A escritura que ajudou o Presidente Nelson a guardar o Dia do Senhor quando era cirurgião

O dilema de santificar o Dia do Senhor era uma questão complicada para o jovem cirurgião. Como um médico ocupado cuida do dia do Senhor? “Esta não era uma questão teórica para um médico”, explicou o Dr. Nelson. “Nós nos dedicamos a curar e salvar vidas, e eu lutei para saber como lidar com isso.”

Russell queria estar na Igreja com sua família. Depois de uma semana intensa de operação após a operação e esfregando as mãos com sabão, água e uma escova de cerdas tantas vezes que a pele estava crua, ele precisava da cura pessoal, física e espiritual que o dia do Senhor permite, bem como de uma pausa para respirar, algo necessário quando se tem uma profissão cheia de pressão.

E, no entanto, sempre havia operações a serem realizadas e, às vezes, havia vidas em jogo. Durante pelo menos uma temporada de sua carreira, ele lidou com um administrador do hospital que queria manter as suítes operacionais nos fins de semana e que fazia pressão para que os cirurgiões operassem aos domingos. A questão era complexa e confusa.

Durante seus anos de formação como cirurgião, o Dr. Nelson até estudou listas compiladas por outros que sugeriam o que fazer e o que não fazer no dia do Senhor, mas não eram tão úteis.

Então, um dia, o Dr. Nelson encontrou uma passagem em Êxodo que desencadeou uma nova compreensão espiritual:

“Certamente guardareis meus sábados, porquanto isso é um sinal entre mim e vós” (Êxodo 31:13)

Quando ele percebeu que o que ele fazia no Domingo era um sinal para o Senhor sobre como ele se sentia a respeito Dele, seu dilema foi resolvido. Ele disse:

“Com esse entendimento, não precisei mais de listas do que fazer ou evitar. Quando tinha que tomar a decisão sobre uma atividade ser ou não adequada para o Dia do Senhor, simplesmente me perguntava: “Que sinal quero dar a Deus?” Essa pergunta fez com que minhas escolhas para o Dia do Senhor ficassem bem claras. (O dia do Senhor é deleitoso – Presidente Russell M.Nelson)

Dr. Russell M. Nelson realiza cirurgia cardíaca. Fotografia: Família Nelson

Ele determinou que não iria operar ninguém no Domingo, a menos que soubesse que a pessoa não viveria até Segunda-feira. Se um paciente chegasse com uma aorta sangrando ou um peito esmagado, sim, ele operaria no Domingo. Todo cirurgião cardíaco operava aos Domingos para salvar vidas que não durariam até o outro dia. Às vezes o sangramento tinha que ser interrompido imediatamente. Mas se o paciente pudesse esperar até Segunda-feira, o Dr. Nelson esperaria.

“Uma vez compreendido o conceito do dia do Senhor”, ele explicou, “entendi que o que eu faço no Domingo é um sinal do meu amor por Deus, percebi que, assim como não mostraria meu amor por Ele operando em Domingo, quando poderia esperar até Segunda-feira, também não mostraria amor por Deus se eu deixasse alguém morrer no Domingo que poderia ter sido salvo. Para um cirurgião cardiovascular, essa escritura salvou minha consciência e meu coração.”

Fonte: LDS Living

Relacionado:

A mensagem do Pres. Nelson durante a Sexta-feira Santa

| Profetas Hoje

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *