.

Veja três maneiras como NÃO agir ao ouvir as palavras dos profetas.

1. Não ouvir a um profeta como se fosse apenas um mero palestrante (Ezequiel 33)

As palavras de um profeta podem muito bem ser escritas e repassadas. Os apóstolos modernos escrevem com cuidado a fim de tocar nosso coração e nossa mente. Mas a beleza de suas palavras, ou a falta delas, não é o ponto central. O ponto é a inspiração e a autoridade do orador. Como ouvintes, não devemos apenas admirar, mas dar ouvidos, prestar atenção, arrependermo-nos e obedecer.

Imagine alguém dizendo o seguinte sobre o Sermão da Montanha: “Que discurso impressionante! Adorei o paralelo que Ele fez na primeira parte quando repetiu várias vezes ‘Bem-aventurados’. Muito esperto. Muito interessante. E as metáforas sobre a luz e o sal? Boa escolha! Essa parte sobre arrancar o olho e cortar a mão… Meio grotesco, não acha?”

Ir direto ao ponto não é admirar a retórica, mas arrepender-se. A reação adequada às palavras do profeta não é: “Belas palavras”, mas: “Senhor, porventura sou eu?” (Mateus 26:22).

 2. Não dê ouvidos a um profeta como se fosse apenas um filósofo (Atos 17)

Os atenienses ouviram Paulo como um provedor de novas ideias – ideias que qualquer um poderia ter lido em uma versão antiga da “Folha de Atenas”. Os atenienses adoravam conversar e debater ideias. Pararam para ouvir Paulo na Colina de Marte por curiosidade intelectual. Na verdade, “os atenienses e estrangeiros residentes de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir alguma coisa nova” (Atos 17:21).

Sua mensagem sobre ressurreição revelava-se ainda mais bizarra do que o previsto. Completamente fora dos limites do discurso filosófico grego. Então dispensaram o judeu helenizado, aparentemente lunático, educadamente da maneira que puderam: “Acerca disso te ouviremos outra vez”.

Quando ouvirmos os profetas, devemos ouvir, pelo Espírito, a voz de Deus falando por meio deles. Deveríamos ouvi-los como profetas e não como filósofos.

3. Não dê ouvidos a um profeta como se fosse apenas um publicitário (II Timóteo 4)

Não devemos ouvir os profetas para nos justificar, nem escolher somente as mensagens que concordam com nosso ponto de vista. As mensagens mais importantes podem ser aquelas que inicialmente vão de encontro com nossas atitudes ou deixam-nos preocupados, especialmente aquelas que nos levam ao arrependimento. Quando os profetas falam sobre pecado, devemos ser como os publicanos, ao invés dos fariseus. O fariseu agradeceu a Deus por não ser como os outros homens. Em contrapartida, o “publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia em seu peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lucas 18:11-13)

Essa escritura contém a chave de como devemos ouvir os profetas. No Sermão da Montanha há outra escritura. Jesus disse a Seus ouvintes exatamente como eles deveriam escutar Seu sermão. Esse princípio aplica-se a todo ensino inspirado. Jesus explicou: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha.” (Mateus 7:24). “E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia” (Mateus 7:26).

Escrevi acima sobre como NÃO dar ouvidos aos profetas. Então, como ouvi-los? Ouvir com real intenção, ou seja, com a intenção de dar ouvidos, prestar atenção, aplicar, obedecer, mudar. Depois agir de acordo com as instruções do Espírito. Isto é edificar sobre a Rocha.

Qual é a sua opinião? Deixe-a nos comentários.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Mormonsud.net agora é maisfé.org – saiba o motivo de mudarmos o nome